sábado, 25 de agosto de 2012

Pato está praticamente imóvel há mais de 48 horas em árvore

Especialista acredita que animal seja um exemplar de pato-do-mato (Foto: Iasmin Alvarez/Arquivo Pessoal)
Um pato foi encontrado em cima de uma árvore em um bairro em Santos, no litoral de São Paulo, na última quarta-feira (22). Uma moradora ficou curiosa e tirou fotos do animal, que parecia estar bem acomodado. Nesta sexta-feira (24), o pato permanecia praticamente no mesmo lugar, observando as pessoas que passavam.
O animal está morando nas árvores do bairro da Aparecida há mais de dois dias. Iasmin Alvarez avistou a ave em cima de uma árvore próxima ao prédio em que mora na rua Oswaldo Cochrane, no bairro do Embaré. Segundo a moradora, ele apareceu na quarta-feira e apenas trocou de galho durante esse período. “Quando eu falo que tem um pato na árvore todos ficam achando que eu estou louca”, diz ela. Iasmin conta que ficou preocupada e ligou para diversos órgãos ambientais, mas que ninguém foi até o local para verificar se o animal estava bem.
A bióloga Ana Beatriz Comelli, do Orquidário Municipal de Santos, analisou as fotos enviadas pela moradora. Ela disse que o animal deve ser um exemplar de pato-do-mato. Segundo ela, essa espécie não costuma aparecer em áreas urbanas da Baixada Santista. Ela ainda explica que o pato-do-mato gosta de, tradicionalmente, descansar empoleirado.
Fonte: G1

Petição de ativistas conquista habitat protegido para onças

Qanto vale uma petição!
Por Patrícia Tai (da Redação)

Foto: Care2
O Serviço de Vida Selvagem dos EUA anunciou recentemente que irá proteger 3400 km² – uma área maior que o estado de Rhode Island – como “habitat crítico” para onças ameaçadas no sul do Arizona e no Novo México. As informações são da Care2.
Mais de 14 mil leitores do site Care2 assinaram uma petição dirigida ao Secretário do Interior, Ken Salazar, e ao seu Departamento, cobrando o cumprimento da sua promessa de proteger as onças e seu habitat. A petição, patrocinada pelo Centro para a Diversidade Biológica, apelou ao Departamento do Interior para conceder às onças um habitat protegido nos EUA, e para desenvolver um plano de recuperação para salvar a espécie.
Embora as onças sejam muitas vezes consideradas criaturas tropicais, estes felinos também habitaram o Sudoeste dos Estados Unidos. Como o lobo cinzento, as onças foram expulsas dos Estados Unidos por programas de caça federais e estaduais.
Mas recentemente, dois avistamentos de onça foram confirmados no sul do Arizona!
Kieran Suckling, diretor executivo do Centro para a Diversidade Biológica, explica:
“As onças vagaram uma vez através dos Estados Unidos, da Califórnia para a Louisiana, mas foram praticamente extintas aqui desde os anos 50.
A proposta de hoje na criação do habitat protegido irá garantir maiores retornos da população dos felinos na América do Norte, nas montanhas selvagens e desertos do Sudoeste americano. Onças são uma parte espetacular do nosso património natural e pertencem a todos os americanos. Tão seguramente como águias, lobos e ursos”.
As onças foram listadas como uma espécie em extinção, em 1997, em resposta a uma petição de cientistas e uma ação judicial apresentada pelo Centro para a Diversidade Biológica. Em 2007, a American Society of Mammalogists declarou que a criação de uma população de onças nos EUA é essencial para a sobrevivência da espécie no longo prazo, em função de mudanças nos ecossistemas provocadas pelo aquecimento global. Apelou-se para que o Serviço de Vida Selvagem americano preparasse um plano de recuperação federal da população de onças, e protegesse seu habitat. A proposta de hoje vem em resposta a uma ordem judicial de 2009, assegurada pelo Centro para a Diversidade Biológica, requerendo ao Serviço de Vida Selvagem um plano de recuperação e a criação do habitat crítico para garantir a recuperação da espécie.
A área de habitat crítico, cujo projeto será concluído no prazo de um ano, abrange seis unidades nos municípios de Pima, Santa Cruz, e Cochise, bem como no Arizona, em Hidalgo, e no Novo México.
Ótima notícia, e a Care2 agradece a todos os que assinaram a petição! Eles fizeram a diferença.
Fonte: anda

Ativistas exibem estátua de leão enjaulado para protestar contra uso de animais em circos

Por Helena Barradas (da Redação)
Com uma criativa intervenção pública, a Animanaturalis realizou o lançamento oficial da sua campanha “Circos Sem Animais”, com grande repercussão nos meios de comunicação nacionais. 

No dia 20 de agosto, o bairro de Providência, em Santiago do Chile, foi surpreendido por uma chamativa e interessante proposta nas ruas: as tradicionais estátuas de leões, na Avenida Providência, amanheceram enjauladas como símbolo do sofrimento em cativeiro a que são submetidos centenas de animais nos circos do Chile. Além das grades, havia também as inscrições “Chega deste espetáculo” e “Circos sem Animais”. Com isso, buscaram despertar o interesse e a atenção dos meios de comunicação, além de provocar um impacto significativo nos pedestres e motoristas que por ali passavam. Muitas pessoas se aproximaram para fotografar a campanha com seu celular e compartilhar o evento na internet.
A campanha tem como objetivo alcançar a promulgação de um projeto de lei, que atualmente se encontra no Congresso Nacional e que proíbe, de norte a sul do território do país, a existência de circos que utilizem animais em seus espetáculos.
Para conseguir seu objetivo, durante os próximos meses, a AnimaNaturalis realizará diversas ações, tais como a divulgação de mensagens nas redes sociais, atos em vias públicas e, é claro, uma grande coleta de assinaturas, contando com o apoio da comunidade. Parte das iniciativas engloba promover reuniões com parlamentares que apoiem essa iniciativa.
A AnimaNaturalis convida a todos que sonham com um país mais justo a participar desta campanha. Acesse aqui para participar.
Fonte: anda

Material escolar ensina às crianças respeito e empatia pelos animais

Por Bethânia Maggi Balielo (da Redação – Suécia)
Foto: Reprodução/REDE
Um material básico para o desenvolvimento da empatia em crianças vem sendo há tempos solicitado na Suécia. A organização animal Djurskyddet está lançando o Mini-REDE, constituído de 10 exercícios básicos para crianças praticarem a capacidade de empatia, tanto para com animais quanto para com humanos. Neste contexto, a organização também lançou um novo site onde os exercícios podem ser baixados gratuitamente.
REDE significa Respeito, Empatia, Animais (Djur em sueco) e Ética e tem sido até agora disponível para crianças em nível primário. Um estudo na Universidade Mälardalen mostrou que tais exercícios têm causado significativo desenvolvimento da empatia nas crianças. A demanda para escolas de nível primário tem sido muito grande e um material para crianças mais jovens, em nível pré-escolar, também foi elaborado.
- O modo como tratamos os animais já é definido desde quando somos crianças. Por isso é tão importante começar cedo, já no jardim de infância! Há evidências científicas que mostram que existe uma conexão entre a forma como tratamos os animais e como tratamos as pessoas. Violência contra animais muitas vezes desenvolvem o senso de violência contra humanos. Trabalhar com respeito, empatia, animais e ética paras crianças deveria ser prioridade de interesse público, diz a secretária geral da Djurskyddet Åsa Norderstedt.
O material Mini-REDE é financiado pelo Allmänna Arvsfonden (Fundo de Herança do Estado Sueco) e a curiosidade de professores de educação infantil em todo o país pelo material é grande.
- Estamos surpresos com tamanho interesse pelo material. Inúmeras manifestações de interesse chegaram muito antes de o material ter sido lançado, o que comprova que se este tipo de material é realmente necessário. Estamos muito satisfeitos em poder oferecê-lo gratuitamente, diz a gerente de projetos Sarah Lund.
Em conjunto com o lançamento do Mini-REDE o site foi revisado. O novo site contém, além do Mini-REDE para download e exercícios Mini-REDE online, uma “sala do conhecimento” para aqueles que estão interessados em ler material sobre o desenvolvimento de empatia, efeitos da relação entre animais e humanos, motivação, trabalho e outras áreas afins. Para todas as crianças encontra-se disponível agora o REDE Club, que foi lançado no início deste ano, também no site. Lá, crianças entre um e doze anos de idade podem participar com trabalhos artísticos e sugestões de bem estar animal, além de enviar desenhos e fotos de animais.
Fonte: REDE – Djurskyddet Sveriges värdegrundsmaterial

fonte: anda


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Isto não é normal, algo está errado na cabeça dos homens

Nós devemos  trazer esta questão à atenção do público!

