sábado, 22 de setembro de 2012

PEIXE DE FUKUSHIMA TEM 258 VEZES 'SEGURO' NÍVEL DE RADIAÇÃO.




A mídia é terminada com Fukushima, mas parece que Fukushima não está terminado com a gente. Um casal de peixe irradiados capturado perto da usina nuclear inoperante mostrou 25.800 Becquerel de césio por quilo — 258 vezes o nível determinado 'seguro' pelo governo.

A fábrica encerrou suas operações após uma crise envolvendo três baseando
RS após o devastador terremoto e tsunami em março de 2011.

Radiação Spike em peixes

Desde junho, funcionários têm permitido pesca fora um raio de 31 milhas a partir da planta enquanto supostamente sendo atordoado com os níveis de radiação recorde do peixe. Até recentemente capturado par de greenlings, níveis de radiação registro estiveram 18.700 Becquerel por quilo, como encontrado em salmões cereja. A Tokyo Electric Power empresa (TEPCO) tem a intenção de capturar mais e pesquisando os peixes, suas fontes de alimento, bem como seus habitats para explicar a 7.100 Becquerel saltar.

É claro que há nenhum 'seguro' nível de radiação, e alimentos contaminados com quantidades elevadas de radiação podem ser especialmente perigoso. Não muito tempo atrás, verificou-se que o alimento radioativo (alimentos contaminados com radiação de Fukushima ou outras fontes), é realmente comparável ao receber centenas de raios-x.

Ampla efeitos na radiação

Radiação elenco uma ainda mais líquido, no entanto, que para peixes sozinhos. Borboletas com olhos desfigurados, pernas e antenas e asas atrofiadas chamou a atenção de cientistas e colocar medo nos corações dos moradores. O sexto relatório de Fukushima Prefecture gestão inquérito de saúde declarou que 36 por cento das crianças de Fukushima têm crescimentos de tireóide malformado e podem desenvolver câncer. Crianças e jovens mais está ameaçadas pelos efeitos da radiação, de acordo com a Organização Mundial de saúde, porque a divisão celular ocorre mais rapidamente.

Aqui está uma página extensa sobre radiação.

Protegendo-se da radiação

Operadores de instalações de Fukushima já admitiu que os níveis de radiação de Fukushima emitidos do desastre ultrapassa quase duas vezes e meia a «estimativa inicial' produzida por reguladores de segurança japonês. Pesquisadores afirmaram também que a quantidade de isótopo radioativo césio-137, lançado no auge da crise foi equivalente a 42% de Chernobyl. Isso é motivo de preocupação e solicita uma grande necessidade de proteção.

Por agora, é melhor evitar certas variedades de peixes de áreas específicas. Tenha em mente que alguns atum contaminados foram encontrados ao largo da costa da Califórnia.

Lembre-se que nenhuma dose de radiação é seguro e existem variáveis a considerar quando se protegendo-se dele.

http://truththeory.com/2012/09/13/Fukushima-Fish-have-258-Times-Safe-level-of-Radiation/
fonte: truththeory

Os macacos mascarados da Indonésia

Macacos mascarados da Indonésia, Jacarta são macacos sendo forçados a realizar na rua, vestidos de boneca-maskes diferentes, perucas e roupas para entreter os turistas.

Eles vivem em um lugar chamado "Macaco Village" e são mantidos em pequenas gaiolas e em cadeias. Formadores, por vezes, pendurá-los de cabeça para baixo ou amarram suas mãos em suas costas para fazê-los ir em linha reta para cima.
 photo the week)
 
Muitos destes macacos morrem enquanto sendo treinados!
 (photo: Ed. Wray)
 (Photo: Ed. Wray)
 Assine e Compartilhe esta petição dizer governador Fauzi Bowo e as pessoas em Jacarta, que isso é errado!

Assinem a petição em
 
 http://www.theperfectworld.com/petitions/item/40-the-masked-monkeys-of-indonesia

fonte: heperfectworld

Comunicado

Comunicamos à comunidade de Tucano, Caldas do Jorro e demais municípios, a existência entre nós de uma ONG (organização não governamental) de utilidade pública, em defesa dos animais e meio ambiente, de nome “Consciência Animal” com a sigla “ACA”, já devidamente registrada – CNPJ n° 16734901000147 -, tendo como presidenta a fundadora da mesma, a senhora Albertina Rodrigues.
É uma associação sem fins lucrativos, tendo como principal objetivo o controle permanente de natalidade animal (esterilização dos animais de rua e os da população de baixa renda, assim como, atendimento veterinário gratuito); projetos nas escolas, sensibilizando sobre a causa animal, através de ações, vídeos, palestras, seminário, cartilhas…; conscientização da população sobre a importância da posse responsável e o combate aos maus tratos onde os casos serão encaminhados ao Ministério Público.

