sábado, 4 de agosto de 2012

Salvou seu filho


Saltos homem sem-teto em rio para salvar seu coelho de estimação

John Byrne é um homem bem conhecido e querido que mora em uma ponte em Dublin, Irlanda e mantém dois animais de estimação: um Jack Russell Terrier e um coelho. Eles são seus companheiros e raramente deixam seu lado. Uma noite, um homem de 18 anos, decidiu cometer um ato horrível de crueldade contra animais por roubar coelho John e jogando-o no rio Liffey.John saltou para o resgate de sua amada coelho chamado Barney, e arriscou a vida para enfrentar o rio de congelamento. Rio Liffey é conhecido por ser suja e tem correntes muito fortes, ceifando vidas a cada ano. Milagrosamente, ele conseguiu salvar do afogamento Barney. Depois de saltar para a água e com êxito encontrando Barney, ele tinha que bombear de volta o ar para os pulmões do Barney, e ajudar o coelho recuperar a consciência. No entanto, ele tornou-se então preso debaixo da ponte. Congelar fria e incapaz de chegar ao banco, John teve de esperar por seu próprio resgate pelos bombeiros de Dublin. A meio do resgate, John é visto brigando com a equipe de resgate porque os socorristas estavam levando John para longe da ponte, onde o seu cão estava esperando. Quando João foi questionado por que ele arriscou sua vida para Barney e saltou para o Liffey, disse ele, "Porque ele é meu filho, eu o amo e eu só queria salvá-lo. Eu não acho que eu simplesmente pulou." 
Enquanto o rapaz de 18 anos foi preso sob a acusação de desordem pública e crueldade animal, John recebeu um  um prêmio por suas ações. A caridade ARAN lhe presenteou com o 'Prémio cidadão compassivo'. Outra vid no link dele chegando a ponte e multidão
fonte:liveleak

Ação imediata!!!!!!!!!!!!!!

Esta situação requer nossa AÇÃO IMEDIATA.
O laboratório Novartis está tentando "importar" o que devem considerar um "lote" de primatas para experiências macabras na Itália neste exato momento. Por 2 vezes voltou atrás, por falta de quem se prestasse a embarcá-los.
POR FAVOR, envie este E-MAIL ao provável "transportador", a Phoenix Air:
Envie seu e-mail para: 
mthompson@phoenixair.com, charter@phoe
nixair.com, info@phoenixair.com

Director of Phoenix Air:
Mark H. Thompson
Phoenix Air Group, Inc.
100 Phoenix Air Drive SW
Cartersville, GA 30120
USA

E-MAIL:
mthompson@phoenixair.com, charter@phoenixair.com, info@phoenixair.com

Títulos possíveis: Do NOT fly animals for vivissection, We are watching closely the decisions you make, You surely do NOT want to be on our black list, Please join other ethical companies,

Carta-modelo em inglês:


Dear Mr. Thompson,
Director of Phoenix Air
Mark H. Thompson
Phoenix Air Group, Inc.
100 Phoenix Air Drive SW
Cartersville, GA 30120
USA

Dear Mr. Thompson,

I came to know that Phoenix Air Group was recently contracted by Novartis to transport a group of non-human primates from Barbados to Italy. The animals were destined for laboratory experimentation.

I urge you to dissociate Phoenix Air Group from the cruelty and suffering of the international trade in primates by refusing to transport primates destined for the research industry.

Each year, on the islands of Barbados and St. Kitts & Nevis, hundreds of green/vervet monkeys are torn from their families and forest homes and either exported directly for biomedical research or imprisoned on farms to produce offspring to be exported to laboratories around the world.

Once wild and free, these sensitive and intelligent animals end their lives in laboratories where pain and suffering are routine.

There are an increasing number of airlines that were once carriers of primates, but which now refuse to transport primates for the research industry.

Airlines that have made this compassionate decision include leading cargo airlines such as Lufthansa Cargo, Cargolux and DHL Aviation, as well as the major airlines American Airlines, Delta Airlines, United Airlines, US Airways, British Airways, Korean Air and Caribbean Airlines.

The above mentioned companies __ that work with ethics __ are bound to count on consumers' preference.

Sure that we will understand our reasons and act accordingly, to your own advantage as well,

Sincerely,

(seu nome e país)





De:

Acabemos com a vivissecção na face da Terra

foto/divlgação Facebook
Se você pudesse ajudar a FECHAR a última "fábrica de beagles" no Reino Unido, livrando assim dezenas de milhares deles de uma MORTE HEDIONDA em experimentos macabros, sem sequer ter que sair de casa, você não o faria?
POIS BEM: aqui está a SUA chance DE FAZÊ-LO.
ASSINE A PETIÇÃO:
https://www.change.org/petitions/save-the-harlan-beagles?
De: CADEIA PARA QUEM MALTRATA OS ANIMAIS