Assine e compartilhe a petição! http://www.gopetition.com/petitions/trophyhunt/Sign.html
 
 Foto/Facebook

Gerra na Selva

 
Há uma guerra contra a vida selvagem e natureza acontecendo!
Ajude a parar a matança de ursos como troféus em British Columbia!
 
Assinem:
Sign and Spread the petition: http://www.gopetition.com/petitions/trophyhunt/sign.html


 Foto: Facebook

Comentário
O que é isso, que mndo é esse? Não acredito que seja verdade o que vejo. As palavras não saem, a mudez  impede qualquer som.
Estão destruindo meus irmãos, meus amigos , minha terra.Não consigo dizer nada... as lágrimas impedem

Inacreditável!

De END FACTORY FARMING

 Vivo neste planeta? Sim, vivo neste planeta.
Qe fiz eu para ter este castigo, pertencer a esta raça? Estou purgando, que pecados do passado?


Quem somos?

Foto/Facebook /album
CADEIA PARA QUEM MALTRATA OS ANIMAIS
 
Como atacar os depredadores dos animais?

Suínos vivos estão expostas a armas químicas tóxicas

 
 
Cada ano, membros da viagem militar canadense para investigação de defesa e Development Canada (DRDC) em Suffield, Alberta, para participar de um cruel ao vivo "agente" formação perfure que suínos vivos são expostos a armas químicas tóxicas como agentes sarin e mostarda. Suínos submetidos a este exercício bruto sofrem convulsões, batimentos cardíacos irregulares, dificuldade respiratória e sangramento e podem até mesmo morrer.

Em vez de atormentar os animais, outros programas de formação de militares e civis em todo o mundo agora usam métodos não-animais modernos como realistas simuladores de pacientes humanos, que — ao contrário de procedimentos brutos em suínos — pode ser programado para imitar a resposta humana a um ataque de armas químicas.

Em 2011, após uma campanha da PETA, o exército dos EUA substituiu o uso de animais em seu programa de treinamento de guerra química, afirmando que a mudança para simuladores de humanos superiores "foi possível graças a tecnologia melhorada, o desenvolvimento de métodos alternativos de formação,." mudando ambientes químicos ameaça e mudanças em competências médicas necessárias de socorristas durante um incidente químico Da mesma forma, médicos que trabalham com as forças de defesa de Israel desenvolveram um curso de preparação de ataque químico eficaz que usa somente sofisticados simuladores humanos, notando que, "uma sessão de laboratório animal é vista como inaceitável".

Porque válidos simuladores existem e estão sendo usados em todo o mundo, a DRDC do envenenamento de suínos — além de ser extremamente cruel e ineficaz — viola claramente diretrizes de bem-estar animal canadense que exigem que as alternativas à utilização de animais ser usado quando disponível.

Por favor me ajude suínos de reposição desta formação de acidentes químicos arcaica e cruel agora enviando e-mails educados para oficiais militares canadenses instando-os a tomar medidas imediatas para substituir o uso de animais com métodos de treinamento não-animal superior.
 
Assinem menssagem em:
https://secure.peta.org/site/Advocacy?cmd=display&page=UserAction&id=4257&utm_campaign=0812%20Help%20Stop%20Canadas%20Military%20From%20Poisoning%20Pigs%20Post&utm_source=PETA%20Facebook&utm_medium=Promo

Bolivia expulsa a Coca Cola y a McDonald's 'en sintonía' con el calendario maya

 

El gobierno boliviano decidió poner fin a las operaciones de Coca Cola y MacDonald's

en el país a partir del próximo 21 diciembre para preservar su cultura y salud.

Comentário

Interessante,muitíssimo interessante! Se a moda pega os animais poderão estar salvos,

que isto se estenda aos abatedoures e contamine a todos os psicopatas. Vai ter muita gente

com as calças nas mãos e papel higiênico na outra, de medo do fim do mundo.

QEM NÃO DEVE NÃO TEME

Alber

Resíduos de origem animal

Sangue de animal

De acordo com a Agência de proteção ambiental, concentradas operações alimentação animais (CAFO) que confine a milhares de animais em um mecanismo único de geram um escalonamento 300 milhões toneladas de lixo anualmente. O desperdício é canalizado em lagoas maciças que emitem amônia, tóxico sulfeto de hidrogênio (que pode causar danos cerebrais e morte em humanos) e gases de metano. Estas fossas muitas vezes quebra, vazamento ou
estouro, enviando os micróbios perigosos, poluição por nitratos e bactérias resistentes aos medicamentosas em abastecimento de água do país.

Fazendas nos EUA geram mais resíduos de animais do que é feito por todos os seres humanos no mesmo país. Há cerca de 40 doenças que podem ser transmitidas a partir de dejetos de animais de fazenda para os seres humanos. Resíduos de origem animal não só contém agentes patogénicos, mas também os metais pesados, antibióticos, amônia, nitratos e outros químicos
動物之血
 

Os endinheirados




Quando não são os gafanhotos orientais, são os psicopatas ocidentais endinheirados.
Por favor, assine a petição pela preservação dos rinocerontes:

Hipopótamo morre após cair em piscina na África do Sul

Hipopótamo já foi retirado da piscina sem vida (Foto: AP Photo/Denis Farrell)
Morreu nesta sexta-feira (24) um jovem hipopótamo que caiu em uma piscina na África do Sul. Especialistas passaram os últimos três dias pensando em uma maneira de retirar o animal do local. Quando eles finalmente concluíram a operação, o hipopótamo já estava sem vida.
Solly, como ficou conhecido, caiu na piscina na terça-feira, quando foi expulso de seu bando por machos que buscavam o domínio dos outros. O incidente aconteceu no centro turístico Monate Lodge, uma área de preservação ambiental privada em Modimolle, no norte da África do Sul.
A piscina era grande o suficiente para que o hipopótamo se movimentasse e mergulhasse, mas ele não conseguia sair, pois não havia degraus. Desde então, os funcionários do centro vinham tentando encontrar uma maneira de retirar o animal de uma tonelada. O resgate foi um dos temas mais comentados da semana nas redes sociais na África do Sul.
Nesta sexta, o hipopótamo foi retirado da piscina com um guindaste, mas morreu durante os trabalhos de resgate.

