sábado, 17 de março de 2012

Bosque de Ribeirão Preto recebe cerca de cinco animais feridos por dia

Anualmente o local chega a receber até 1,5 animais, a maioria orfãos.
Veterinário diz que alimentação é a mais próxima possível com a natureza.

O Bosque Municipal Fábio Barreto deRibeirão Preto, interior de São Paulo, recebe uma média de quatro a cinco animais feridos, a maioria filhotes órfãos diariamente. Por ano, o número de animais recebidos pode chegar a 1,5 mil.

Segundo o veterinário César Branco, no local, a alimentação dos animais é a mais próxima possível da que eles têm na natureza e que os funcionários trabalham para diminuir o estresse das espécies.

O primeiro tratamento é feito no ambulatório, onde os animais passam por cirurgias, curativos e ficam internados. Entre as aves atendidas estão um gavião que não poderá mais voar após ser atropelado e quebrar a asa, além de um falcão ferido por um pedaço de arame e um filhote de tucano que chegou ao bosque desnutrido e com o bico machucado.

Entre os outros animais estão uma fêmea de veado catingueiro que foi atropelada e se recupera após um atropelamento e duas filhotes de bugio órfãs.

A estagiária da maternidade do bosque Débora conta que durente a alimentação da espécie de macaco, a aproximação dos animais ajuda no tratamento. " Eles te adotam fica mais fácil cuidar porque eles se aproximam, brincam, é muito gostoso", afirma.

De todos os animais recebidos anualmente, 10% morrem e 30% se recuperam totalmente e são reintroduzidos na nautreza. Os outros 60% são tratados e liberados para visitas no local, que também é um zoológico.

Um dos exemplos de superação é a onça suçuarana Titi, que chegou ao bosque com um mês, sofrendo de hipotermia. Atualmente ela tem sete meses e está recuperada e deve ser transferida para o recindo, onde poderá ser observada pelos visitantes.

anda

Em ameaça de extinção Cientistas russos criam programa para proteger gato selvagem

Espécie denominada gato-de-pallas só é estudada na Rússia.

(Foto: Reprodução)

Cientistas russos colocaram coleiras de rádio em quatro dos vinte gatos-de-pallas (pequeno gato selvagem também conhecido como manul) protegidos pelo programa de acompanhamento do Parque Nacional de Daur, na região do Tranbaikal, disse à agência RIA-Nóvosti Vadim Kiriliuk, cientista que trabalha no parque.

Incluída em listas de animais ameaçados de extinção, a espécie soma entre 10 mil e 13 mil animais na região do Transbaikal.

“Temos a permissão para colocar coleiras de rádio em vinte animais. Planejamos concluir nosso trabalho até o final de março, enquanto ainda há neve. Sem a neve, é praticamente impossível localizar o animal, que tem cores escuras que se confundem com as cores do parque”, disse Kiriliuk.

A coleira pesa cerca de 60 gramas e tem vida útil de 18 meses.

“Temos um programa multidisciplinar de estudo do gato-de-pallas. Utilizamos armadilhas fotográficas, realizamos censos da população do animal e estudamos amostras de seus excrementos”, completou.

O gato-de-pallas é o menor representante de felinos selvagens do mundo e praticamente ainda não foi estudado. Até agora, a espécie só é estudada na Rússia. Com tamanho quase igual ao de um gato doméstico, o manul tem um corpo mais denso e mais maciço, com patas curtas e grossas e pelagem cerrada.

“Nossas observações permitiram verificar, por exemplo, que o animal não é agressivo. Conhecemos casos em que duas fêmeas davam à luz uma perto da outra e dois machos compartilhavam uma toca”, disse Kiriliuk.

O gato-de-pallas é encontrado em estepes e semidesertos da Ásia, desde as montanhas da Sibéria Meridional no norte até as regiões norte da Índia no sul. Na Rússia, o gato-de-pallas vive nas estepes no sudeste do Altai, Tuva, Buriátia e Transbaikal.

Fonte: Gazeta Russa

Panamá proíbe touradas e cria lei de punição a agressores de animais

 

 

aplauso3

Por Lilian Regato Garrafa  (da Redação)

O Congresso do Panamá na quinta-feira aprovou uma lei para evitar a crueldade com os animais, que prevê multas de até US $ 1.000 e proíbe touradas e brigas de cães, mas não de galos, segundo informou o Parlamento.

A população “deve denunciar qualquer ato que atente contra os direitos dos animais domésticos”, disse o deputado autor da lei, Victor Julião.

Segundo o El Economista, a lei prevê multas de até 1.000 dólares para quem causar lesão ou morte a animais de estimação, além de multas de até US $ 500 para quem não levar seu animal ao veterinário ou negar-lhe comida ou água.

“Com estas novas leis se fará justiça aos animais inocentes, que muitas vezes se tornam vítimas de pessoas desumanas”, disse Julião, de acordo com um comunicado.

Também foram proibidas, no Panamá, as brigas de cães, corridas entre animais e touradas. No entanto, não foram vetadas as brigas de galo nem corridas de cavalos, que movem milhares de dólares.