Pelo fim, para sempre, das vivissecções


foto/divulgação/Facebook
Centenas de caezinhos como este (labradores) e centenas de beagles são "fabricados" na França para depois ser vendidos para a vivissecção.
O "dono do negócio" é um francês, o psicopata que atende pelo nome de Monsaieur Carré.
POR FAVOR assine a petição que será a base de intensas manifestações públicas na França no início de setembro.
Por favor, leiam e assinem a petição abaixo
(sobrenome, nome, e
-mail, cidade, país, nacionalidade)
A assinatura precisa ser CONFIRMADA atraves de mensagem que será enviada na sua caixa de entrada
https://www.lapetition.be/en-ligne/pour-la-fermeture-de-l-elevage-de-chiens-pour-les-laboratoires-dans-l-Yonne-a-cote-de-Mezilles-5941.html
A pacata cidade de MÉZILLES perto de Auxerre abriga o mais importante fornecedor certificado de cães de laboratorio da
Carré (antigo engenheiro de pesquisa no INSERM) cria desde 1974 no CEDS (Centre l’élevage du Domaine des Souches, 14 hectares) beagles e labradores (raças de cães muito dóceis ) destinados unicamente para vivissecção e experimentação animal.
O CEDS é um verdadeiro campo de concentrção canina.
No sábado dia 8 de Setembro 2012 haverá uma manifestação contra este campo de concentração onde, alem do mais, pesquisas revelaram extremo descaso e atrocidades .

Petição
(sobrenome, nome. email,cidade, país, nacionalidade)
A assinatura precisa ser CONFIRMADA atraves de mensagem que será enviada na sua caixa de entrada
https://www.lapetition.be/en-ligne/pour-la-fermeture-de-l-elevage-de-chiens-pour-les-laboratoires-dans-l-Yonne-a-cote-de-Mezilles-5941.html

De:CADEIA PARA QUEM MALTRATA OS ANIMAIS

ALÔ BRASIL!

DE GEUSA LEITÃO

DIVULGAÇÃO


ALÔ BRASIL: E-mail da DEPUTADA que quer instituir o município de Maranguape como a "CAPITAL DA VAQUEJADA NO CEARÁ". depfernandapessoa@al.ce.gov.br. e-mails nela!
foto/Facebook
QUE VERGONHA! Enquanto se vive lutando para combater crueldades contra animais e zelar pela aplicação das leis, uma deputadazinha, praticando crime de APOLOGIA DE CRIME OU CRIMINOSO (Art. 287 do Código Penal Brasileiro), quer através de um Projeto de Lei, tornar Maranguape a "Capital da Vaquejada no Estado". Há um rabo e eu por perto!




                      foto/Facebook


VAQUEJADA É CRIME, CRUELDADE, SADISMO. TRANSFERÊNCIA DOS RECALQUES E FRUSTRAÇÕES HUMANAS.


Foto/Facebook


Mandem e-mails para a Comissão de Meio Ambiente da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, para votar contra esse maldito PL: cma@al.ce.gov.br. Presidente da Comissão: deputado Agustinho Moreira.






Facebook

Polícia fecha local de criação de galos para rinhas no norte do RJ

olícia fecha local de criação de galos para rinhas no norte do RJ


Policiais da Delegacia de São João da Barra (145ª DP) fecharam nesta quinta-feira (2) um local de criação de galos para rinhas, na rua Rizzio da Graça Raposo, no bairro da Chatuba, em São João da Barra, no norte do Estado do Rio de Janeiro.
Os policiais, que possuíam um mandado de busca e apreensão concedido pela Justiça de São João da Barra, encontraram no interior do estabelecimento, 76 galos de briga, estufa para criação de pintos, alimentação para os animais, pintos em estufa, caderno com anotações sobre a identificação dos animais, além do local que os criminosos utilizam para colocar os galos para brigar.
O proprietário do local foi levado para a delegacia, onde informou aos agentes que criava galos com o objetivo de vender para pessoas com interesse em rinhas de galo, inclusive para fora do Estado.
De acordo com o delegado titular da unidade, Gustavo Valentini, os animais encontrados no estabelecimento foram avaliados em mais de R$ 100 mil e os envolvidos vão responder por maus-tratos aos animais e formação de quadrilha.
Fonte: R7

Moradora adota mais de 40 animais abandonados na Serra do Mar de SP


Helena abriga mais de 40 animais abandonados (Foto: Helena Maria da Silva Bispo / Arquivo Pessoal)
Para muitos moradores dos bairros de encosta da Serra do Mar, em Cubatão, no litoral de São Paulo, a chance de morar em uma nova residência pode significar um recomeço de vida. Porém, para os animais destas famílias, essa mudança pode gerar abandono e tristeza. Desde 2010, cerca de 2.500 famílias foram removidas de áreas de risco e encaminhadas para apartamentos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). Com isso, muitos deixaram para trás os cães e gatos. Mas graças a uma moradora do bairro Cota 200, esses animais ganharam uma segunda chance.
A dona de casa Helena Maria da Silva Bispo resolveu adotar 35 cães e 10 gatos. Eles foram abandonados pelas famílias e foram encontrados em situações precárias. “Algumas famílias se mudaram para os prédios e deixaram os bichos amarrados em casa, sem comida e sem beber água. Não pude vê-los passando fome e sede”, afirma Helena. Ela cuida dos cães e gatos há cerca de três anos. Segundo ela, os animais são alimentados com dinheiro do próprio bolso, sem a ajuda de ninguém. “Recebo apenas R$ 500,00 como pensionista. Com parte desse dinheiro eu comprava a comida para eles”, relata.