Antes do resgate, hipopótamo nadava na piscina (Foto: AP)
Fonte: G1

Prefeitura de São José dos Pinhais (PR) fiscaliza denúncia de maus-tratos a animais

Animais foram trancados em um canil sem água e comida, num espaço sujo (Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente de São José dos Pinhais localizou casos de maus-tratos a cachorros, cavalos e um burro em fiscalização de controle de animais, na localidade rural do Agaraú.
Numa propriedade aparentemente abandonada, alguns cachorros estavam presos a coleiras e outros trancados em um canil sem água, comida e com fezes e muita sujeira no espaço em que ficavam.
Acompanhada da Guarda Municipal, a equipe da Secretaria de Meio Ambiente já compareceu três vezes ao local, sem encontrar o responsável. Um burro visivelmente maltratado e que mal conseguia andar devido ao seu casco será encaminhado para acompanhamento veterinário. Segundo a veterinária da Prefeitura Dariane Catapan, há possibilidade do animal ser levado a alguma universidade que possa abrigá-lo.
Dariane conta que a moradora havia sido notificada anteriormente e já se defendeu, alegando que está dentro da lei e recebe dinheiro para cuidar dos animais. “A responsável agora será intimada a prestar explicações sobre as condições em que se encontram os animais” explica a veterinária.
Fonte: Agora Paraná

Tutora de coelho recupera guarda de animal após disputa na justiça

Por Roberta Oliveira (da Redação – EUA)

Foto: News8
Oficiais da cidade de New Have, no estado de Connecticut, nos Estados Unidos, chegaram a um acordo sobre uma disputa de zoneamaneto, por causa de uma lebre de 9 quilos, após receber emails e telefonemas de pessoas do país inteiro pedindo que a lebre continuasse a ser cuidada por sua tutora, de acordo com informações do site News8.
Michael Freda, representante da prefeitura, informou que a cidade permitiu que Kayden Lidsky de 7 anos continuasse a cuidar da lebre chamada Sandy da raça gigante de Flandres, e informou que será revista a lei de zoneamento que levou à proibição há três semanas atrás. A regra não permite que a população mantenha coelhos ou animais que vivem em granja dentro de casa, em propriedades menores que 2 acres, ou 8.000 metros quadrados.
Os oficiais da lei de zoneamento entregaram uma intimação à família enquanto faziam investigações por causa de uma reclamação de um dos vizinhos, já que a residência é menor que o tamanho estipulado por lei.
“Estou feliz que isso tenha acabado”, disse o pai de Kayden. “Foi muito triste que isso tudo tenha ido tão longe. É duro para uma criança de 7 anos entender o porquê de alguém fazer isso tipo de coisa (a denúncia). Ela chorou noite e dia com medo de perder sua lebre.”
Desde que a disputa ocupou veio à tona na semana passada, mais de 4 mil pessoas assinaram a petição na Internet pedindo que a família não tivesse que se desfazer do seu animal.
A lei em questão é de 50 anos atrás, quando North Haven era uma grande comunidade de fazendas, e almejava prevenir que as pessoas criassem e vendessem coelhos e animais de granja.
É revoltante ver as autoridades gastando o dinheiro da população e tempo perturbando pessoas que cuidam bem de seus animais, em vez de se focarem em assuntos mais urgentes, como prevenir e punir a crueldade animal.
Para acessar mais fotos, clique aqui.
Fonte: anda

Americano mantinha 3 milhões de abelhas como animais domésticos

 EUA
O absurdo acontece!

Foto: RIA Novosti
A polícia confiscou a um habitante do distrito de Queens da cidade de Nova York, nos EUA, cerca de 3 milhões de abelhas, que o homem mantinha como “animais domésticos” no quintal de sua casa.
A enorme “coleção” de insetos foi encontrada por agente imobiliário, que veio para avaliar o prédio que está sendo posto à venda. Vendo as 45 colmeias, ele imediatamente alertou a polícia. Demorou mais de quatro horas para selá-las, e evacuar as abelhas.
Fonte: Voz da Rússia

Animais envenenados


Animais de estimação têm aparecido mortos na Quadra 18 do Gama Oeste, região administrativa do DF. A suspeita dos moradores é de enevenamento. Ocorrências já foram registrados na 20ª Delegacia de Polícia, mas a polícia ainda não encontrou suspeitos. As mortes dos animais de estimação do local têm acontecido desde o último dia 12.
O estudante Matheus dos Santos, tem uma pitbull de dois anos, que foi a última vítima. A cadela foi encontrada passando mal, foi levada ao veterinário, que confirmou que se tratava de envenamento.

— Eu cheguei em casa e ela já estava espumando pela boca. Quando chegamos no veterinário, ele examinou e disse que era envenenamento.

Leia mais notícias no R7DF

Até galinhas tem aparecido mortas no local. Para o aposentado Rafael Saraiva, restaram apenas as lembranças dos seus bichinhos de estimação: Saruê, Calango e Adriana.

— Era a companhia que eu tinha em casa. Passava o dia todinho com os gatinhos que eu criava.

No total, já são sete animais mortos e quatro desaparecidos.

Assista ao vídeo:
http://www.anda.jor.br/24/08/2012/animais-estao-morrendo-envenenados-no-gama-oeste-df

fonte: anda

Florianópolis (SC) terá o seu primeiro Hospital Veterinário Municipal

Foto: Divulgação
Em uma reunião de trabalho conjunta, realizada em 23/08, com a presença de mais de 30 representantes e lideranças atuantes na causa animal, o candidato a prefeito Gean Loureiro examinou o projeto já existente da ampliação e evolução da DIBEA para um hospital veterinário voltado para as populções mais carentes da cidade. Comprometeu-se também a dar início às obras do Hospital Veterinário de Florianópolis ainda no primeiro ano de sua administração, uma vez eleito prefeito.
Com a objetividade de um administrador experiente, que foi partícipe na implantação da Diretoria do Bem Estar Animal, examinou o projeto pronto, apresentado na sua totalidade, com a localização do terreno cedido (anexo à DIBEA), as plantas de engenharia e arquitetura, equipamentos, viabilidade e custo total. Tudo isso representa um longo caminho já andado para que se torne realidade o quanto antes.
A Ampliação da DIBEA e sua transformação em hospital é a evolução natural de um projeto pioneiro e único no Brasil, surgido dentro da Prefeitura Municipal de Florianópolis em 2005, e que durante os 8 anos de existência esteve trabalhando em saúde pública com inclusão social com respeito e ética no trato com os animais.
Tendo que suprir a ausência de um hospital veterinário universitário, tornou-se referência para a população mais carente que passou a ter acesso aos serviços oferecidos gratuitamente.
A Diretoria do Bem Estar Animal, que já oferece 24 cirurgias de esterilizações diárias, consultório veterinário em tempo integral, ambulatório para emergências, atendimento veterinário à domicílio, equipe de resgate de animais maltratados, departamento jurídico, atendimento e resgate de equinos maltratados usados por recicladores, projeto Amigo Animal, identificação por microchips e dispensa de medicação essencial, passará a oferecer no hospital anexo: especialidades veterinárias conforme a casuística recorrente na Dibea, internação, plantão nos fins de semana, farmácia, exames e diagnóstico. O hospital oferecerá 60 leitos para internação e mais duas salas de cirurgia, prevendo também a ampliação do número de esterilizações diárias.
fonte: anda