Além disso, os circos que operam no país poderão ser suspenso se houver atos de crueldade contra animais.

A lei aprovada pelo Congresso deve ser agora sancionada pelo presidente do Panamá, Ricardo Martinelli.

 

anda

Após morte de girafa, zoológico continua a ser denunciado por maus-tratos

Indonésia

girafa

 

Foto: Daily Mail

A morte de uma girafa no Surabaya Zoológico, na Indonésia, com cerca de 20 kg de plástico no estômago, continua chamando atenção devido às escandalosas condições a que os outros animais são submetidos. As informações são do jornal Daily Mail.

Tigres definhando, 180 pelicanos amontoados em uma gaiola de tal forma que não conseguem abrir as asas sem bater em outros pássaros. O zoológico é marcado pela reprodução descontrolada, pela falta de financiamento voltado para o bem-estar animal e pelas suspeitas de que funcionários estariam envolvidos no tráfico de animais silvestres.

Espécies raras, como o dragão de Komodo e orangotangos, estão em jaulas insalubres, sendo alimentados com amendoins jogados pelos risonhos visitantes.

“A situação é extremamente trágica, mas claro que isso não surpreende em zoológicos da Indonésia, dada a terrível forma como eles são administrados”, afirma Ian Singleton, ex-funcionário que agora dirige um programa de conservação de orangotangos na ilha de Sumatra.

girafa1

Nesta foto de 2010, um funcionário do zoo é visto dilacerando um tigre de Sumatra, que foi encontrado morto em sua gaiola. (Foto: Daily Mail)

O zoológico entrou na linha de fogo há dois anos quando foram divulgados relatos de que em média 25 dos 4 mil animais ali existentes morriam todos os meses, quase todos prematuramente. Nesta lista estavam inclusos leões africanos, tigres da Sumatra e muitos crocodilos.

O governo nomeou um experiente tratador para consertar a situação e a taxa de mortalidade caiu de 25 para 15 animais ao mês. Mas depois da morte da girafa ele desistiu do cargo.

“É preciso nada menos que uma renovação total, Precisamos pensar em privatização e em transferência de alguns animais”, disse Singleton.

Com ingressos custando menos de US$ 2.00, os críticos dizem que não há dinheiro suficiente para cuidar dos animais, muito menos investir em melhorias nas instalações do zoológico. Um dos maiores problemas é a superlotação.

girafa2

Urso doente dentro de gaiola em zoo (Foto: Daily Mail)

Enquanto a maioria dos zoológicos limita o número de animais nascidos em cativeiro – levando em consideração quantos poderão ser cuidados ou trocados entre outros zoológicos – a noção de ‘planejamento familiar’ ainda não decolou no país.

Anticoncepcionais são caros e não existem instalações adequadas para separar machos e fêmeas. Por isso, os animais se reproduzem excessivamente.

Os 180 pelicanos são mantidos em uma área do tamanho de uma quadra de vôlei. Perto dali, 16 tigres ficam em uma espécie de prisão com grades de concreto. Uma tigresa branca está coberta de lesões na pele. Como sai raramente, ela sofre também de complicações na coluna que dificultam que ela se levante e caminhe.

anda

sexta-feira, 16 de março de 2012

Escola Superior de Artes e Design recusa uso de pelo animal para produzir roupa



(Foto: DR)











A Escola Superior de Artes e Design (ESAD) de Matosinhos assina, na quinta-feira, uma Declaração de Compromisso Ético, na qual se assume contra a utilização de pelo animal como matéria-prima para a produção de moda.
Em comunicado, a ESAD refere que, “em pleno século XXI, com uma imensa variedade de materiais tecnologicamente evoluídos à disposição, não faz sentido a um designer de moda a continuação do sacrifício inútil e cruel de centenas de milhares de seres dotados de senciência e de sensibilidade à dor”.
“Este compromisso, que abrange toda a licenciatura de design de moda, reunindo um amplo consenso entre os seus corpos docente e discente, é tomado de forma pública, testemunhado pelos presentes e pelos representantes da defesa animal”, acrescenta a escola.
A assinatura do compromisso vai encerrar o desfile de moda que ocorre no âmbito da semana aberta da ESAD.
Fonte: Porto 24