Filho de Helena brinca com os animais (Foto: Helena Maria da Silva / Arquivo Pessoal)













A história mudou quando a dona de casa resolveu divulgar a situação nas redes sociais. Agora ela conta com o apoio de algumas pessoas que contribuem com ração, papelão e cobertores, além da ajuda da Associação em Defesa da Vida Animal (ADVAC), de Cubatão, que contribui com atendimento veterinário e providenciou a castração dos bichinhos. Questionada sobre a possibilidade de colocar os animais à adoção, Helena fica triste. “Eventualmente terei que fazer isso com os pequenos, mas já peguei amor por eles. Nem me importo mais de acordar às 6h com os latidos”, conta.
Além dos cachorros e gatos recolhidos pela moradora, existem outros espalhados entre os bairros Cotas, Grotão, Água Fria e Pinheiro do Miranda. De acordo com a representante da ADVAC, Denise Gobi, cerca de dois mil animais foram ou ainda serão abandonados, já que o projeto de remoção de moradores das áreas de risco ainda não foi concluído. Por causa disso, a Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB de Santos, no litoral de São Paulo, iniciou uma campanha para arrecadação de ração, medicamentos, cobertores, toalhas e casinhas, entre outros produtos, que serão destinados a ONGs que cuidam dos animais abandonados na Serra do Mar, em Cubatão. Interessados em fazer doações podem comparecer à Praça José Bonifácio, 55, no Centro, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18h.
Em nota, a CDHU afirma que já tem pronto um projeto de abrigo para os animais abandonados na Serra do Mar e aguarda a oficialização da cessão da área disponibilizada pela prefeitura de Cubatão para essa finalidade. Desde o início do Programa da Serra do Mar, técnicos sociais da Companhia vêm acompanhando os moradores, que são orientados a não abandonar os animais durante o processo de remoção. Nas reuniões de pós-ocupação que visam à constituição do condomínio, os próprios moradores decidem, por meio de votação, se o conjunto poderá ou não ter animais.
Cômodo ganhou diversas "casinhas" para os animais (Foto: Helena Maria da Silva Bispo / Arquivo Pessoal)
Fonte: G1