Girafa ‘vela’ filhote morto e levanta discussão sobre luto de animais


Um incidente incomum a respeito de uma girafa morta reabriu a discussão sobre se os animais sofrem por seus mortos.
Zoólogos testemunharam uma girafa mãe se recusando a sair de perto do corpo de seu filhote morto, no terceiro incidente do tipo registrado.
Outros animais sociais, como elefantes e chimpanzés, são conhecidos por examinar atentamente os corpos de seus mortos, especialmente de parentes próximos.
Esse tipo de comportamento levanta discussões sobre a possibilidade de que os animais tenham um “modelo mental” de morte.
Detalhes do último incidente foram publicados no African Journal of Ecology.
O professor de zoologia Fred Bercovitch, pesquisador do Primate Research Institute &Wildlife Research Centre na Universidade de Kyoto, no Japão, e da Giraffe Conservation Foundation, com sede em Surrey, na Grã-Bretanha, testemunhou um desses episódios.
Enquanto observava girafas no South Luangwa National Park, na Zâmbia, Bercovitch testemunhou uma girafa se inclinar sobre seu filhote natimorto.
Ela passou vários minutos lambendo o filhote, antes de levantar. A girafa repetiu o comportamento algumas vezes, ficando ao todo mais de duas horas examinando do filhote que perdeu.
Comportamento
Esse comportamento é surpreendente por diversas razões.
As girafas fêmeas raramente passam tempo sozinhas, e no entanto esta passou horas com seu filhote morto, longe das outras fêmeas.
As girafas também raramente se inclinam, a não ser para beber ou comer. E, a não ser por dois outros episódios semelhantes, as girafas não costumam ser vistas examinando atentamente seus mortos.
“A reação maternal a seu filhote morto não foi tão prolongada quanto a observada em elefantes africanos”, escreveu Bercovitch.
Elefantes e chimpanzés, ambos vivendo em grupos altamente sociais, já foram observados aparentemente sofrendo a perda de seus mortos.
Há registros de chimpanzés carregando seus filhotes mortos. Geralmente, filhotes mais velhos são carregados por mais tempo.
 Episódios mostram que girafas mães formam laços mais profundos com filhotes do que se pensava (Foto: AP)
Episódios
No caso das girafas, em um dos três episódios registrados até agora, em 2010, no Quênia, uma girafa fêmea passou quatro dias ao lado do filhote de um mês que havia acabado de morrer.
O comportamento foi observado pela bióloga Zoe Muller. Dezessete outras girafas fêmeas cercaram o corpo do filhote em diferentes momentos ao longo dos quatro dias.
No incidente da Zâmbia, testemunhado por Bercovitch no fim do ano passado, a girafa ficou duas horas com o filhote, que aparentemente nasceu morto.
O terceiro episódio foi registrado em 2011, na Namíbia, quando uma manada de girafas parou para inspecionar o local em que uma jovem fêmea havia morrido três semanas antes.
Uma girafa macho parou de caminhar e farejou o terreno. Quatro outros membros da manada examinaram o local da mesma maneira.
Laços
No entanto, enquanto o comportamento de elefantes e primatas tem sido usado para sugerir que alguns mamíferos são capazes de conceituar a morte, Bercovitch se mantém cauteloso.
Os episódios claramente mostram que girafas mães formam laços com seus filhotes de maneira mais profunda do que se pensava, diz Bercovitch.
Mas a importância da descoberta também pode residir mais no fato de que amplia o número de espécies que reagem quando parentes ou membros de seu grupo morrem.
Somente ao coletar evidências de várias espécies os cientistas poderão começar a investigar se os animais sofrem por seus mortos, e em que momento da evolução essa característica apareceu.
Fonte: BBC

Por Natalia Cesana (da Redação)

Foto: PETA
A PETA divulgou nesta quarta-feira (22) que o elefante Sunder, que tem sido explorado na Índia e tem atraído a atenção de todo o mundo, será retirado do templo onde vive acorrentado e colocado sob custódia do departamento florestal do país.
Graças à repercussão mundial e ao incansável trabalho da PETA e PETA-Índia, o animal será transferido para um campo florestal e, a partir daí, levado para um santuário. A PETA agradece a todos que assinaram a petição pedindo providências ao ministro do Meio Ambiente. Toda a equipe do veteriário-chefe da PETA-Índia, Manilal Valliyate, estão empenhados em libertar Sunder dos abusos.
Fonte: anda

Ser tutor de um gato pode fazer bem para a saúde

Foto: Thinkstock
De acordo com o site Discovery News, aqueles que adoram seus gatos podem respirar aliviados em relação aos mitos de que os bichanos transmitem algumas doenças.
Aparentemente, a má fama dos gatos se deve a velhas superstições e ao fato desses animais serem portadores do parasita Toxoplasma gondii, que causa a toxoplasmose e parece apresentar correlação com casos de câncer no cérebro, embora essa associação não tenha sido comprovada.
Liberados do banco dos réus
Segundo a publicação, existem alguns estudos que sugerem que os felinos, na verdade, fazem bem para a saúde. Um deles, realizado por cientistas do centro de pesquisas Tour du Valat, na França, aponta que os tutores de gatos não correm maiores riscos de desenvolver câncer no cérebro do que as pessoas que não possuem animais.
Outro estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, está avaliando informações relacionadas a mulheres de meia-idade desse país. Segundo os pesquisadores, os dados coletados até o momento simplesmente não demonstram qualquer relação entre mulheres que convivem com gatos e a incidência de câncer.

Foto: Reprodução/Wikipedia
Benefícios para a saúde
Aliás, os resultados de inúmeras pesquisas parecem mostrar o contrário. Tutores de animais parecem correr menos riscos de desenvolver o linfoma não Hodgkin, assim como crianças que convivem com animais desde pequenas parecem sofrer menos com doenças respiratórias, além de terem um sistema imunológico mais eficiente.
Outros estudos também apontam que os animais podem ser extremamente benéficos para pacientes que sofrem de doenças crônicas, oferecendo companhia e conforto a essas pessoas.
Fonte: TecMundo

Matadouro é fechado após tortura de animais ser revelada por vídeo investigativo

Por Lilian Regato Garrafa  (da Redação)

Abatedouro que abastecia programas do governo americano e redes de fast food foi obrigado a suspender

operações após a denúncia

Um vídeo secreto, filmado às escondidas por um investigador da organização “Compassion Over Killing”,

expôs o abuso desenfreado e o consequente sofrimento de vacas dentro do matadouro Central Valley Meat Co. (CVM),

em Hanford, Califórnia (EUA). O CVM é um enorme fornecedor do Programa Nacional do Almoço Escolar do

Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e de outras iniciativas federais ligadas à alimentação.

As imagens registradas pelo integrante da organização, que trabalhou na instalação entre junho e julho de 2012,

documentam cenas de flagrante crueldade intencional forçada a estes animais durante os últimos momentos de sua vida:

Registros da investigação

- Vacas abatidas, incapazes de caminhar para o matadouro, recebem tiros na cabeça, duas, três e até quatro vezes; os trabalhadores muitas vezes se afastam enquanto o animal continua a lutar e se debater.

- Algumas vacas, por ainda estarem vivas depois de serem baleadas na cabeça, foram sufocadas pelos trabalhadores que tamparam suas bocas e narinas ao pisar em suas cabeças, impedindo-as de respirar.

vaca-sofre-abuso

(Foto: Captura de vídeo/COK)

- Vacas são torturadas – por repetidos golpes, espetadas, choque elétrico e água quente – em uma rampa estreita que leva ao patamar onde serão mortas. Uma delas recebeu choque elétrico mais de 40 vezes.

- Vacas doentes são repetidamente golpeadas e recebem choque elétrico, enquanto trabalhadores puxam-nas ou levantam-nas por suas caudas, na tentativa de forçá-las a ficar de pé e andar.

- Atordoamento indevido dos animais antes do abate – muitas vacas se debatiam, esperneavam e claramente respiravam depois de terem sido baleadas na cabeça. No entanto, ainda assim, esses animais foram deslocados pelo processo de abate para uma correia transportadora e, em seguida, içados de cabeça para baixo por uma das pernas.

cok

(Foto: Captura de vídeo/COK)

Tais abusos não são incidentes isolados. Inúmeras investigações sigilosas dentro de matadouros em

todos os EUA revelam que a crueldade animal é uma prática comum na indústria da carne. Mais de 9 bilhões

de animais – aves, porcos e vacas – são criados e mortos por ano para servirem de alimento nos EUA.

A maneira mais eficaz pela qual cada um de nós pode ajudar a acabar com esses abusos é simplesmente

deixando os animais fora de nossos pratos. Comece hoje a exercer a ética e a compaixão.

Repercussão

A maioria dos animais assassinados pelo CVM são vacas leiteiras que já foram exploradas por muito tempo e

não são mais consideradas economicamente viáveis como produtoras de leite para a indústria de laticínios.

Depois de assistir ao vídeo, o USDA se desvinculou do fornecedor, citando o “manejo desumano e notório no

tratamento dos animais”.