Santos apura denúncia de venda de cães a navios para abate



A Coordenadoria de Proteção à Vida Animal (Coprovida), da Secretaria de Meio Ambiente de Santos, no litoral paulista, apura denúncias de que cães vivos estão sendo levados irregularmente a navios de bandeira estrangeira, ancorados na zona portuária da cidade, para serem abatidos. De acordo com a coordenadora interina da Coprovida, Maria Isabel Francisca da Hora, denúncias recebidas por e-mail informam que cachorros são vendidos para tripulações coreanas. A carne dos bichos estaria sendo consumida por marujos durante as viagens.
“Até agora não existe nenhum indício ou prova de que esteja ocorrendo comércio de cães em navios no Porto de Santos. Mas como recebemos as denúncias, decidimos apurá-las”, Maria Isabel.
De acordo com a coordenadora, fiscais da Coprovida devem ir nesta sexta-feira (16) à Vigilância Sanitária de Santos para tratar do assunto. “Como há uma série de autorizações necessárias para entrar no porto, vamos falar com a vigilância, que tem acesso frequente ao local. Se houver necessidade, ou indício de que algum cão esteja sendo levado para lá, podemos pedir ajuda também à Polícia Federal”, afirmou Maria Isabel.
As denúncias de que cães estão sendo vendidos a navios no Porto de Santos também é discutida na internet. No Facebook, por exemplo, uma foto foi publicada mostrando vários cachorros em gaiolas sobre um caminhão que estaria indo ao porto santista. Mas, segundo a Coprovida, a imagem não foi feita em Santos, mas, sim, em algum país asiático, onde há o hábito de comer carne de cães.
“Queremos esclarecer que a foto dos cães no caminhão não tem qualquer relação com nossa cidade. É perigoso utilizar aquela imagem porque dá a entender que isso está ocorrendo aqui”, disse a coordenadora da Coprovida. “Reforço que até agora as denúncias não passam de boatos. É preciso que a população saiba que é muito difícil entrar com animais na região portuária. Há um controle e fiscalização muito presente para inibir isso”, explica Maria Isabel.
Fonte: G1

Galo rouba a cena na TV e vai ganhar até Twitter

Galo William e Geraldo Luis

Reprodução/Twitter

Veja William no estúdio da Record

O galo William (ou Willy, para os íntimos) chamou tanta atenção que ganhou poleiro e microfone personalizados

Quem acorda cedo já percebeu que o apresentador Geraldo Luis não é o único astro do Balanço Geral, noticiário da Record. Educado, talentoso e bonito, o penoso William tem roubado a cena com sua cantoria afinada. Tanto que até ganhou um microfone e um lugarzinho especial no estúdio.
O galo de estimação da equipe do programa matinal faz tanto sucesso que vai ganhar um perfil no Twitter. E não vai ficar muito tempo sozinho, revela o apresentador do jornalístico.
- Estamos arrumando uma galinha para ele namorar. Logo mais o William vai ter companhia no seu poleiro, aqui na Rede Record.
Deixe seu recadinho para o galo Willy aqui!
Geraldo, que adora animais, conta que a ideia de ter um galo de verdade no programa surgiu da conversa com um amigo.
- Ele veio de Itu.
Brincadeiras à parte, Geraldo explica que o galo William tem, além de uma casinha especial (nos bastidores do programa), a companhia de um tratador. Quando está no ar, o galináceo pode circular pelo estúdio, cantar e cacarejar o quanto quiser e comer milho em seu poleiro - com direito a letreiro eletrônico.
- Ele é muito educado, simpático e manso. Canta na hora certa, vai no meu colo, não estranha ninguém, nunca usou a espora para avançar e também não bica. Com tanta notícia ruim que a gente divulga, a presença do William no estúdio é motivo de alegria. As crianças o adoram. Além disso, o galo é o despertador natural, não é?
Espie a rotina de William no estúdio da Record
O bicho fica tão à vontade que até cocô já fez durante a gravação do Balanço. Acostumado com animais, Geraldo mesmo se encarrega de limpar a sujeira.
- Eu cresci em uma casa com muitos bichos, na cidade de Ibirá, no interior paulista. Quando era menino, tive um galo que se chama William também. Vivia com ele para lá e para cá. Até dormia com o galo! Quando ele morreu, foi uma choradeira só.
O jornalista tem um carinho especial pelas aves.
- Também já tive 12 gansos, que guardavam a casa de invasores. Eles eram muito bravos!
Atualmente, Geraldo tem dois cachorros – a Ingra e o Toddy – e várias aves. Além disso, uma vez por semana leva William para passear em sua casa.
- Moro em uma chácara no pé da montanha, com muito espaço. 

R7

Exportação de jumentos gera protestos no Ceará


Ceará




 
“O jumento sempre foi o maior desenvolvimentista do sertão”, já dizia Luiz Gonzaga ao levantar campanha de valorização do fiel ajudante do povo nordestino. No entanto, nem mesmo Gonzaga poderia imaginar que chegaria o dia em que jumento seria sinônimo de “desperdício de espaço”. Tudo isso por ter sido gradativamente destronado do posto de meio de transporte oficial do sertão e pela a falta de atrativos comerciais para a utilização da espécie.

A situação problemática do jumento, com crescente número de abandono e de apreensões pelos estados, culminou no surgimento de uma parceria inusitada entre Brasil e China: o jumento nordestino pode virar item de exportação para a indústria alimentícia chinesa. A parceria entre os países foi firmada mês passado e prevê a venda de 300 mil espécies por ano.