Fonte : Silvia Planzo Mendes -Relações Públicas da ACA 

Pelo fim da crueldade animal

foto/Facebook
São Paulo
foto/Facebook
RIBEIRÃO PRETO - HOJE
 

Bauru

Vitoria

ARRASOU, Porto Alegre!!!
 

Porto Alegre
Taubate
Fotos;/ Facebook/  Cadeia pra qem maltrata animais

Após ser atropelada por caminhão, cadela é agredida por seu tutor

No final da tarde de quinta-feira (20), a Polícia Militar foi chamada para atender um caso de maus-tratos a uma cadela. Moradores de Chapecó informaram a PM que um rapaz tinha colocado o animal dentro de um saco e batido nele com uma marreta.
Quando a polícia chegou ao local, encontraram a cadela amarrada com fitas e cordas dentro de um saco de ráfia. O animal tinha diversos machucados e uma fratura exposta em uma das patas. A PM conseguiu localizar o agressor de 20 anos, que no início negou os maus-tratos.
De acordo com a Polícia Militar Ambiental, a cadela, que era velha e surda, foi atropelada quando um caminhão deu ré. “O animal era da família do rapaz. É uma família bem simples que trabalha com reciclagem. Quando a cadela foi atropelada, ela ficou muito machucada. Para acabar com a dor, eles decidiram fazer isso em vez de levar para uma clínica, mas por falta de conhecimento mesmo”, explicou a polícia.
Segundo a PM, o rapaz afirmou que fugiu do local porque ficou com medo de ser linchado pelos vizinhos. A cadela estava sendo levada para uma clínica, mas não resistiu ao ferimentos e morreu no caminho. O homem foi detido e vai responder criminalmente por maus-tratos. De acordo com a Polícia Militar Ambiental, o caso vai ser encaminhado para o Ministério Público.
Fonte: G1

Comentário

Dou todas minhas energias para que os animais aguentem as dores horríveis sofridas pelas mãos impuras dos homens