Além de vender carne para o USDA, o matadouro CVM também supre grandes empresas, incluindo In-N-Out Burger,

uma cadeia de hambúrguer com sede na Califórnia.

Em resposta a esta investigação, no entanto, In-N-Out Burger imediatamente rompeu os laços com CVM. 

As redes McDonalds e Costco também cortaram o vínculo de fornecimento com esse estabelecimento.

Em 2008, a Humane Society dos Estados Unidos descobriu abusos semelhantes dentro do Hallmark-Westland,

outro fornecedor do USDA que abatia vacas leiteiras. O vídeo revelou violações de bem-estar animal em nível estadual

e federal e resultou no maior recolhimento de carne na história dos EUA.

Foto: captura de vídeo/COK)

Infelizmente sabemos que em vez de abolir o uso de carne e produtos de origem animal, o órgão americano e as demais

cadeias de lanchonetes irão se vincular a outras empresas que tenham condições de abate consideradas “satisfatórias” pelas l

eis de “bem-estar” animal.

Porém, o único bem-estar possível para todo e qualquer animal é viver longe da exploração – seja ela considerada “humana” ou não.

Contribua para que isso seja possível e torne-se vegano.

Fonte:anda

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Animais em laboratório

Terrível! A vida dos animais em laboratório em inúteis experimentos,

apenas satisfaz a quem? Para quê? Qanto vale? Responda a estas

e a muitas perguntas que sua consciência fizer e resolva o rumo a

tomar em suas vidas. (olha que ela é curta! Cuidado!Estamos aqui aprendendo)

Tutora procura cão sumido após acidente com moto de petshop, no CE

A cadela Melody sofre de epilepsia, segundo a tutora (Foto: Priscilla Estefane)

Uma adolescente de Fortaleza procura há 22 dias um cão que desapareceu após a moto da petshop que levava o animal bater no veículo de dois ladrões em fuga. A tutora do cão registrou boletim de ocorrência no 5º distrito policial em Fortaleza e espalhou cartazes pela cidade.
De acordo com uma das proprietárias da petshop responsável pela cadela Melody, Vânia da Silva, um funcionário transportava o animal para devolver à tutora. O animal estava em uma gaiola adaptada para cães, presa à motocicleta.
Com a colisão, a porta de segurança da gaiola se rompeu, e a cadela fugiu assustada, segundo relatou Vânia à tutora da cachorra, Priscilla Stefane. Ainda de acordo com a proprietária da petshop, o funcionário tentou recuperar a cadela, mas os ladrões em fuga que bateram na moto apontaram a arma para ele, achando que estavam sendo seguidos. Segundo o policiais do programa Ronda do Quarteirão, os dois suspeitos de furto estavam em uma noto roubada e foram presos.O incidente ocorreu no Bairro Vila Pery, em Fortaleza.
Priscilla cobra da petshop empenho na busca pelo animal. “Ela [a proprietária do petshop] ajudou com uns cartazes de ‘procura-se’, mas além disso não faz muita coisa para encontrar a Melody. Ela é a responsável”, diz. Maria Vânia diz que o funcionário até correu risco de morrer ao tentar resgatar a cadela e que fez buscas, mas não encontrou o animal.
A adolescente diz que já gastou R$ 35 em cartazes para anunciar o sumiço da cadela, da raça yorkshire, de um ano. A tutora do cão também se preocupa com a saúde do animal, que sofre de epilepsia. “Ela faz tratamento e tem que ir ao veterinário uma vez a cada 15 dias. Com ela perdida, eu fico preocupada com a saúde”, diz.
Fonte: G1

Filhote de leão encontra pai pela primeira vez em reserva natural no Quênia

Leãozinho morde orelha do pai durante primeiro encontro entre os dois (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Um filhote de leão brincou com seu pai pela primeira vez na reserva nacional de Masai Mara, no Quênia, país localizado na África. O bebê, com cerca de dois meses de vida, parecia nervoso quando se aproximou do adulto no primeiro momento.
A cena foi capturada pela fotógrafa Suzi Eszterhas, segundo o jornal “Daily Mail”. Ela passou meses seguindo os leões para fazer a imagem do encontro entre pai e filho.
Além do leãozinho, dois de seus irmãos, também filhotes, foram fotografados. Segundo Suzi, a leoa que deu à luz aos bebês acompanhava de perto o contato entre pai e filhos para garantir que não haveria agressividade contra os leõezinhos.
Fonte: G1

Bugio é capturado em área urbana e vai passar por cirurgia em MS

Macaco é capturado pela PMA em Três Lagoas (Foto: Fábio Campos / Rádio Caçula)
Um macaco bugio recebeu tratamento veterinário na quarta-feira (22) no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, em Campo Grande, e deve passar por uma cirurgia no braço esquerdo por conta de uma fratura. O bicho foi capturado pela Polícia Militar Ambiental (PMA) na área urbana de Três Lagoas, a 338 km da Capital, na segunda-feira (20).
Moradores chamaram a polícia depois de encontrar o animal em cima de uma árvore. Uma armadilha chegou a ser montada, mas não conseguiram prender o macaco. Ele fugiu e moradores afirmaram que viram o bugio ser atropelado. Os militares tiveram que usar uma haste com um laço na ponta, conhecido como cambão, para pegá-lo.
Tratamento
O médico veterinário do CRAS Álvaro Cavalcante disse ao G1 que o animal chegou ao local agitado por conta da viagem. Ele foi sedado para realizar exames. Por conta do inchaço no braço do primata, a cirurgia vai ter que esperar. Por hora, uma tala foi colocada.
Segundo o veterinário, o próximo passo é esperar que a pata desinche para saber qual procedimento deverá ser feito. Até então, o animal permanecerá em quarentena.
Fonte: G1

Cadela resgatada de montanha é adotada após receber alta médica

Teixeira de Freitas/Ba
Cachorro chegou a 110 metros de altura, segundo os bombeiros. Foto: Reprodução/TV Santa Cruz
A cadela que ficou cerca de 40 dias no topo de um paredão rochoso, na cidade de Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia, recebeu alta da clínica veterinária onde estava internada há 20 dias na terça-feira (21). Segundo a veterinária Simone Tomie Otaki, o animal mal conseguia se alimentar sozinho quando chegou ao local.
“Ela tinha que se recuperar principalmente em relação à desnutrição e desidratação. A princípio ela passou por fisioterapia, teve que tomar antibiótico porque teve diarreia. Depois era mais alimentação para ela recuperar peso. Agora ela já está fora de perigo e pode ir embora para casa”, conta a veterinária.
A cadela será adotada pelo operador de motosserra Elfrásio de Jesus, morador que resgatou o animal com a ajuda de um colega. Ele subiu a montanha a pé e usou uma corda como suporte. “Eu estou muito emocionado vendo ela desse jeito. Eu pensava que ela não ia escapar. Foi uma alegria salvá-la. Quando eu cheguei e ela me olhou, ela disse com os olhos: ‘me tire daqui. Tô muito emocionado em vê-la desse jeito, pensei que ela não ia escapar’”, declara.
Bombeiros tentaram resgatar animal
O animal foi retirado da montanha pelo morador no dia 30 de julho e levado no dia 1º ao veterinário. O Corpo de Bombeiros tentou resgatar a cadela três vezes, sendo que uma das operações durou mais de cinco horas, sem sucesso. A montanha tem cerca de 150 metros de altura e a cadela estava em área a cerca de 40 metros do topo.
No dia 19 de julho, os sete bombeiros que subiram a montanha na operação que durou mais de cinco horas foram surpreendidos porque a cachorra se afastou da equipe no momento em que um dos militares conseguiu descer de rapel até o ponto onde o animal estava. O local é de difícil acesso. A primeira tentativa ocorreu no dia 18, mas choveu e o resgate foi cancelado.
Na clínica, a veterinária avaliou a saúde da cadela, que está sendo hidratada com soro e ficou em observação até se restabelecer. “Pelo sofrimento daquela cachorrinha é o mesmo de nós estarmos sofrendo aqui também. A gente viu o sofrimento dela. Hoje nos sentimos muito alegres em ver já resgatada aquela cachorrinha”, conta o produtor rural Abel Alves, que participou da iniciativa.
Fonte: G1

Gato sequestrado é devolvido aos tutores por comer demais

Áustria

Foto: © Flickr.com/fox_kiyo/сс-by-sa 3.0
Um gato da raça maine coon, sequestrado há duas semanas em Landskron, na Áustria, foi devolvido aos seus tutores “misteriosamente” após os ladrões perceberem que não podiam bancar ($$$) o enorme apetite do guloso animal.
“Eu fui colocar o lixo para fora, quando voltei, lá estava o Cupido: sentado na sala de estar, como se ele nunca tivesse saído de perto de mim”, disse Stephanie Frey, tutora do gatinho, que mais parece um leão (não pelo tamanho, mas pela fome).