Ativistas dos direitos dos animais denunciam que, além do consumo da carne, os animais também podem ser utilizados em laboratórios da indústria de cosméticos. A União Internacional Protetora dos Animais (Uipa) iniciou a campanha “O jumento é nosso”, para impedir a concretização do acordo. Segundo Geuza Leitão, presidente da Uipa no Ceará, a iniciativa pretende conscientizar a população e pressionar os políticos, evitando assim a aprovação do acordo no Congresso Nacional. “Não é só matança para consumo. Eles querem fazer experiências para a indústria de cosméticos”, denuncia Leitão.

Conforme o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 194 mil jumentos no Ceará. Deste número, somente cerca de 50 mil estão localizados em propriedades de criação de animais, segundo o cadastro da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), que rastreia a presença de animais para o controle de zoonose.

De acordo com Antônio Nunes, da Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Estado, no Ceará os jumentos são utilizados para o transporte de carga ou como reprodutores em cruzamento com éguas. Conforme Nunes, por não terem valor comercial, diversos jumentos são abandonados por seus antigos donos. “Com isso, acabam causando problemas nas estradas e gerando despesas para o Estado”, afirma Nunes. Nos últimos dois anos, aconteceram 231 acidentes envolvendo animais em rodovias estaduais, segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Os jumentos abandonados são recolhidos pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE), segundo Valdir Chaves, responsável pelas apreensões de animais. Ele conta que os jumentos são levados para um dos 13 currais do Detran espalhados pelo Ceará. Segundo Chaves, o proprietário tem o período de sete dias para fazer a reclamação de posse. Caso isso não ocorra, o animal é transferido para a Fazenda Paula Rodrigues, em Santa Quitéria. O local é mantido pelo Governo do Estado.
ceará


Coelho morre esmagado por operador de câmera, na Alemanha


Foto: Reprodução/CM
Um coelho nascido sem orelhas chamado ‘Til’, que havia sido condenado a um triste destino de confinamento no zoológico da cidade alemã de Limbach-Oberfrohna, teve uma morte trágica durante uma conferência de imprensa realizada na quinta-feira (15) em que seria apresentado ao público. Um operador de câmera que estava realizando a cobertura do acontecimento “distraiu-se” e pisou o pequeno animal, esmagando-o.
Os coelhos nascidos sem orelhas são bastantes raros e o animal seria introduzido ao zoo com a intenção sádica de atrair mais visitantes.
Os cinco irmãos de ‘Til’, todos eles nascidos com orelhas, encontram-se ‘bem’.
Com informações do Correio da Manhã

Grupo de cidadãos pede esclarecimentos sobre realização de evento tauromáquico ilegal



(Foto: Reprodução/RTP)
Uma centena de pessoas enviou à Assembleia Legislativa dos Açores um pedido de esclarecimento sobre a alegada realização na ilha Terceira de um espetáculo tauromáquico de ‘sorte de varas’, que é proibido no país.
O pedido de esclarecimento, divulgado pelos promotores da iniciativa, surgiu na sequência de fotografias publicadas no âmbito do Fórum Mundial da Cultura Taurina, que se realizou em janeiro na ilha dos Açores, onde terá ocorrido uma ‘sorte de varas’, apresentada sob a designação de ‘tenta pública’.
“As fotografias mostram claramente touros e cavalos sendo utilizados na prática da ‘sorte de varas’”, refere o documento enviado ao parlamento açoriano.
Os signatários recordam que a ‘sorte de varas’ é proibida em Portugal e que uma petição para a sua legalização foi rejeitada pelo parlamento regional em 2009, questionando, por isso, a legalidade do evento que teria sido realizado na Terceira, no âmbito de um encontro mundial que foi apoiado com 75 mil euros pelas autoridades regionais.
O espetáculo em questão, segundo o documento enviado ao parlamento regional, teria decorrido no dia 28 de janeiro, na Praça de Touros da Ilha Terceira, em Angra do Heroísmo.
Na sequência deste espetáculo, os signatários pretendem que o parlamento regional tome uma “posição oficial sobre este ato ilegal e de desrespeito” à decisão tomada pela Assembleia Legislativa dos Açores de proibir a introdução da ‘sorte de varas’ no arquipélago.
Por outro lado, exigem que o parlamento peça uma “explicação pública ao Governo dos Açores por ter financiado uma prática ilegal, desrespeitando uma deliberação da Assembleia Regional”.
Os signatários pretendem ainda que sejam tomadas “medidas pertinentes para que se situações como esta não se voltem a repetir, com a agravante de serem financiadas pelo dinheiro dos contribuintes”.
A Lusa tentou contactar Arlindo Teles, presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceira, entidade organizadora do Fórum Mundial da Cultura Taurina, mas as tentativas realizadas até agora revelaram-se infrutíferas.
Fonte: RTP

Homem é preso com dezenas de bichos exóticos em malas na Bulgária


Traficante foi detido com dezenas de animais exóticos em malas. (Foto: Reprodução)
O traficante foi preso ao tentar contrabandear 49 tartarugas, 15 camaleões, seis dragões-de-komodo, quatro crocodilos e outros animais, incluindo pítons e sapos venenosos, informaram autoridades. Os animais seriam vendidos em território búlgaro.
Os animais foram levados para o zoológico de Sófia. Conforme as autoridades, houve um crescimento na procura por animais exóticos no país depois que a Bulgária entrou para a União Europeia em 2007.
Fonte: G1