Mula é utilizado para coleta pública de lixo e MP é acionado na Bahia

Uma mula é utilizada na coleta pública de lixo do município de Maragojipe, no Recôncavo Baiano. O animal sobe e desce uma escadaria com 168 degraus, segundo moradores, carregando cestas em que são colocados sacos com lixo da população de pelo menos duas localidades. Segundo a prefeitura, o serviço de coleta com o auxílio do animal ocorre no Alto do Japão e no Alto do Cruzeiro. “Fico incomodado com o descaso como é tratado o animal”, diz um morador, que prefere não se identificar.
Em nota oficial, a prefeitura de Maragojipe informou que o animal realiza a coleta de lixo onde não é possível o acesso do caminhão ou de outro veículo, já que a estrutura da cidade possui muitas escadarias. “O que acontece é que se retira o lixo do local/portas das casas e o mesmo é levado até o final da escadaria, onde o caminhão passa e faz o recolhimento”, informou a nota oficial. A Secretaria de Serviços Públicos, Transporte e Meio Ambiente informou ainda que o auxílio do “transporte animal” é utilizado nos dias de segunda, terça, quinta, sexta e sábado.
Após assistir às imagens registradas por um cinegrafista amador, a ambientalista Telma Lobão encaminhou um pedido de investigação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) na segunda-feira (17). “Eu estou chocada. É um animal rural, não é feito para subir escadas, ainda mais nas condições mostradas nas imagens”, disse. Ela avalia que a prefeitura do município está infringindo o artigo 32, da Lei Federal 9.605, a lei de maus-tratos.
A promotora Neide Reimão, do MP-BA em Maragojipe, afirmou que recebeu a solicitação da ambientalista na quarta-feira (19) e tomou conhecimento da situação através de fotos enviadas pela internet. “Convoquei representantes da empresa para comparecer no Ministério Público. Independente da explicação, o que vi [nas imagens] foi que o animal é utilizado para um trabalho excessivo. Ele não pode ser utilizado para aquele tipo de trabalho. A empresa deveria estar dotada de outros meios e não se valer de um animal para fazer a coleta”, afirmou.
Neide Reimão relatou que os responsáveis pela empresa que faz a coleta do lixo em Maragojipe podem responder criminalmente por crueldade ou trabalho excessivo contra o animal. “É uma contravenção penal, uma infração de menor potencial ofensivo que prevê uma pena pequena de 15 dias a um mês de prisão ou pagamento de multa. Não vejo como maus-tratos e sim excesso de trabalho. A lei ambiental que trata de maus-tratos diz que o crime ocorre quando é praticado algum tipo de abuso contra o animal, como deixar de alimentar ou bater, por exemplo”, informou.
Na quinta-feira (20), a promotora informou que determinou que o animal deixe de realizar o trabalho de coleta de lixo em Maragojipe. “A cultura de usar animais para esse fins, principalmente no nordeste, diminuiu, mas ainda existe. Eles são usados para a subsistência do tutor, para levar mercadorias da feira, por exemplo”, afirmou.
Procurado, o secretário de Serviços Públicos do Município, Djalma Costa, disse que os animais utilizados na coleta de lixo recebem “o melhor tratamento possível”. Ainda segundo ele, os bichos não pertencem à prefeitura, são de resposabiliade de pessoas contratadas pela empresa terceirizada para realizar o serviço de coleta com a utilizaçãos dos animais. “As localidades são pequenas e eles não devem ser maltratados”, conta. Ainda segundo o secretário, os animais foram a “última opção” da prefeitura, já que não foram encontradas pessoas interessadas em realizar o serviço.
Um dos donos da empresa terceirizada contratada pela prefeitura disse que o animal é utilizado três vezes na semana por total impossibilidade de acessar o local com outro veículo. “Não entra moto, não entrar trator, não entra nada. O animal é um meio de transporte. O objetivo é trazer o lixo para os locais onde o caminhão passa. Cada cidade tem sua solução. No caso de Maragojipe, a solução é essa. Nem chega a duas horas por dia o período que ele é usado na coleta. Essa solução já é usada há muitos anos”, disse Elmo Felzemburg.
De acordo com o veterinário Paulo Matos, especialista em equinos e professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), a carga suportada por um animal desse tipo deve ser no máximo um terço do peso dele. “Escada é impróprio para o animal. Se ele não pisar certo pode cair e ter uma fratura de difícil recuperação. Quanto menor o peso melhor”, afirma.
A mesma opinião é compartilhada pelo veterinário Leonardo Rodrigues. No entanto, segundo ele, deve-se salientar que o animal deve ser muito bem tratado e alimentado para realizar quaisquer serviços que exijam de sua força física por um grande período de tempo.
Assista ao vídeo aqui.
Fonte: G1

ONG de Curitiba (PR) propõe educação ambiental no currículo da rede de ensino da cidade

(da Redação)
A ONG Pense Bicho, de Curitiba (PR), está propondo que o respeito aos animais seja incluído no currículo das escolas da rede municipal de ensino da capital paranaense. A proposta também é defendida por outras ONGs do setor e será debatida na próxima reunião do Comupa (Conselho Municipal de Proteção Animal), no próximo dia 27, às 17h, na sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente localizada no Passeio Público.
O entendimento da Pense Bicho é que a conscientização de crianças e adolescentes sobre o tema é fundamental para combater o abandono e os maus-tratos aos animais, problema que assume grandes proporções em todo o Brasil, inclusive em Curitiba – conhecida como a “Capital Ecológica”. Não há estatísticas atuais revelando os números do problema, mas estimativa feita pelo Departamento de Medicina Veterinária da UFPR (Universidade Federal do Paraná) aponta que o número de animais abandonados na capital é de pelo menos 12 mil.
A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que há um animal para cada quatro habitantes no Brasil. Isto significa que em Curitiba, cuja população é de aproximadamente 1,8 milhão de habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população de animais domésticos pode chegar a 450 mil. Deste total, 1/3 (aproximadamente 150 mil animais) são semi-domiciliados, o que também causa problemas porque eles podem se reproduzir e causar zoonoses.
“A criança precisa saber desde cedo, tanto na escola quanto em casa, a importância da guarda responsável de animais. Um bicho não é um brinquedo descartável. Este trabalho é permanente, de longo prazo e essencial para evitar os abusos que se cometem contra os animais”, comenta o presidente da Pense Bicho e secretário do Comupa, Aurélio Munhoz.
Munhoz entende que o tema é de grande importância não apenas à vida animal, mas também à saúde dos seres humanos. “Os maus-tratos aos animais causam problemas graves aos seres humanos. Entre eles, as mordeduras de cães, as zoonoses e até os acidentes de trânsito provocados por atropelamentos de animais. É por esta razão que a conscientização quanto à guarda responsável de animais precisa estar atrelada ao ser humano e a uma mudança de valores da sociedade”, ressalta.
Sobre a ONG Pense Bicho
A Organização sem fins lucrativos Pense Bicho tem cunho 100% educativo e social que alerta, informa e conscientiza o cidadão urbano em relação a guarda responsável de animais domésticos. Informações: www.pensebicho.org.
fonte: .anda