Gatinho é encontrado morto em caixa lacrada


Foto: Fátima Chuecco
Os ativistas da causa animal desenvolvem a intuição para localizar crueldades. Muitos, de tanto resgatar bichos, desenvolvem, além da intuição, o olfato e a audição. São pessoas capazes de detectar miados e latidos de socorro em locais abertos e cobertos por outros ruídos altos de uma cidade como São Paulo. É como se ficassem dotados de superpoderes para combater o mal contra animais.
Embora eu não atue diretamente em resgates, creio que também desenvolvi minha intuição por escrever desde o início da minha carreira sobre proteção animal. Foi assim que na última quarta-feira, indo para o mercado, uma caixa colocada na esquina da minha casa me chamou a atenção. Não tinha cheiro ruim e nem se movia, mas estava selada com frita crepe e, imediatamente, lembrei de casos em que gatinhos foram achados mortos em caixas de papelão extremamente lacradas.
Podia ser também apenas um capricho de alguém para a caixa não ser aberta e o lixo espalhado pela calçada. Mas algo dentro de mim me dizia pra abrir a caixa. Chegando mais perto pude perceber que, além da fita crepe, as bordas estavam coladas. Abri e vi jornais e sacos plásticos sendo que, dentro de um deles, havia um gatinho branco.
Pelo tamanho da cabecinha dava para deduzir que se tratava de um gatinho jovem, com até seis meses. As patinhas da frente estavam juntinhas e as unhas, grandes e grossas, todas saltadas. Os olhinhos fechados, a boquinha semiaberta e o corpo um pouco endurecido.
Achei melhor acionar o 190 porque podia haver mais animais dentro da caixa e se tratar de caso de maus-tratos ou de um serial killer nas redondezas. A informação foi de que o 190 só atendia chamadas referentes a “humanos”. Daí em diante começou a saga por ajuda ligando para diversos números.
Foto: Fátima Chuecco
Delegacia demonstra mentalidade avançada
Com ajuda do policiamento ambiental da Água Funda, cujos atendentes foram extremamente atenciosos, finalmente fui atendida pelo 190 e duas viaturas policias preservaram o local enquanto me locomovi até a delegacia mais perto, a 17ª do Ipiranga, para fazer B.O. O que eu pensei que fosse ser uma tarefa árdua tentando mostrar a importância de se investigar um caso como esse, teve um desfecho bastante diferente. Algo para outros policiais, delegados e sociedade em geral se inspirarem.
Segundo extensa pesquisa do FBI, cerca de 80% dos psicopatas começa a carreira matando animais. Por isso, em países como Estados Unidos e Inglaterra, por exemplo, os matadores de animais já são tratados e julgados de forma diferenciada. Nesses locais já se entende que deter esses indivíduos ou monitorá-los representa uma medida preventiva, de proteção não somente aos animais, mas a toda à sociedade.
Muitos dos psicopatas treinam seus métodos em animais antes de migrarem para crianças, mulheres e outras pessoas indefesas. Portanto, caso envolvendo animal morto com algum indício de crueldade não pode ser tratado com desdém pela polícia. Mas há outra razão que determina o atendimento policial: a Lei 9.605/98 de maus-tratos a animais. E por entender muito bem tudo isso, o delegado da 17ª abriu B.O e pediu perícia. Nem parecia que eu estava no Brasil tal o atendimento profissional e ético dos PMs e na delegacia.
A corrente do bem
Quando a perícia do IC – Instituto de Criminalística chegou, outra surpresa agradável. A fotógrafa pericial também demonstrou amor pelos animais e tratou o caso com todo respeito e profissionalismo. Enquanto isso, uma policial civil, do outro lado da cidade, fazia de tudo para conseguir a necropsia do gatinho que, estranhamente, não é custeada pela prefeitura nem nesses casos em que um assassino frio pode estar envolvido.
Mas, enfim, todos os que tiveram contato com o caso naquela tarde pareciam movidos por uma corrente do Bem… ou da Justiça. O gatinho tinha duas bolas (talvez da própria carne) penduradas ao copo. Uma bastante grande. Mas estavam totalmente amassadas, como se um caminhão tivesse passado por cima. Era um gato peludo, bem limpinho – o que indica que não se tratava de um animal de rua que, por ventura, foi achado morto e embalado para o lixeiro levar.
Agora será necessário aguardar a necropsia do departamento de patologia da USP para descobrir se foi caso de maus-tratos. O mais importante é que todos, a partir desse episódio, saibam que devem contar com ajuda policial nesses casos. Devem ter a Lei 9.605/98 na ponta da língua porque, muitas vezes, falta apenas orientação sobre essa lei aos atendentes do 190. É também importante ficarmos atentos a caixas muito lacradas colocadas para os lixeiros levarem. Lixo não sai correndo. Então, se tem lacre, averiguem.
fonte:anda

Mulher faz BO por atropelamento do cão da família


Foto: Reprodução/G1
A tutora de um rottweiler registrou um boletim de ocorrência na terça-feira (31) e quer a punição do motorista que atropelou e matou o animal, segundo ela, propositalmente no Bairro Tabapuá, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com Maria Cláudia Cajado Sousa, o filho de 13 anos está deprimido e não se alimenta bem desde a morte do cachorro chamado Help. Ela registrou BO no 18º distrito policial, em Fortaleza.
De acordo com a denúncia feita por Claúdia à Sociedade Protetora de Animais (SPA) e à Polícia Civil, Help foi atropelado na tarde do último dia 31. Segundo o relato de três testemunhas à polícia, um homem que conduzia uma caminhonete modelo Hilux parou o veículo e buzinou para animal sair da rua. Como o animal não saiu, ele acelerou bruscamente e atropelou o cão.
“Foi por maldade”, disse a tutora do cachorro. Segundo ela, Help tinha nove anos e era um cachorro dócil. O diretor presidente da SPA, Márcio Souza, disse que a instituição vai acompanhar a investigação sobre o caso junto a Polícia Civil. O condutor do veículo foi chamado para prestar esclarecimentos na delegacia nesta manhã, mas não compareceu. O G1 entrou em contato com o motorista pelo telefone celular, no entanto, as ligações não foram atendidas.
Assista à reportagem aqui.
Fonte: G1

Cerca de 80% das pessoas são a favor da criação de hospitais públicos para animais