EUA Gata sem os olhos que corria risco de morrer, ganha nova vida após ser retirada das ruas


Foto: Reprodução/Care 2
Todo animal que tive o prazer de ter em minha vida foi retirado das ruas.
Em setembro de 2009, uma amiga me ligou e me contou estar preocupada porque a neta havia começado a alimentar um gatinho que apareceu no quintal. O animal, entretanto, parecia ser cego. Os outros gatos não o deixavam chegar perto da comida e ele estava cada vez mais magro, mesmo com a porção diária de atum que a menina lhe oferecia.
Perguntei a minha amiga o que a levou a pensar que o gato fosse cego e ela me disse: “porque quando ele olha para você, não há olhos nas órbitas”.
O Departamento de Controle Animal foi acionado e quando o responsável chegou, ele não quis mexer no gato. Ele foi de mansinho em direção a ele para tentar colocar uma caixa de transporte em cima dele, mas a única coisa que conseguiu foi assustá-lo. O gatinho correu pela cerca, pulou no quintal da vizinha e ali ficou escondido por dois dias. Mas sabendo que havia uma refeição diária do outro lado, ele voltou à varanda da minha amiga.
Eu fui até a casa dela na manhã seguinte, no momento em que a neta ia até os fundos com atum e chamou pelo gatinho. Com um miadinho curto, ele saiu de um arbusto. Era magro, pequeno, malhado de cinza e preto. No lugar das órbitas, de fato, havia apenas uma membrana rosa em cada olho. Nós nos sentamos caladas enquanto o gato comia.
A neta de minha amiga gentilmente pegou o pequeno gatinho e o colocou no meu carro. Uma ida ao veterinário confirmou que esta pequena fêmea tinha aproximadamente dois anos, estava castrada, desnutrida, desidratada, com uma infecção nas glândulas anais e, sim, tinha nascido sem os olhos. Obviamente ela já tinha tido um tutor, mas depois de três semanas de esconde-esconde e inúmeros cartazes sem resposta, ela era minha.
Cada vez mais saudável e forte, ela explora minha casa de cima a baixo e eu a sigo como uma mãe histérica removendo os objetos do caminho. Mas ela rapidamente pegou o jeito de como circular pelas escadas do porão, pelas pernas dos móveis, como saltar do topo do sofá e, claro, no cachorro. Seu miado é doce e musical, por isso a batizei em homenagem a Stevie Wonder. Ela é minha querida e fui abençoada por tê-la encontrado.
anda

Deputado defende criação de delegacia contra maus-tratos de animais em Cuiabá (MT)


A prática de maus-tratos de animais são muito comuns. Não é raro deparar com situações evidentes de maus-tratos contra animais domésticos ou domesticados. Lojas que abrigam animais em gaiolas minúsculas, sem qualquer condição de higiene, cães presos em correntes curtas o dia todo, tutores que batem covardemente em seus animais ou os alimentam de forma precária, levando o animal à inanição, cavalos usados na tração de carroças que são açoitados e em visível estado de subnutrição.
Preocupado com o bem estar dos animais, o deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR), apresentou um Projeto de Lei que institui a Delegacia Especial de Proteção a Crimes e Maus Tratos conta os Animais no Estado de Mato Grosso.
De acordo o Projeto a Delegacia fica sob a responsabilidade direta da Secretaria de Estado de Segurança Pública.
Emanuel Pinheiro explicou que a criação da Delegacia Especial visa registrar, investigar, abrir inquérito e adotar todos os demais procedimentos policiais necessários para a defesa dos animais contra abusos, violência, crimes, maus-tratos, venda, exposição indevida e outras condutas cruéis a animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, objetivando a sua efetiva proteção.
Na propositura o deputado assegura disponibilizar todos os meios necessários para o recebimento de informações e denúncias sobre delitos contra animais, inclusive com linhas telefônicas 0800 e via internet.
O projeto também inclui que a Delegacia possua veterinários ou convênios com clinicas veterinárias voltados aos primeiros atendimentos aos animais vitimados.
Questionado quanto às despesas decorrentes da execução da lei, o parlamentar afirma que correrão por conta de dotações orçamentárias próprias ou suplementadas se necessário.
“As denúncias poderão ser apresentadas ao órgão competente, poderão ser feitas mediante descrição do ato de crueldade, sendo garantido o sigilo ao denunciante”, pontuou Pinheiro.
Segundo o deputado há aquelas situações em que sabemos que o animal está sofrendo, só que a caracterização de maus-tratos é subjetiva. “Por exemplo, seu vizinho deixa o cão preso o dia todo num quintal pequeno, sem abrigo, sozinho, latindo sem parar. Para a maioria das pessoas, isso pode ser caracterizado como ‘maus-tratos’, mas pode ser perfeitamente normal para o dono do animal”, salientou.
Fonte: 24 Horas News