Matéria do jornal O Globo faz campanha contra gatos na Barra da Tijuca, no RJ

Por Aparecida Negreiros (em colaboração para a ANDA)

A situação de má conservação do piso no Quebra-Mar, no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, tem sido motivo de queixa dos moradores, mas também está servindo como campanha contra os gatos do local. Duas matérias publicadas com informações incompletas no Jornal O Globo, uma em abril e outra em agosto, estão contribuindo para um serviço de desinformação e preconceito contra os animais.

A menina Lígia com o gatinho Manhoso, um de seus vários amigos gatos do Quebra-Mar. (Foto: Eduardo Assumpção)
As matérias da jornalista Leandra Leal sugerem a retirada dos gatos do Quebra-Mar, mas a conclusão que se tem chegado em várias partes do mundo é que, ao contrário do que se imagina e que se pretende, a transferência de colônias de felinos, seja feita por qual método, não elimina de forma efetiva a presença dos mesmos naquela localidade. Retirar uma colônia de gatos deixa o território livre para ser novamente colonizado. Novos gatos tomarão o lugar dos anteriores e os problemas antigos regressarão (o chamado “efeito de vácuo”). No entanto, castrar os gatos da colônia e deixá-la no seu território quebra este ciclo de repovoamento. Os felinos são extremamente territoriais e, ao adotarem certo território, geralmente não permitem que outros felinos dali se aproximem. Essas informações são baseadas em instituições de referência no assunto como a “Feral Cat Coalition” de San Diego, na Califórnia, Estados Unidos.

Reprodução de matéria veiculada pelo site de O Globo, em 12/04/2012 a outra matéria foi veiculada em 16/08/2012. (Foto: Reprodução)
Enquanto se discute a situação do Quebra-Mar alguns cidadãos, como Ana Claudia Cardoso, cuidam ou cuidaram por um período dos felinos do local. Ana explica que os gatos estão quase todos castrados e vai adiante:
- Castrados com o dinheiro do nosso bolso, trabalho que deveria ser realizado pela prefeitura. Os gatos são alimentados todos os dias e levados ao veterinário, quando necessário, também com dinheiro do nosso bolso. Sempre que possível são colocados para adoção, também por nós. Nossos potes de água são constantemente jogados fora, por uma pequena quantidade de pessoas. Isso se chama falta de respeito, falta de educação e cultura. Não temos gatos doentes. Temos algumas pessoas que os ameaçam com pedras, paus, cacos de vidro. Reclamar de bichos, hoje em dia, é cafona, fora de moda, e não cabe mais no mundo que estamos vivendo!
Cristina Palmer, advogada e vice-presidente da ONG Oito Vidas completa:
- Animais castrados e cuidados, como é o caso dos animais do Quebra-Mar, não expõem pessoas a doenças. Muito pelo contrário. Eles ajudam a conter a população de animais rasteiros, ratos e outros que, somados à urina, fezes e lixo (de humanos) que se espalham nesta cidade, poderia se tornar um desastre e, com certeza, expõem todos nós a doenças.
A colaboração da mídia é fundamental para que fique pública a real situação desses gatos, que têm direito à vida e fazem parte da cidade do Rio com o status de animais comunitários, e estão, portanto, devidamente protegidos pela lei Nº 4.956, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2008.