Foto: Luiz Vasconcelos
Muitas pessoas são a favor da criação de hospitais públicos veterinários para o atendimento de animais doentes. O primeiro do país foi criado recentemente no bairro do Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. Lá são oferecidos tratamentos variados para os bichos que necessitam de cuidados especiais. Mas, essa questão divide opiniões da população e de profissionais, que julgam a necessidade de haver cautela nessa discussão.
Em uma enquete realizada entre os dias 27/07 e 3/08 pelo Portal acritica.com, a maioria dos internautas votou a favor da criação de hospitais veterinários públicos para atendimento de animais nas cidades do Brasil.
Com um total de 938 votos, 77,7% das pessoas que participaram são a favor da criação desses hospitais e 22,2 % são contra.
Centro de Zoonoses
Embora a população seja favorável, o assunto é tratado com bastante cuidado por médicos veterinários.
Alguns profissionais chegam a ser taxativos em dizer, que a criação de um hospital público para animais na cidade na verdade não seria necessária, já que em Manaus existe um Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) que disponibiliza alguns procedimentos gratuitamente para os animais.
Para o Coordenador e Professor do Curso de Medicina Veterinária da ESBAM, Dr. Breno Schumaher Henrique, o que poderia ser feito em Manaus é ampliação do CCZ.
“O Centro de Controle de Zoonoses já faz atendimento de animais para cirurgias de castração. Uma possibilidade é a ampliação das atividades para algo similar ao que ocorre em outros estados e isso ocorrendo, não haveria necessidade de implantação do hospital público. Além disso, a imagem negativa que muitos têm do CCZ iria ser modificada”, ressaltou o veterinário.
Cautela
Mesmo Dr. Breno acreditando que o ideal é a estruturação do CCZ, ele ressalta ainda que caso haja a abertura dos hospitais veterinários na cidade de Manaus, isso poderia ser benéfico para os animais e veterinários.
“Além de favorecer a população em geral com os cuidados com os animais e a saúde pública, também haveria abertura de novas vagas de emprego para os médicos veterinários de Manaus, com a abertura de concursos públicos. Entendo ser interessante para toda a sociedade brasileira a existência de hospitais veterinários públicos, porém algumas questões são importantes e devem ser amplamente discutidas no âmbito municipal e estadual, para a realização desse empreendimento”, declarou.
O veterinário ressalta ainda que é preciso a definição de uma política pública bem definida para a destinação necessária de recursos. “Ainda para ilustrar, é informado que o hospital público de São Paulo, conta com 28 funcionários, deste 16 são veterinários e a associação recebe repasse mensal de R$ 600 mil reais, da prefeitura para administrar o local e tem como meta mil consultas e 180 cirurgias/mês (…) os profissionais que trabalharem nesse hospital devem ter cargos e salários bem definidos, não sendo permitido atendimento sem cobrança, que nesse caso será pago pelo Estado/ Município”, destaca.
Resgate de animais abandonados
No Brasil, muitas pessoas resgatam animais abandonados e doentes das ruas do País. Na maioria das vezes, os cães e gatos estão sujos, maltratados ou até mesmo com alguma doença e precisam receber cuidados médicos.
Para a universitária Missony Gabrielle, 26, que é uma apaixonada por animais e tem 20 cães em casa, a idéia da criação de um hospital público veterinário na cidade é muito boa e ela é totalmente a favor desde que seja algo planejado e organizado, para que não vire um projeto ‘fantasma’.
“Acho que a criação de qualquer programa de ajuda a animais é uma boa idéia, porém ainda existe a falta de informação da população. Resgatar um bichinho não é só levá-lo para sua casa e dar água e comida. Ele precisa de cuidados básicos como vacinas e quando algum problema acontece e você não tem pra onde levá-lo em caso de urgência e emergência se não tiver condições financeiras, acaba abandonando o animal na rua novamente”.
Missony ressalta que a criação de um hospital público serviria ainda de escola para estudantes do curso de veterinária. “Para quem cuida de animais, o que não falta é boa vontade. Esses hospitais seriam mais um local para os finalistas do curso de veterinária e muitos bichinhos poderiam ser ajudados”, finalizou.
Fonte: A Crítica

Homem salvou filhote de urso que estava em um rio no Alasca. (Foto: Reprodução/Youtube) Um filhote de urso que estava em apuros em um rio no Alasca (EUA) foi salvo por um grupo de homens que estavam em um barco. Segundo informações do G1, o resgate durou cerca de 15 minutos até que os homens conseguissem finalmente libertar o filhote na costa onde estava sua mãe. Assista ao vídeo do resgate:

Pesquisador acha perfeitamente concebível que animais distantes dos vertebrados, como os moluscos cefalópodes, possuam estados conscientes
Foto: Getty Images
Aquele olhar enigmático do gato, aquela ação inesperada do cão ou aquele passarinho que atrai o peixe com pão. Como são espertos!, você pensa. Os cientistas não pareciam concordar. Até o dia 7 de julho, quando neurocientistas se reuniram para assinar um manifesto na Universidade de Cambridge, na Inglaterra: "As evidências apontam que os humanos não são os únicos a possuir os substratos neurológicos que geram a consciência", concluíram. O nível dessa consciência presumida, no entanto, é desconhecido.
"Quando nós dizemos que 'são conscientes', normalmente se pensa em 'consciente como um humano'. É claro que eles não são conscientes como o ser humano", enfatiza Bruno Van Swinderen, professor do Brain Institute, da Universidade de Queensland, Austrália. "Uma vaca tem uma memória de vaca, e nenhum histórico de entendimento do motivo dela ser levada de um lado para o outro no pasto e ser alimentada. Mas a vaca tem uma consciência, que pode envolver mecanismos que levam à consciência humana, apenas menos complexos e sem o histórico humano".
O manifesto publicado em Cambridge - e assinado por cientistas renomados, com apoio do físico Stephen Hawking - não aponta grau de consciência, mas se encarrega de indicar alguns dos animais que possuem as faculdades neurológicas geradoras de consciência: "Todos os mamíferos e pássaros, e muitos outros, incluindo os polvos". Esses são, portanto, alguns dos principais alvos dos estudos de consciência.
David B. Edelman, pesquisador da área de neurobiologia experimental do Instituto de Neurociências, em San Diego, argumenta que, até pouco tempo atrás, grande parte da neurociência tinha se mantido cética sobre essa questão. "Agora, com o acúmulo de evidências que sugerem estados conscientes em primatas, além das aves e papagaios, particularmente o trabalho de Irene Pepperberg com estes, os neurocientistas estão mais dispostos a envolver a questão da consciência em animais não humanos", justifica.
O que é consciência
Apesar do manifesto, ainda não há um consenso sobre a definição de consciência entre os pesquisadores. A maioria dos animais tem sistemas de memória e mecanismos de atenção, e a interação entre esses dois processos cresce em complexidade, de moscas a humanos. Conforme Swinderen, alguns neurocientistas utilizam medidas dessa complexidade para sugerir estados conscientes, como Giulio Tononi e sua medida "Phi", uma variável quantitativa.
Edelman, entretanto, não tem uma opinião quantitativa sobre a consciência. "Meu ponto de partida é a premissa de que a forma mais básica de consciência envolve, primeiramente, a conexão de estímulos sensoriais para a produção de uma coerente e unificada percepção e, segundo, a retenção dessa percepção na memória, mesmo que de forma fugaz", explica.
Consciência no espelho
Distinta da medida quantitativa de Giulio Tononi, a indicação de consciência mais comum é a consciência de si mesmo. Assim como Swinderen e Edelman, a pesquisadora e professora de psicologia da Hunter College, nos Estados Unidos, Diana Reiss, também assinou o manifesto. Ela investiga as habilidades cognitivas de golfinhos e elefantes, analisando de que forma eles respondem a um espelho. Diana estuda o índice de consciência medido pela maneira como os indivíduos respondem a seu reflexo. "Eles entendem a representação externa de si mesmos?", questiona a pesquisadora. Os seres humanos, macacos, golfinhos, elefantes e pombos mostram esse tipo de autoconsciência, segundo ela.
Humanos x não humanos
Para medir a similaridade entre a consciência dos animais e dos seres humanos, Swinderen explica que, além dos testes de autoconsciência, como o do espelho, tudo o que se pode fazer atualmente é estudar processos como a atenção e a aprendizagem e gravar a atividade cerebral correlacionada. "Um problema com a aprendizagem é que você pode treinar um animal para fazer muitas coisas que façam ele parecer consciente, mas que sempre pode ser explicada como uma série de reflexos", relata o pesquisador.
Atenção seletiva, sono e anestesia geral em humanos são alguns dos estudos que colaboram para a compreensão da consciência. Swinderen, que trabalha com neurociência comportamental, se utiliza desses mesmos estados comportamentais, com foco no modelo de organismo da mosca-da-fruta, a Drosophila melanogaster, para estudar sua percepção. "Meu interesse é na verdade sobre como o cérebro suprime a percepção, por exemplo, durante o sono, mas também atenção seletiva e através da ação dos anestésicos gerais", esclarece.
Até a mosca?
Não dá nem para limitar o universo de animais conscientes. Pelo critério mais clássico, de autoconsciência, conscientes seriam os mamíferos maiores, como golfinhos, macacos e elefantes, de acordo com Swinderen. Analisando medidas de complexidade como o "Phi", contudo, até mesmo uma mosca poderia ser considerada. "Os cientistas ainda estão no escuro sobre esse assunto. Nós precisamos entender antes o trabalho de atenção e memória antes de imaginar como esses processos podem interagir para construir uma criatura consciente ao longo do tempo", argumenta.
Para Edelman, o "clube da consciência" nos animais não é tão exclusivo quanto se pensava. Segundo sua própria visão de consciência, o pesquisador acha perfeitamente concebível que animais distantes dos vertebrados, como os moluscos cefalópodes, particularmente o polvo, possuam estados conscientes. "Eu arriscaria dizer que todos os mamíferos e a maioria, se não todas, as aves, experienciam estados de consciência". Evidências comportamentais para apoiar a afirmativa existem, conforme o cientista.
O polvo
Edelman estuda o cérebro e o comportamento do polvo, com foco específico na visão dos moluscos cefalópodes. "Meu laboratório investiga as propriedades mais importantes da percepção visual do polvo, para que, algum dia, possamos combinar nossos estudos psicofísicos da visão do polvo com técnicas eletrofisiológicas que nos permitam identificar determinados correlatos neurofisiológicos da visão deste moluscos", elucida o pesquisador.
Segundo ele, a partir de perspectivas neurofisiológicas e neuroanatômicas, é difícil argumentar que os polvos têm alguma forma de consciência. Não que isso não possa ser sugerido, mas não existem ainda dados suficientes para permitir comparações com os mamíferos ou com os vertebrados, por exemplo.
Debate ético
Mais do que corroborar uma visão científica, o manifesto pode promover um debate acerca dos direitos dos animais. "A declaração é um reconhecimento, em primeiro lugar, que os seres humanos não detêm o monopólio da consciência e, em segundo, que há um corpo razoável de evidências científicas que sustentam estados conscientes em uma variedade de animais não humanos, incluindo, não de forma limitada, mamíferos e aves", afirma Edelman.
A noção de que os animais possuem consciência pode ser desconfortável, dependendo dos hábitos alimentares do indivíduo. Se os animais têm consciência, eles também sofrem. "É difícil tornar o animal um objeto se evidências apontam que aquele animal está consciente de seu mundo - e, mais ainda, de que aquele animal está consciente de estar consciente. Autoconsciência em uma possível forma de presença subjetiva em animais não humanos deveria necessariamente impor um maior carinho e cuidado com o bem-estar dos animais não humanos", acrescenta.
Swinderen, por outro lado, não imagina que as descobertas impliquem necessariamente mudanças de comportamento, mais especificamente de hábitos alimentares dos seres humanos. "Eu concordo que alguns animais não humanos são provavelmente conscientes, mas eu acho que a maioria das pessoas já pensava assim antes. Eu ainda como carne, assim como mato milhares de moscas diariamente em meu laboratório. Devo admitir que eu teria problemas em matar qualquer outro animal sozinho, mas isso já acontecia antes da Conferência de Cambridge", encerra.
Confira a declaração da conferência, em inglês, de que os animais têm consciência.
fonte:noticias.terra