Ministério Público de Pernambuco institui núcleo de defesa animal




Goretti Queiroz, Andrea Karla, Juliana Monteiro, Dr. Fenelon-Aline Gusmão, chefe de gabinete, Maria Padilha (Foto: Divulgação)
Conforme publicação no Diário Oficial da terça-feira (13), O Procurador-Geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon de Barros, instituiu o Núcleo de Defesa Legal dos Animais (NDLA). Com isso, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) conclui uma das metas estabelecidas para 2012: incrementar em 50% as medidas judiciais e extrajudiciais instauradas em defesa da fauna e em garantia ao direito dos animais no estado.
A criação do NDLA viabiliza a participação de outros organismos públicos e da sociedade civil para a conscientização do direito dos animais. Outra ressalva feita pelo documento é o combate ao tráfico e ao comércio de espécies da fauna, inclusive as ameaçadas de extinção, contribuindo para a preservação da riqueza biológica e natural de Pernambuco.
De acordo com a Declaração Universal dos Direitos aos Animais “nenhum animal será submetido à maus-tratos e atos cruéis”, portanto são algumas das atribuições do núcleo propor a adoção de medidas em face de eventual ausência das autoridades públicas responsáveis diante de questões como: vaquejadas, ausência de instrumentos de controle de zoonoses, rinha de galo, de pássaros ou de quaisquer outros animas. Além de fiscalizar o uso de animais com fins comerciais, em espetáculos do entretenimento do público, práticas de abate cruel ou experimentação com animais que importe atos de crueldade. Exploração ou manutenção de locais para guarda de animais em condições precárias de salubridade, dentre outras que possam traduzir violação aos direitos dos animais, também serão levadas em conta.
A portaria N° 506/2012 funcionará no âmbito do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Caop Meio Ambiente).
pernambuco
anda

Zoológico sul-coreano suspende espetáculo com golfinhos



Foto: Reprodução/Igualdad Animal 


O zoológico “Gran Park” de Seul concordou em suspender seu habitual espetáculo com golfinhos depois de descobrir que um dos animais havia sido capturados de forma “ilegal”.
O prefeito de Seul (Coréia do Sul) informou que o zoológico da cidade iria suspender temporariamente, a partir da próxima segunda-feira, sua apresentação diária de espetáculos aquáticos, na qual são utilizados três golfinhos.
Defensores dos animais pediram a libertação dos golfinhos e informaram que Jedol, um deles, foi capturado ilegalmente por pescadores da ilha turística de Jeju, em julho do ano passado.
“Acreditamos que se deve permitir a Jedol voltar a nadar livremente”, disse o prefeito.
O zoológico informou que Jedol, de treze anos de idade, será reintroduzido na natureza em março de 2014, depois de um período de readaptação gradual. No entanto, os outros golfinhos permanecerão em cativeiro, devido ao fato de que estão muito fracos e velhos para sobreviverem em mar aberto.
Os funcionários do zoo decidirão se o show será cancelado definitivamente depois de ouvir a opinião de especialistas, ativistas e cidadãos.
A lei sul-coreana proíbe a captura ‘não autorizada’ de golfinhos e baleias.



Anda

Carne artificial pode começar a ser produzida ainda em 2012


Do TecMundo | Cientistas holandeses podem ter descoberto método de criar alimentos artificiais, que não afetariam o meio ambiente.
Segundo informações da revista científica Food Safety News, pesquisadores da Universidade de Maastricht, na Holanda, teriam descoberto uma maneira de criar carne artificial em laboratório. O alimento artificial, além de ser capaz de resolver o problema da fome no mundo, também diminuiria os impactos no meio ambiente por reduzir o sofrimento dos animais. Segundo Mark Post, líder do projeto, a expectativa é iniciar a produção ainda em 2012.
Criada a partir de células musculares, a carne artificial é parte de uma iniciativa financiada pelo governo holandês. O grupo de Post também recebeu uma doação anônima no valor de 300 mil euros e tem como grande desafio descobrir uma forma de produzir o produto para distribui-lo em grande escala e reduzir os custos de fabricação.
A Universidade de Maastricht, porém, não é o único local onde pesquisas sobre o assunto estão sendo realizadas. Mais de 30 equipes de pesquisadores de carne artificial estão espalhadas pelo mundo, E uma delas está localizada no Brasil e é liderada pelo cientista Vladimir Mironov. O grupo PETA, que luta pelos direitos dos animais, ainda oferece uma recompensa de US$ 1 milhão para o cientista que conseguir produzir carne de frango em laboratório até 2016.
Do TecMundo |

quinta-feira, 15 de março de 2012

Quo Vadis Vatican?

bispo

 

 

O bispo católico (Coadjutor) para a paróquia da Suwon-cidade diz qual é o  seu " favorito; " do alimento natural; é a carne do cão e ri , como seu passatempo está forçando os bishops extrangeiros que visitam Coreia a comerem a carne do cão. Que vergonha!