O gato Teco, que está castrado, passeia contente no local onde mora, o Quebra-Mar. (Foto: Ana Cardoso)
Mas não é só no Quebra-Mar onde é possível constatar esforços para cuidar dos animais abandonados. Cada vez mais pessoas, empreendimentos e condomínios estão se mobilizando para castrar, alimentar e manter os animais. Essa nova atitude é uma resposta ao triste resultado da negligência e da irresponsabilidade das pessoas que, no momento apropriado, não castraram os seus animais, permitindo uma procriação desenfreada. Portanto cuidar de animais abandonados nas ruas vai além da proteção animal. É um trabalho de ética, respeito pela vida e saúde pública. E por falar em saúde, é comum usar o argumento da Toxoplasmose para apavorar as pessoas na tentativa de remover gatos. Conforme Maria Regina Reis Amendoeira, Pesquisadora Titular Chefe do Laboratório de Toxoplasmose do Instituto Oswaldo Cruz, citada na matéria do jornal O Globo de agosto sobre os gatos do Quebra-Mar, escreve em seu artigo: A importância dos animais de produção na infecção por Toxoplasma gondii no Brasil:
“A toxoplasmose … tem sido usualmente atribuída à ingestão de carnes cruas ou mal cozidas, de animais de produção infectados, sendo a taxa de infecção destes animais de grande importância para o estudo desta protozoose… Animais infectados possuem grande quantidade de cistos do parasita em variados órgãos e músculos e estes não são detectados durante a inspeção da carne nos abatedouros. Esta revisão enfatiza aspectos da protozoose em suínos, caprinos e ovinos, bovinos, equinos e aves visando esclarecer o potencial de cada espécie como fonte de infecção do parasita, principalmente no Brasil.”
Portanto é importante destacar o risco de contrair toxoplasmose por meio da ingestão de carne crua ou mal passada. Ressaltando que no Brasil muitos abatedouros são clandestinos, nesses locais faltam condições adequadas de higiene, sofrimento de animais e riscos para a saúde humana. A mídia tem um importante papel na sociedade, pois a disseminação das informações corretas pode facilitar a união de esforços na busca e concretização de soluções. Quem sabe todos nós, cidadãos, possamos ser contemplados de uma próxima vez com uma matéria sobre não abandono e posse responsável de animais, importância de castração no controle populacional de cães e gatos, consumo sem crueldade contra animais. Uma matéria que fale sobre a convivência humana respeitosa com os animais. Segundo uma publicação da prefeitura de Curitiba, humanizar uma cidade significa que uma nova consciência deve ser assumida: a de que TODOS os seres têm direito à vida, à liberdade e à expressão de comportamentos próprios de sua espécie. Portanto, devem ser tratados com dignidade.
Para saber mais sobre as reportagens do jornal O Globo acessar os links:
http://oglobo.globo.com/barra/quebra-mar-na-barra-esta-cheio-de-gatos-4626503
http://oglobo.globo.com/barra/quebra-mar-esta-sujo-malconservado-5797962

Fonte: anda.jor.br

Evento pede o fim da crueldade e exploração animal no DF

De coleira cor-de-rosa com aplicações de flores em crochê, saia xadrez, brincos adesivos espalhados pelas orelhas e tipoia com estampa de oncinha, a cadela vira-lata Maia, que se movia com a ajuda de uma cadeira de rodas, atraiu olhares e arrancou sorrisos de quem passou na tarde deste sábado pela Fonte Luminosa da Torre de TV, na região central de Brasília.
Na segunda edição do Dia Mundial pelo Fim da Crueldade e Exploração Animal, organizado na capital federal pela rede de ativistas Libertação Animal Brasília, Maia foi um dos exemplos de casos de crueldades contra os animais.
Segundo a fisioterapeuta Catiucia Ferro, que adotou a cadela há cerca de um ano, Maia foi atropelada intencionalmente em um condomínio residencial na cidade satélite de Sobradinho. Ela teve fratura total da coluna, foi submetida a uma cirurgia, mas perdeu a sensibilidade em parte do corpo e não consegue mover as patas traseiras. Apesar de sua condição física, a cadela é ativa e feliz e é exemplo de superação.
“A maior lição que ela nos traz é a superação, que a gente tem que viver feliz independente da nossa condição física. Toda vez que me vejo triste, olho pra ela e o ânimo volta”, disse Catiucia.
Para evitar esse e outros tipos de violência e maus-tratos contra animais, foram distribuídos, durante o evento, folhetos orientando a população a contribuir para o bem-estar dos bichos.
A representante no Brasil da organização Worldwide Events to End Animal Cruelty (Weeac), responsável pela organização mundial do evento, Patrícia El-moor, destacou que, entre as práticas que o grupo deseja abolir, estão o uso de animais em experiências científicas; em entretenimento, como circos, touradas e rodeios; para fabricação de roupas e para consumo humano. Ela enfatizou que a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) estabelece a detenção e multa para quem “cometer ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”.
Para estimular novos hábitos, o grupo também montou no local do evento uma banca com alimentos preparados sem qualquer produto de origem animal. Entre os itens oferecidos gratuitamente ao público para degustação, estavam canjica de leite de soja; pão sem queijo, feito com polvilho e mandioquinha; coxinha com proteína de soja; e bolos sem ovos e sem leite.
Quem passava pela Fonte Luminosa da Torre de TV também recebia um guia com uma lista de estabelecimentos que oferecem comida vegana, sem produtos de origem animal. “Nós gostaríamos que todas essas práticas fossem abolidas por completo, mas acreditamos que é por meio de pequenas atitudes e de mudanças gradativas de hábitos que vamos caminhando. Se houver pressão popular pelo fim dos maus-tratos e demanda por alimentos que não sejam provenientes de sofrimento dos animais, haverá mudanças”, ressaltou Patrícia.
A representante da Weeac no Brasil destacou que uma sociedade em que as pessoas aprendem a respeitar os animais é mais sensível também ao sofrimento humano. “Quando as pessoas se sensibilizam em relação ao outro ser, que não só o humano, elas estendem a compaixão a todos a sua volta e se respeitam muito mais. Além disso, há estudos que comprovam que diversos casos de assassinos em série começaram com maus-tratos a animais”, disse.
A veterinária Paula Meschesi soube da mobilização por meio de divulgação em redes sociais e decidiu levar os três filhos, o mais novo de 2 meses de idade, para participar das atividades da campanha. “Eu faço questão de criá-los com a consciência da importância do respeito aos animais. Eles se tornam seres humanos melhores e desenvolvem personalidades mais dóceis e carinhosas”, comentou.
O Dia Mundial pelo Fim da Crueldade e Exploração Animal também está sendo marcado por atividades em 30 cidades brasileiras, entre elas Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Curitiba, e em diversos países, como Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Austrália e Argentina.
Em todos os locais, o evento será encerrado com uma vigília silenciosa na noite de hoje. Cada cidade participante acenderá uma vela simbolizando o luto pelos bilhões de animais que são explorados e mortos para os mais variados interesses humanos.
Fonte: Terra