comentá\rio: 
Até as pedras têm consciência e recebem o AMOR - Alber

Filhote de urso é resgatado em rio no Alasca


Homem salvou filhote de urso que estava em um rio no Alasca. (Foto: Reprodução/Youtube)
Um filhote de urso que estava em apuros em um rio no Alasca (EUA) foi salvo por um grupo de homens que estavam em um barco.
Segundo informações do G1, o resgate durou cerca de 15 minutos até que os homens conseguissem finalmente libertar o filhote na costa onde estava sua mãe.
Assista ao vídeo do resgate:
fonte: anda

Homem é detido suspeito de atirar em gato de vizinha no Norte de SC

Gato foi atingido por arma de compressão (Foto: Agência RBS)

Um homem foi detido na manhã desta sexta-feira (3) em Jaraguá do Sul, no norte catarinense, suspeito de atirar contra o gato de uma vizinha. O suspeito, de 26 anos, foi flagrado pela polícia com uma espingarda de ar comprimido em uma residência no bairro Três Rios do Norte.
Segundo o delegado que atendeu o caso, Weydson da Silva, o rapaz atirava contra uma placa na rua e, quando o gato passou no muro entre a casa dele e o da vizinha, o homem atirou propositalmente contra o animal, que teve o olho esquerdo atingido.
A Polícia Militar foi acionada e o rapaz, o gato e a tutora do animal foram levados até a delegacia. A arma, que não precisa de registro para porte, foi apreendida. Um veterinário foi chamado à delegacia e afirmou que o olho esquerdo do animal talvez precise ser amputado. O rapaz vai responder em liberdade por maus-tratos de animais. Ele vai ser intimado no juizado especial criminal, que cuida de pequenas causas.
Fonte: G1