A carne do cão  não é somente para os elderlies em Coreia do Sul. A carne do cão e do gato é apreciada por todas as classes de povos que incluem os jovens, mais de e… Ver - bispo católico do em (Coadjutor) para a paróquia da Suwon-cidade.

A mesma historia de sempre

abandono

" Excesso de cães em abrigos por causa do abandono de  animais de estimação (advogados dos direitos dos animais de Coreia na notícia); Por que  muitos animais são perdidos ou abandonados? De acordo com KARA, há uma variedade de razões. Talvez os proprietários não quiseram se importar com o envelhecimento oou doença de seus animais, teriam que pagar  suas despesas médicas. Alguns animais vagueiam  devido à negligência, e alguns proprietários abusam mesmo de seus animais. Muitos povos jogam simplesmente para fora seus animais de estimação quando se mudam, se casam ou tficam  grávidas. Porque os cães tendem a retornar a seus donos, alguns proprietários deixam-nos intencionalmente nos lugares distante o suficiente para que não possam retornar. Este pode ter sido o caso, no verão passado, quando  100 cães foram encontrados no console de Yokji, um destino popular das férias de verão, perto de Tongyeong, Gyeongsang sul. “É raro, que muitos cães perdidos  sejam encontrados juntos, ao mesmo tempo,” disse YUN Jung-im, um gerente na associação da protecção animal de Coreia. “Há um aumento repentino de número de cães perdidos em consoles durante férias de verão, porque os povos deixam seus cães para atrás.” Leia mais: http://animalrightskorea.org/events/kara-in-the-news-shelters-overflow-with-abandoned-pets.html Alguns vendem mesmo seus animais de estimação aos comerciantes da carne do cão.  Em uma sociedade onde os cães sejam vistos como  carne,  a  percepção  sobre eles não mudaria. Para eles estes animais são somente materiais descartáveis e não parte da família.

Vereadores querem expulsar cão criado no pátio da Câmara Municipal e revoltam funcionário

 

Foto: Reprodução

Ventania é um cãozinho que desde muito pequeno não se sabe como chegou à Câmara de Vereadores de Porto Velho (RO) e por lá ficou conquistando vários funcionários da casa de leis do município que passaram a alimentá-lo e o criaram na área do estacionamento.

Porém o incômodo de alguns vereadores com o dócil Ventania pode levá-lo a ser retirado de sua atual casa e entregue ao Canil Municipal. Esse fato causou revolta em um dos funcionários da Câmara que mais se apegou ao cachorro, Pedro Soares, que já garantiu entrar no Ministério Público para protelar os direitos de Ventania.

Figura folclórica e nacionalmente conhecida por ser o presidente e criador da ASCRON (Associação dos Cornos de Rondônia), Pedro Soares também é presidente da Associação de Moradores do bairro Meu Pedacinho de Chão e um dos funcionários mais antigos da Câmara de Vereadores de Porto Velho.

“Desde que o Ventania chegou aqui eu me apeguei ao cachorro, ele é muito brincalhão, muitos amigos meus que trabalham na Câmara trazem comida para ele. O cãozinho não oferece risco para ninguém, pois além de ser um animal amável ele só fica solto pelo pátio da Câmara no período noturno protegendo a casa do povo de Porto Velho” , disse Pedro Soares.

Foto: Reprodução

Segundo Pedro Soares, Ventania não é visto com bons olhos por alguns vereadores que acreditam que o cachorro não deveria de forma alguma ficar nem aos arredores da Câmara Municipal e querem a todo o custo encaminhar Ventania ao Canil Municipal dando um destino incerto ao querido cachorro da Casa de Leis do municipio.

“Eu acho isso uma vergonha, com tanta coisa para esses vereadores se preocuparem eles ficam se incomodando com o nosso Ventania que não faz mal a ninguém, se tirarem ele daqui será uma injustiça, mexeu com o Ventania é a mesma coisa que mexer comigo!”, exclamou Pedro Soares.

Enquanto isso o inocente cachorro passou mais um dia na sua casa sem saber qual será o seu futuro. Na Câmara de Vereadores Ventania tem o carinho de pessoas que se apegaram a ele, porém a “rabugice” parece vir de outro lado, e não é de Ventania.

Fonte: Rondoniaovivo

 

(Certas pessoas é uma.... o antropocentrismo eletrocuta suas células cerebrais e só vê negro onde faz luz e brilha o sol e  vê "luz" onde a lama invade seus psíquicos sendo seus atos escambados para crueldades, injustiças, corrupções e... Alber)

Urso é fotografado utilizando uma pedra como esfoliante

Urso é fotografado utilizando uma pedra como esfoliante

 

Por Graziella Belliato (da Redação)

urso1

Um urso do Parque Nacional “Glaciar Bay” do Alaska foi fotografado utilizando uma pedra coberta de crustáceos como esfoliante enquanto se banhava. É a primeira vez que se observa o uso de ferramentas por um urso. As informações são do site IgualdadAnimal.