Cão doente e maltratado é resgatado em Botucatu (SP)

O cão estava sem comida e água quando foi resgatado (Foto: Valéria Cutter/Acontece Botucatu)
Na tarde desta sexta-feira (21), um cão sem raça definida (SRD) foi resgatado de uma residência na rua 21, região da Cohab I, em Botucatu (100 quilômetros de Bauru). Segundo informações do Jornal Acontece Botucatu, o animal sofria maus-tratos e estava deitado sem poder mexer com as patas traseiras, além de ter passado a noite toda uivando e latindo embaixo de forte chuva.
A denúncia foi feita pelos vizinhos e o resgate do cão realizado pela Guarda Civil Municipal (GCM) e Associação Protetora dos Animais (APA). No quintal da casa, também havia uma cadela, aparentemente em bom estado de saúde. Os dois animais foram retirados do local e encaminhados a uma clínica para tratamento, onde seriam alimentados e disponibilizados para adoção.
Os cães estavam sem comida e o proprietário da casa, segundo testemunhas, fica dias sem aparecer. “Esta noite foi complicada, pois o cachorro não deixou ninguém dormir. Ele estava com muito frio e dor. Por causa da chuva não conseguia se levantar e latia muito”, comentou uma vizinha que pediu para não ser identificada.
Fonte: JCNE

A cabra ginasta sobe diariamente nas costas de Henry,


Nova Escócia

Cabra pula diariamente nas costas de pônei

 

A cabra ginasta sobe diariamente nas costas de Henry, o pônei da família. (Foto: Reprodução)
Em Halifax, capital da Nova Escócia, uma cabra chama atenção por suas habilidades acrobáticas.
Diariamente, de acordo com sua tutora, Karen Newman, a cabra ginasta, batizada de Catki, salta 1,20 metro do chão para alcançar as costas de Henry, o pônei da família.
Fonte: G1

Não deixem isso acontecer

Foto/Facebook/

Fotos de Animal Liberation Worldwide


É cruel demais!
Por favor parem com isso.
OMG...MEU coração está quebrando agora aberta...
LOCAÇÃO ASSINAR A PETIÇÃO E COMPARTILHAR LONGE!!!

Não acha que só porque o Toro de la vega foi agora e foi mais uma vez que este é o fim da tortura aqui na Espanha. Há muitas maneiras mais inventivas para torturar um animal inocente. bem-vindo ao Toro Jubilo

Esta selvageria particular consiste em colocar uma bola de arremesso em ambos os chifres dos touros e atear fogo para as bolas. Os touros são lançados nas ruas. Estas bolas queimar durante horas, queimando os chifres, corpo e os olhos, causando sofrimento terrível.