Foto: Reprodução/Notícias BR
Os especialistas dizem que um maine coon pode comer três ou quatro vezes mais do que um gato doméstico comum. E, pasmen!, além de saco sem fundo, esses gatinhos têm um gosto refinado e nada barato. “Ele gostam mesmo de comida fresca e bons cortes de carne”, aponta um conhecedor da espécie felina.
Fonte: Uol

Moradores encontram cachorro arrastando feto dentro de um saco

Uma cena triste e que deixou moradores do Bairro Airton Senna – zona Leste de Porto Velho (RO) – horrorizados, um feto foi encontrado dentro de uma sacola plástica próxima a um lixeiro.
O fato ocorreu na Rua Interlagos, na altura do número 100, quando um grupo de moradores achou curioso ao ver um cachorro arrastar pela boca um saco plástico com algo pesado dentro. Quando ele parou ao lado da lixeira algumas pessoas se aproximaram para verificar do que se tratava. O susto. Era um feto ainda em formação.
A polícia militar foi acionada via Centro Integrado de Operações Policiais (CIOP), que foi até o local e conferiu a veracidade da denúncia. Uma equipe de peritos foi até o local para recolher o feto. A polícia não tem suspeita de quem possa ter retirado o feto e iniciou as investigações.
Fonte: Impacto Rondônia

Tartaruga é resgatada após ser presa com fita a balões nos EUA

EUA


Uma tartaruga foi resgatada após ser presa com fitas a balões e solta no ar na Califórnia, Estados Unidos. Autoridades locais e defensores dos animais procuram os responsáveis.
A tartaruga foi encontrada presa em uma árvore, junto aos balões. Vizinhos do local viram o que acontecia e tentaram ajudar o animal.
Os bombeiros foram chamados, mas levou cerca de uma hora até que o resgate aparecesse. Nesse intervalo, a tartaruga ficou balançando ao vento.
Quando os bombeiros chegaram e estavam prestes a resgatar a tartaruga com uma grande escada, o vento derrubou o animal, que caiu no chão.
A tartaruga não ficou ferida. Ela foi levada por uma sociedade de animais de Oceanside e ficará no local enquanto as investigações ocorrerem. Se ninguém procurar pelo animal, uma das vizinhas que ajudou no resgate afirmou que está disposta a adotar a tartaruga.
Caso sejam encontrados, os responsáveis por amarrar a tartaruga aos balões podem responder por abuso contra animais.
Fonte: G1

Crueldade

                                                       O que está por trás da civilização
Alber

bama mata e incinera galos que eram explorados em rinhas em Picos (PI)

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)

Galo explorado em rinhas. Foto: Reprodução/Ilustração
O Ibama mostra o quão esquizofrênica e especista é sua política de tratamento dos animais. Enquanto preserva a vida de animais considerados silvestres e lhes devolve a liberdade no limite de suas capacidades, trata como lixo a vida de tantos outros animais que deveriam ser tutelados e protegidos pelo Estado brasileiro. Dessa vez a instituição matou, em Picos (PI), vinte galos que eram explorados em rinhas e incinerou seus cadáveres.
A desculpa, a mais especista e objetificante possível, é que os animais não podiam ser mantidos vivos porque “o consumo de sua carne pode trazer prejuízos à saúde humana”. O Ibama, diferentemente até mesmo de grande parte da sociedade, vê até mesmo animais vítimas de maus tratos como meros pedaços de carne – e neste caso, como nada mais que pedaços de carne podre. A instituição matou os animais com injeção letal antes de queimar seus corpos num incinerador.
Os galos eram explorados numa casa no bairro do Junco, em Picos, e o responsável pelas rinhas foi identificado e deverá ser multado e talvez preso. O interessante aqui é que o chefe substituto do Ibama no município afirma, segundo o portal 180graus, que “a pena [a ser imposta ao explorador dos galos] varia de seis meses a 1 ano de prisão e a multa é de R$ 500 a 3 mil reais, por unidade (sic)”, deixando claro que os galos não são considerados pelo Ibama seres conscientes sujeitos de direito, mas sim meras unidades de um objeto de marca.
O Ibama, além de violar o Decreto-Lei 24.645/34, Art.1º – que afirma que todos os animais do Brasil são tutelados, e não mantidos sob propriedade, pelo Estado -, revela sua práxis de duplipensar moral. Enquanto salva e liberta uns, mata e queima outros e ainda autoriza o aprisionamento e exploração de tantos outros. É esse o poder público que deveria zelar pela fauna doméstica, domesticada ou silvestre?
Fonte:  anda

Montes Claros (MG) é a segunda cidade do Brasil a receber coleiras repelentes para o controle da Leishmaniose

Coleira contra leishmaniose, que havia sido aplicada em Campo Grande/MS. Foto: TV Morena
Montes Claros (MG) será a segunda cidade a ser contemplada com uma estratégia, inédita no mundo, para combater o avanço da leishmaniose visceral no Brasil. Trata-se do projeto-piloto do Programa Federal de Controle da Leishmaniose Visceral (Calazar), cujo objetivo é um encoleiramento em massa de cães com coleiras impregnadas com deltametrina a 4%, principio ativo repelente e inseticida recomendado pela Organização Mundial da Saúde como uma das principais formas de controle da doença. A coleira é indicada para o controle dos insetos transmissores da leishmaniose (flebotomíneos), moscas e como auxiliar no controle de carrapatos e pulgas. A primeira cidade a adotar o encoleiramento contra a doença foi Campo Grande (MS).
A cidade foi analisada pelo Ministério da Saúde e escolhida de acordo com a gravidade da doença em humanos. De acordo com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Montes Claros, órgão responsável pelo controle de agravos e doenças transmitidas por animais, de 2007 a 2011 foram confirmados 129 casos humanos, com 10 óbitos. A realização de 44.228 exames preventivos em cães na cidade, no período de 2009 a 2011, diagnosticaram 2.472 casos caninos positivos.
“Nesse primeiro momento serão quatro setores escolhidos e, destes, dois terão os cães encoleirados e os outros dois serão monitorados para o controle da doença”, explica Dra Marília Rocha, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e referência técnica do Programa Municipal de Controle da Leishmaniose. Os setores contemplados pelo encoleiramento em massa foram sorteados e serão: Maracanã, Vila Campos, Vila Greyce, Vila Vargem Grande, Conjunto Joaquim Costa, Ciro dos Anjos, Chiquinho Guimarães, Nossa Senhora das Graças, Dona Gregória, Conjunto Habitacional Olga Benário, Vila Itatiaia, Conjunto Habitacional José Correia Machado e Alterosa, já os que receberão o monitoramento serão a Vila Luiza, João Botelho, Vila Sumaré, São Judas Tadeu II, Dr Antônio Pimenta, Dr João Alves, Vila Telma, Conjunto José Carlos de Lima, Maria Cândida, Conjunto Havaí, Morrinhos, Clarindo Lopes, Francisco Peres, Santa Rita I e Roxo Verde. Cerca de 6.200 cães receberão a coleira em Montes Claros.
O projeto-piloto do Programa Federal de Controle da Leishmaniose Visceral (Calazar) é uma ação inédita no mundo, que englobará 12 cidades em sete Estados brasileiros, nas quais bairros com transmissão intensa de leishmaniose visceral em humanos serão escolhidos para o estudo. Os estados já estão definidos – Piauí, Mato Grosso do Sul, Pará, Ceará, Maranhão, Tocantins e Minas Gerais -, e as cidades estão sendo avaliadas pelo Ministério da Saúde e serão contempladas inicialmente as regiões mais críticas da doença em humanos.
As coleiras serão distribuídas gratuitamente pelo governo, de casa em casa, acompanhadas por um exame de sangue de rotina, realizado regulamente para diagnosticar a evolução da doença na comunidade canina. O encoleiramento em Montes Claros teve início no dia 21 de agosto.
Fonte:anda