É possível que o urso tenha utilizado a pedra para arranhar a pele na tentativa de retirar restos de comida ou aliviar algum tipo de irritação. Além disso, a observação foi feita durante o período em que estes animais trocam de pelagem, época em que costumam esfregar-se nas árvores ou rochas com o propósito de facilitar sua queda.

Volcker Deecke, um pesquisador do Centro de Vida Selvagem da Universidade de Cumbria, no Reino Unido, foi testemunha dessa cena enquanto passava suas férias neste parque do Alaska. Suas conclusões a respeito foram publicadas na revista “Animal Cognition”.

“Estes animais têm o cérebro relativamente grande em comparação ao seu tamanho corporal, sendo este o maior entre todos os carnívoros, inclusive maior que o dos animais mais sociais, como podem ser os leões. Há muitas ideias acerca de que o tamanho do cérebro pode ter influenciado na sociabilidade e nas habilidades cognitivas. Parece que os ursos são, provavelmente, muito mais complexos do que pensamos”, comentou Deecke.

anda

Homem assume que espancou cão até a morte, em Lins (SP) Psicopata

 

 

Equipe da TV Tem foi até a casa do suspeito de matar o cachorro. (Foto: reprodução/TV Tem)

O homem acusado de bater em um cachorro até a morteem Lins, no interior de São Paulo, se defendeu na manhã desta quinta-feira (14). Segundo informações da polícia, que investiga o caso, em depoimento ele contou que pegou o cachorro, da raça poodle, na rua para cruzar com a cadela que tem em casa, mas os animais teria se desentendido e ele chutou o cão, que acabou morrendo. Ele contou ainda que colocou o cachorro em um saco de lixo e o corpo foi levado pelos lixeiros.

Hoje, em entrevista a equipe de reportagem da TV Tem, afiliada da Rede Globo, o homem confirmou a história, mas, se defendeu. “Não chutei tão forte assim, mas, o cachorro era velho, tinha 11 anos”, afirma. Ele disse ainda que não tinha a intenção de machucar o cachorro e está arrependido. “Eu não medi a força, não sei o que aconteceu. Acredito que foi mesmo porque o cachorro já era velhinho. Mas, eu admiti o que fiz e estou arrependido”, completou.

A polícia chegou até ele na terça-feira (13) após a denúncia dos tutores do animal, que desapareceu no último domingo (11). De acordo com o delegado Luiz Roberto Bertozzo, o homem vai responder por crime ambiental, com pena que varia de 3 meses a um ano. “Como trata-se de uma pena leve, será feito um termo circunstanciado, que será encaminhado ao Ministério Público e ao Judiciário”, explica.

O corpo do cachorro ainda não foi encontrado, mas, o delegado garante que o homem vai responder pelo crime da mesma forma. “Estamos fazendo diligências para tentar localizar o corpo do cachorro, encontrando, as provas ficam mais evidentes. Mas, na falta disso, cabe, neste caso, a confissão e as testemunhas, portanto ele vai ser punido”, esclarece.

Indícios de maus-tratos

Vizinhos do homem contam que não é a primeira que ele maltrata um cachorro. Uma das vizinhas, que preferiu não se identificar, disse que já presenciou outras agressões. “Passeando com as minhas cachorras eu já presenciei os maus-tratos. Ele estava brincando com a cachorra e do nada a chutou. Já vi essa cena várias vezes”, afirma.

Ela conta ainda que já tentou denunciar o homem, mas, precisava se identificar e ficou com medo da reação dele. “A gente não sabe como ele pode reagir, o que ele pode fazer”, completou.

Sobre o caso

A tutora do poodle, Jucelen Lilian dos Santos, contou que Luck, como era chamado o cachorro, costumava sair de casa, mas, sempre voltava minutos depois. “No domingo, ele saiu como de costume, mas, não voltou mais. Então nós anunciamos o desaparecimento em uma rádio da cidade”, explica.

A tutora do cachorro afirma que ele costumava sair de casa, mas sempre voltava. (Foto: reprodução/TV Tem)

A dona de casa disse ainda que na terça-feira (13) recebeu uma ligação de vizinhos do homem que teria pego o cachorro. “Eles disseram que homem judiava demais do cachorro e que ele tinha as características anunciadas na rádio. Meu marido foi até lá e mostrou a foto do Luck e os vizinhos o reconheceram, mas, disseram que na noite anterior ele tinha chorado muito e na manhã de hoje (terça-feira) o homem tinha batido mais nele e, desde então, não ouviram mais o choro e nem viram o cachorro”.

Depois das suspeitas de que o animal tinha sido morto, o marido de Jucelen registrou boletim de ocorrência e os policiais foram até a casa do suspeito, que confessou o que tinha acontecido. A família está chocada com o que aconteceu. A tia de Jucelen, Maria Gorete Cavina, contou que quem mais sofre é o filho da dona de casa, de apenas 13 anos. “Ele tem sindrome do pânico e diabetes, então, o cachorro era um companheiro, ajudava no tratamento dele”, afirma.

Fonte: G1