Os touros ocasionalmente vão tentar matar-se contra as paredes, devido à dor horrível e medo estão sofrendo. Este horror ocorre no segundo fim de semana de novembro, na cidade espanhola de Medinaceli
Assinem

here are the pictures taken by PACMA at last years event: http://www.flickr.com/photos/pacmafotos/sets/72157628117381746/with/6340422144/

PLEASE SIGN THE PETITION AND SHARE FAR AND WIDE!!!!
http://www.thepetitionsite.com/1/firebull---stop-the-burning-of-live-bulls/

Dia mundial contra a crueldade animal

 Ponta Grossa

Dia 22, Pelo fim da crueldade contra o animais, pelo Brail e pelo mundo
Foto/ Divlgação



Incrível momento

Viva a natureza! Nascimento de um golfinho
Youtube

Girafa morre após fugir de circo na Itália

Italianos de Ímola, no norte do país, mal podiam acreditar quando viram uma girafa correndo pelas ruas históricas da cidade. Com cinco metros de altura e 900 quilos, ela provocou espanto após fugir de um circo.
A girafa escapou pela manhã e ficou à solta pela cidade durante mais de três horas. Ela passou por avenidas e começou fugindo galopando de policiais.
Moradores também presenciaram cenas mais calmas, como o animal examinando algumas flores em um jardim, onde uma senhora nem percebeu sua presença.
Mas a confusão acabou em tragédia. Após ser alvejada com dardos tranqüilizantes, a girafa chegou a acordar mas acabou morrendo de ataque cardíaco – aparentemente a dose de anestésico foi forte demais.
O prefeito da cidade culpou o dono do circo, Rinaldo Orfei, pela fuga e ordenou que ele deixasse a área.
Ele afirmou ainda que iria começar uma campanha nacional contra o uso de animais selvagens em circos.
Fonte: R7

Texugos correm o risco de serem massacrados no Reino Unido

Por Lobo Pasolini (da Redação)
Depois de uma longa campanha liderada por Brian May, ex-guitarrista da banda Queen que hoje em dia se dedica aos direitos animais, os pecuaristas britânicos ganharam o “direito” de atirar para matar texugos. A desculpa é que eles são transmissores de tuberculose bovina. A matança deve começar em breve, no começo do outono. As informações são do Team Badger.
Uma petição (requer endereço britânico para participar) pede que o governo desista do plano por causa do seu aspecto violento e ineficiência em resolver o problema. Ela sugere vacina e outras medidas mais eficientes de testes e bio-segurança.
O episódio mostra mais uma vez que quando se trata de agricultura animal, a palavra de ordem é matar.
Assista ao vídeo:
 fonte: anda

Lei proibindo matadouros de cavalos aguarda aprovação em Nova Jersey

EUA
Por Patrícia Tai (da Redação)
     Foto: Reprodução
Por uma votação na qual houve 35 votos contra 4 a favor, uma lei proibindo matadouros de cavalos para consumo humano foi aprovada no Senado de Nova Jersey (EUA) em junho deste ano. Agora, depende do Governador Chris Christie aprová-la.
Jessica Sprinsgteen, filha do cantor Bruce Springsteen, está entre os que assinaram uma carta apelando para que o Governador assine a proibição, segundo reportagem da Asbury Park Press. Jessica disse na carta, que foi divulgada via ASPCA (Sociedade Americana para Prevenção de Crueldade contra Animais):
“Passei a minha vida com cavalos e eles são nossos parceiros e companheiros. Acredito que cavalos mereçam ser tratados com respeito, e suas vidas não podem terminar no horror de um matadouro”.
A Assembleia Estadual já aprovou uma lei parecida por um voto de 75 contra 3.
Ambas as leis não só proíbem o matadouro de cavalos e a venda da carne para consumo humano em Nova Jersey, como também proíbem o transporte de cavalos que serão abatidos em outros locais. De acordo com a Lei, qualquer pessoa que “conscientemente abater, vender ou permutar um cavalo para consumo humano” será julgado, pagará uma multa de 100 dólares e cumprirá prisão por trinta dias, e ainda receberá encargos civis entre 500 e 1000 dólares para cada cavalo abatido ou para cada carcaça vendida para consumo humano.
De acordo com o Asbury Park Press, no momento não há matadouros de cavalos oficiais nos Estados Unidos, após o Congresso ter eliminado o financiamento ao Departamento de Agricultura em 2006. Nos anos 80, havia aproximdamente doze matadouros de cavalos nos Estados Unidos. Defensores da Lei apontam que Nova Jersey é atualmente “uma artéria principal” para envio de cavalos que são abatidos no Canadá e no México.
Ainda conforme a reportagem, o representante das fazendas de Nova Jersey, Ed Wengryn, diz opor-se à Lei, argumentando que umas das conseqüências “não intencionais” de desativar matadouros é que “os cavalos idosos, indesejados, estão sendo abandonados e tendo uma vida desconfortavelmente prolongada”. Mas Kathleen Schatzmann, diretora da Humane Society, enfatiza que após a Califórnia ter decretado a proibição, em 1998, não houve aumento em casos de crueldade contra cavalos. Em acréscimo, Nova Jersey tem “estatutos que protegem os cavalos, então as pessoas não podem deixá-los morrer de fome nem abandoná-lo”, disse Kathleen.
Quando a Lei passou pelo Senado, o Senador Raymond J. Lesniak, um democrata, disse ao NJ.com que ele estava satisfeito com a aprovação. Agora, cabe ao Governador assinar.
Chris Christie, que não declarou se irá assinar a Lei, tem até o dia 24 de setembro para decidir.
fonte: .anda