Família reencontra cão após usar carro de som e rede social

Cadela que estava desaparecida em Jataí é encontrada pelos tutores(Foto: Arquivo pessoal)
Com auxílio de anúncios em carros de som, cartazes com fotos, divulgação nas redes sociais e reportagens, a família da estudante Alexia Smaniotto, de 16 anos, conseguiu encontrar uma cadela de um ano, da raça shitzu, que estava desaparecida havia aproximadamente 15 dias, em Jataí, no sudoeste de Goiás.
A “Princesa Angel”, como é chamada pelos tutores, foi localizada após um morador reconhecer o animal e entrar em contato pelo telefone. Segundo a estudante, após a exibição da reportagem, em menos de dois dias, ela recebeu mais de 40 ligações informando pistas sobre o paradeiro da cachorra.
“Uma pessoa ligou falando onde a Angel estava. Então, fui com a minha mãe até o local e a encontramos na casa de uma moça. Oferecemos uma recompensa por ter cuidado muito bem dela, mas ela não quis aceitar. Então, prometemos dar um filhote para ela assim que Angel tiver uma ninhada”, conta a estudante Alexia Smaniotto.
A garota afirma que, após o reencontro com a cadela, pretende voltar a Goiânia, pois ela estava em Jataí apenas passando férias com os pais. “Estou muito feliz por ter minha nenenzinha no colo novamente. Ela está folgada e querendo colo toda hora. Agora sim irei voltar para Goiânia com minha bebezinha e novamente retomar os estudos”, declara Alexia Smaniotto.
Assista à reportagem aqui.
Fonte: G1

Casal de idosos morre afogado ao salvar cão em lago em Westfield

EUA

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)

Um caso ao mesmo tempo de amor e de tragédia. Um casal de idosos, em Westfield,

Massachussets, EUA, se sacrificou, ainda que acidentalmente, para salvar seu cão que

estava se afogando.

Daniel Sir e Patricia estavam passeando de barco com seu cão num lago próxima à sua

casa, quando este caiu na água e começou a se afogar. Daniel pulou na água para tentar

salvá-lo, mas também começou a se afogar. Sua esposa, Patricia, também pulou na água

na tentativa de salvar os dois, mas também se afogou.

Fonte: anda

O casal de idosos não usava colete salva-vidas, e ambos acabaram morrendo afogados. Mas o cão sobreviveu, graças ao sacrifício dos seus tutores.

Primeiro zoológico de insetos do Brasil, em São Paulo, aprisiona animais de 25 espécies

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)

Bicho-pau sendo segurado por crianças de uma escola. Desde cedo elas estão sendo ensinadas que animais como insetos podem ser tratados como objetos que não precisam de liberdade. Foto: Divulgação
O Instituto Biológico, em São Paulo, inaugurou recentemente um zoológico de insetos. Nele estão vivendo aprisionados animais de 25 espécies e estão expostos cadáveres de indivíduos de outras cem espécies.
No estabelecimento, está havendo uma exposição chamada “Planeta Inseto”, em que os animais são mantidos em confinamentos, em exposição para os visitantes. Também é realizada no local, em virtude da exposição, uma corrida de baratas, em que insetos presos num circuito de madeira com tampo de acrílico e raias internas “disputam” quem atinge primeiro a linha de chegada.
A exposição acaba “ensinando” aos visitantes, entre eles muitas crianças em aulas-passeio com suas escolas, que os animais estão no mundo para servir aos seres humanos, e que, além de vertebrados, também insetos podem ser aprisionados e tratados como objetos exóticos de exibição. É uma iniciativa antipedagógica que cria gerações de pessoas que veem os animais não humanos como propriedade utilitária humana.
Fonte: anda

Comentáio
O absurdo acontece! As mentes condicionadas por propagandistas de idéias (certos filósofos) continuam a espalhar  venenos po onde passa

Homem faz ‘corrente do bem’ para conseguir pagar cirurgia de seu cão

EUA

Por Roberta Oliveira (da Redação – EUA)

Foto:James Woodcock/Gazette Staff
Pelas ruas da cidade de Billings, no estado de Montana, Estados Unidos, Red é puxado em um vagão por Mike Mallory. Red é um cão da raça boadeiro australiano de cinco anos, companheiro e melhor amigo de Mike. Em janeiro, Red precisou de uma cirurgia de substituição do ligamento cruzado anterior na perna esquerda traseira, porém Mike – que sofreu um traumatismo craniano após um acidente de carro em 2001, e vive com recursos limitados recebendo pensão por invalidez – não podia pagar a cirurgia.
O veterinário da Clínica Veterinária de Billings disse à Mike: “Nós vamos ajudar seu cachorro, e depois nos preocupamos com a conta.” A cirurgia, junto com a reabilitação e outros procedimentos custariam mais de U$ 3.000,00. Mike disse: “ Vou pensar em algo”.  As informações são do Billings Gazette.
Red (vermelho, em português) tem o pelo ruivo, coberto com algumas pintas brancas. É amigável e bem comportado com estranhos, e a prova são as várias fotos de Red com a população da cidade de Billings na página oficial do Facebook “Walking for Red”, nome da campanha que arrecadou doações para Red. Red e Mike passam o dia andando pela cidade, “compartilhando o amor”.
Mike, que já morou em várias partes dos Estados Unidos, diz que é uma pessoa melhor por causa de Red.
Em junho de 2012, Mike conseguiu os fundos para pagar a primeira cirurgia de Red – graças também à página do Facebook e doações que vieram até da Alemanha – mas os esforços não acabaram.
O veterinário Dr. Brown informou que em muitos casos, outro ligamento cruzado anterior de outra perna precisa ser reconstruído após a primeira cirurgia. E foi exatamente o que aconteceu com Red.
Mais uma vez a clínica disse que faria o procedimento, e que se preocuparia com o pagamento depois. O veterinário não cobrou os honorários e o custo ficou em aproximadamente U$ 2.500,00.
“A ligação que Mike tem com Red é muito forte,” disse Allen.
Red passou pela segunda cirurgia em junho de 2012.
Mike ainda passa o dia puxando Red em seu vagão.
“Eu amo Red, eu não tenho que puxar esse vagão, mas eu amo puxar esse vagão. Eu passo o dia com ele, puxando-o no vagão.”
Red e Mike às vezes contam com a companhia de Rosie, cuja tutora é uma amiga de Mike. Rosie é da mesma raça que Red, e tem 2 anos. “Rosie veio de um abrigo, e no começo tinha medo de homens, então acho que sofreu algum tipo de abuso. Mas agora está bem, e Red fica louco quando ela não está junto com a gente.”
A filosofia de vida de Mike de “compartilhar o amor” e “dando para receber” é inspiradora, assim como seu amor e dedicação por seu melhor amigo.
“As pessoas talvez não acreditem, mas eu acredito que Red sabe que as pessoas estão ajudando ele, e ele gosta de ‘compartilhar o amor’. Ele me fez consciente do mundo ao meu redor, e me mostrou o amor que sempre busquei mas nunca conheci. Ele me trouxe alegria e a vida que só via nos programas de televisão ou que li em livros. Ele me mostrou que há outras pessoas no mundo com corações e sentimentos por outras pessoas, e que não pensam somente em si mesmas. Ele me mostrou que animais não são tolos, e possuem sentimentos que não são diferente dos nossos.”
Para quem quiser ver mais fotos de Red, Mike e Rosie é só acessar a página do Facebook. Red ficará muito feliz em receber comentários, mesmo que sejam em português (que depois eu traduzirei para Mike) e saber que está compartilhando o amor com os brasileiros.
fonte: anda