Feiras livres de Maceió (AL) comercializam aves em extinção

Nas feiras livres de Maceió (AL) o Bom Dia Brasil flagrou um crime ambiental. O comércio é ilegal, mas em uma feira em Maceió é tudo escancarado.
“Leve esse para você ver ele cantando daqui a pouco cantando. Ele quer R$ 70, você paga mais R$ 25, pega nessa gaiola e já leva completo. Canta que abusa”, diz um dos vendedores no local.
Quanto mais raro e bonito o canto, maior o valor no mercado clandestino. Os pássaros de briga também são mais caros.
Vendedor: Você me dá 100 ‘conto’ nesse canário.
Produtor: Em um?
Vendedor: Sim. É de briga e cantador, rapaz. É para vender.
A Jandaia, espécie ameaça de extinção, é oferecida como se fosse uma pechincha: “R$ 30, novinha, novinha”, afirma o rapaz.
Os pássaros são mal tratados, dividem gaiolas pequenas, ficam sem água, sem comida e são transportados em sacolas. Sob o alerta dos vendedores: “Fique por aí não, porque se o Ibama chegar, leva na hora”, diz.
Os flagrantes foram mostrados a um tenente do Batalhão Florestal. “A multa para um pássaro desse tipo é a partir de R$ 500, mas neste caso em que está na lista de extinção do Ibama, sobe para R$ 1 mil cada pássaro”, explicou Anderson Barros, tenente do batalhão de Alagoas.
A pena para quem vende animais sem autorização varia de 6 meses a 1 ano de prisão, mas os criminosos parecem certos da impunidade. De acordo com a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres, este é o 3º maior comércio ilegal do mundo, atrás do tráfico de drogas e de armas.
Os criminosos movimentam por ano 10 bilhões de dólares em todo o mundo, às custas da sobrevivência das espécies.
Fonte: G1



Gorilas são localizados em área dominada por rebeldes

Guerra no Congo

Costa prateada achado essa semana (Foto: ONG GorillaCd)
A busca pelos gorilas do Parque Nacional de Virunga, iniciada na terça-feira, localizou quatro das sete famílias acostumadas ao convívio humano. Encontraram o gorila Humba, o Rugendo e as famílias Munyaga e Kabirizi – porém essa última apenas em parte. A primeira impressão é de que estão todos saudáveis.
Gorila achado essa semana (Foto: ONG GorillaCd)
Mais de dois meses de violentos combates entre rebeldes e forças armadas congolesas ao redor so setor dos gorilas impediu os guardas florestais (Hugos) de monitorar essa espécie criticamente ameaçada de extinção no mais antigo parque nacional da África, causando preocupação com sua saúde e segurança. Oito equipes espalhadas pelas florestas saíram em busca de sinais dos gorilas a partir da base em Bukima. Alguns dos gorilas não são vistos há mais de três meses. “Foi realmente incrível ver os gorilas novamente após tanto tempo de luta. Vários deles estenderam a mão para nos tocar e cheirar. Eles deixaram de nos ver por um tempo muito longo e então pareciam curiosos”, disse Mburanumwe Inocêncio, chefe do Setor dos Gorilas.
                                                 Hugos localizaram gorilas (Foto: ONG GorillaCd)
As equipes continuarão em busca das famílias de gorilas restantes para identificar individualmente cada membro e avaliar a sua saúde já que eles são bastante vulneráveis às doenças humanas. A invasão de muitos soldados em seu habitat pode causar severas consequências. Os Hugos também removerão todas as armadilhas e protegerão os gorilas de caçadores furtivos. Ou seja, uma árdua luta pela frente além da que já assola o país. E a única ajuda que podemos dar é compartilhando as notícias para chamar a atenção para o sofrimento que assola o país ou contribuindo financeiramente para a ONG Gorilla CD que é quem mantém os guardas florestais. O procedimento para ajuda por meio de cartão de crédito estão no site www.gorillacd.org
Foto: ONG GorillaCd
De 
De: anda.

Polícia fecha local de criação de galos para rinhas no norte do RJ


Policiais da Delegacia de São João da Barra (145ª DP) fecharam nesta quinta-feira (2) um local de criação de galos para rinhas, na rua Rizzio da Graça Raposo, no bairro da Chatuba, em São João da Barra, no norte do Estado do Rio de Janeiro.
Os policiais, que possuíam um mandado de busca e apreensão concedido pela Justiça de São João da Barra, encontraram no interior do estabelecimento, 76 galos de briga, estufa para criação de pintos, alimentação para os animais, pintos em estufa, caderno com anotações sobre a identificação dos animais, além do local que os criminosos utilizam para colocar os galos para brigar.
O proprietário do local foi levado para a delegacia, onde informou aos agentes que criava galos com o objetivo de vender para pessoas com interesse em rinhas de galo, inclusive para fora do Estado.
De acordo com o delegado titular da unidade, Gustavo Valentini, os animais encontrados no estabelecimento foram avaliados em mais de R$ 100 mil e os envolvidos vão responder por maus-tratos aos animais e formação de quadrilha.
Fonte: R7

EUA

Foto: Reprodução
Uma cadela levou a pior em uma luta contra um porco-espinho em Blanchard, no estado de Oklahoma (EUA). A cachorra chamada “Bella” ficou com dezenas de espinhos cravados na face e em outras partes do corpo, segundo a emissora de TV “News 9″.
“Bella” foi levada para um hospital veterinário na cidade de Norman, onde os espinhos foram retirados.
Segundo os veterinários, havia cerca de 500 espinhos na cadela.
Segundo os veterinários, havia cerca de 500 espinhos na cadela. (Foto: Reprodução)

'Bella' foi levada a um hospital veterinário na cidade de Norman, onde os espinhos foram retirados. (Foto: Reprodução)
Fonte: G1