Novas informações revelam que cães não foram amarrados em trilho de trem


Por Patrícia Tai (da Redação)
 Cadela ficou com a guia presa entre os trilhos; animal aguarda adoção (Foto: Peggy Turbett, The Plain Dealer)
Há novas informações sobre a notícia dos três cães que foram amarrados a trilhos de trem em Tremont, sendo que dois haviam morrido e um sobreviveu, veiculada pelo Huffington Post e publicada nesta terça-feira na ANDA. Supostamente, não passou de um mal entendido, conforme informou o jornal The Plain Dealer.
A tripulação do trem em questão espalhou a notícia de que o trem atropelou um cão aparentemente amarrado aos trilhos e que o trem não pode parar a tempo. Mais tarde, descobriu-se que o cão não havia sido amarrado, mas sua guia ficou presa entre dois trilhos, provavelmente por acidente.
A primeira versão da história ganhou atenção nacional. Ela dizia que três cães haviam sido amarrados a trilhos no dia 10 de agosto, e que dois foram mortos. A história foi baseada em entrevistas com policiais e com o centro de controle de animais local.
O caso levou pelo menos três organizações e um morador da cidade a oferecerem um total de 15 mil dólares em recompensa por informações sobre quem cometeu a ação criminosa de amarrar os cães. Mais de 50 pessoas entraram em contato com o abrigo animal de Cuyahoga, com interesse em adotar a cachorra sobrevivente, que deverá ser adotada em breve caso não apareça o tutor.
O tenente da polícia Mark Ketterer, que chefiou a investigação na cidade, entrevistou o funcionário ferroviário que testemunhou a história na noite de sexta-feira. O funcionário, que trabalha para a Norfolk Southern, foi quem libertou o cão e serviu de fonte das informações enviadas à polícia.
Ketterer disse que o homem contou que o cão estava preso e que haviam lhe dito que ocorreram dois incidentes semelhantes no início da semana em que os cães foram mortos, mas não disse aonde.
O funcionário repetiu a informação a um oficial do controle de animais, que contou novamente a história à polícia, incluindo que dois cães haviam sido mortos nos trilhos.
O jornal The Plain Dealer telefonou para o funcionário na quinta-feira. Ele não quis informar seu nome ou fazer declarações, orientando o jornal que ligasse para a polícia de Norfolk, que por sua vez não retornou as ligações.
A notícia foi veiculada pelo The Plain Dealer na quarta-feira, e também dizia que o funcionário da ferrovia viu um homem tirando fotos do cão nos trilhos.
Ketterer disse que o funcionário não informou a ele ter visto ninguém com o cão, mas sim que um homem estava no local tirando fotos da ponte Interstate, que fica nas proximidades.
Leslie DeSouza, diretora do abrigo animal da cidade, disse que a cachorra sobrevivente parece ter dois anos de idade e se parece com uma mistura de beagle e doberman. Ela disse que a cachorra foi transferida para outras instalações pois estava “incrivelmente traumatizada. E ela veio sem nenhum arranhão”.
A diretora conta que, embora a cachorra tenha chegado com sinais de trauma e ninguém pudesse nem se aproximar dela, aos poucos foi se tornando mais confiante e já está começando a brincar.
O abrigo irá determinar quem poderá adotá-la. Estão entrando em contato com as pessoas interessadas para fazer perguntas sobre outros animais que tutelam e onde vivem, e sobre outras condições e perfil para a adoção.
Ketterer disse que ele e sua esposa estão considerando adotar a cachorra. “Se der certo, nós a chamaremos de Miracle (que significa “Milagre”).
Fonte: anda

Animais sofrem e são mortos com o consentimento de moradores e do governo

 Cabo Verde


Por Natalia Cesana (da Redação)

Foto: Reprodução/OIPA
Cabo Verde: praias de areia branca, mar bonito e vegetação luxuriante. Um paraíso para os seres humanos, mas um verdadeiro inferno para os animais abandonados. Como a ANDA já havia noticiado anteriormente, há anos voluntários, moradores e estrangeiros, incluindo turistas, tomam conta constantemente de cães e gatos abandonados, mas o governo continua a matar todos os animais que eles pegam, não importa se abandonados ou se sob a tutela de alguém, se esterilizados ou saudáveis. Mais de 10 mil animais morrem todos os anos em Cabo Verde, principalmente nas duas maiores cidades, Praia e Mindelo.
O governo captura os animais e, se ninguém reclama por eles em três dias e paga uma taxa substanciosa, eles se tornam propriedade do município, assim eles podem ser mortos com estricnina, um veneno terrível que mata após horas e horas de sofrimento.
Frequentemente, os cidadãos matam por si próprios os animais que vagam pelas ruas utilizando pedras, facas, ou mesmo enforcando, atropelando ou deixando-os sozinhos no calor do sol.

Foto: Reprodução/OIPA
A Simabo, entidade membro da Organização Internacional de Proteção ao Animal (OIPA) atuante na ilha de São Vicente, consegue fundos da União Europeia graças a um projeto baseado na esterilização em massa e a programas educativos para a população local. Entretanto, o governo de Cabo Verde ainda se recusa a apoiar qualquer objetivo para proteger os animais, colocando em risco o financiamento do projeto.
Veja aqui mais fotos da situação dos animais em Cabo Verde.
Fonte: anda

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Pony, a orangotango prostituta!

bbb

Nunca mais!

Pony, o orangotango foi encontrado pela Fundação Orangotango sobrevivência numa "prostituta aldeia" em Bornéu, acorrentado a uma parede e deitado sobre um colchão manchado de jizz. Ela era completamente depilada e coberta de picadas de mosquito infectado.

Aparentemente, ela havia sido capturada e estava sendo Depilada todos os dias para fazê-la agradável e sem pêlos, para os homens que pago para foder. Sim, um orangotango estava sendo Depilada e usado como uma prostituta... aqui está um close-up. Se um homem andou perto dela, ela iria virar-se, apresentar-se e comece girando e atravessando os movimentos. Ela estava sendo usada como um escravo do sexo. Ela foi provavelmente cerca de seis ou sete anos de idade, quando nós resgatou, mas ela tinha sido mantida em cativa por uma senhora durante muito tempo. A senhora se recusou a desistir do animal, porque todo mundo amou o pônei e ela foi uma grande parte de sua renda. Eles também pensaram que Pony foi sorte, como ela iria pegar números ganhadores da loteria. Levou a Fundação de sobrevivência de orangotango por ano para resgatar o pônei dos selvagens sem Deus porque sempre que eles apareceram, o madame e os homens da aldeia"prostituta" iria brandir seus punhais embebido de veneno de forma ameaçadora. Aparentemente o pônei foi bastante a vaca de dinheiro. A base de sobrevivência de orangotango finalmente levantou o dinheiro para arredondar para cima de 35 policiais - leitura, mercenários contratados - com AK 47s - e eles forçaram o madame e seus townies cruel sob a ameaça de massacre para liberar a Pony.This é uma história verdadeira. Ninguém foi acusado de exploração Pony.

Todas as informações e textos vem de salvar o orangotango!


Fonte:.theperfectworld.