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Em demonstração de inteligência e heroismo, porquinho salva cabrito do afogamento

Foto: Reprodução
Em um zoológico dos EUA, um cabritinho berrava desesperadamente com sua pata enroscada no fundo de um lago.
Enquanto o homem que filmou a cena apenas gritava “Cabra na água! Cabra na água!”, surgiu um porquinho que, sem pensar duas vezes, se jogou na água em direção ao cabritinho e o empurrou, livrando o filhote do afogamento que parecia certo.
 Fonte: Vista-se

Candidatos mostram bichos e propostas para animais

Prefeituráveis dos maiores colégios eleitorais apresentam seus bichos (Foto: Divulgação)
Se nas ruas o clima das eleições é de disputa, em casa os candidatos encontram carinho nos braços da família: e também no afago de seus animais.
O Terra foi conhecer os bichinhos dos prefeituráveis nos quatro maiores colégios eleitorais do País – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador – e aproveitou para questionar os pleiteantes sobre suas políticas para o bem estar animal.
Confira as fotos e os dados no infográfico animais eleitos pelos candidatos. Clique aqui para ver.
Fonte: Terra

Brigitte Bardot lamenta decisão de justiça francesa de permitir touradas no país

Imagem da campanha contra as touradas na França (Foto:CRAC Europe/COLBAC)

O Conselho Constitucional, a mais alta instância jurídica da França, determinou nesta sexta-feira que as touradas continuam uma prática legal no país. O órgão rejeitou um recurso de associações que militam contra a tauromaquia e a crueldade contra animais. A Fundação Brigitte Bardot acusou o governo de ter se intrometido no debate a fim de influenciar os integrantes do Conselho.
Brigitte Bardot, atriz mítica do cinema francês e ardorosa defensora dos direitos animais, se declarou “desesperada”. Ela chamou os “sábios” do Conselho Constitucional de “covardes”. Segundo esses “sábios”, as touradas na França obedecem às leis. A prática é permitida em algumas regiões, principalmente no sul do país, que possam provar uma “tradição local ininterrupta”. Essas regiões também estão sujeitas a sanções em caso de crueldade contra os animais.
O Comitê Radicalmente contra Touradas denunciou uma decisão “política”, acusando o governo francês de defender a tourada. O Crac, na sigla em francês, criticou o ministro do Interior, Manuel Valls, de origem espanhola, por ter declarado recentemente sua “paixão” pela tauromaquia, uma tradição, segundo ele, que “deve ser preservada”. Do outro lado, várias personalidades francesas, como Jean-Paul Belmondo e Alain Delon, além de Brigitte Bardot, fizeram campanha pelo fim das touradas na França.
Na Espanha, o movimento contra touradas ganhou amplitude nos últimos anos. A Catalunha proibiu esse tipo de eventos desde o começo do ano. Em Portugal, outro país de forte tradição de touradas, a morte de touros nas arenas é proibida desde o século 18.
Fonte: rfi

Polícia apreende aves e jabuti e aplica R$ 157 mil em multas

Ribeirão Preto /S P
Aves apreendidas foram para o bosque (Foto: F.L.Piton / A Cidade)

A Polícia Militar Ambiental fez nesta quarta-feira (19) uma operação, denominada São Francisco de Assis, para averiguar denúncias de maus-tratos contra animais. Quase 200 aves e até um jabuti foram apreendidos durante a operação.
O tenente André Eduardo Trevisan diz que foram aplicados 26 autos de infrações. No total, o valor da multa foi de R$ 157 mil.
Os policiais localizaram 188 aves que eram mantidas em cativeiro sem autorização do Ibama. Em uma casa no Parque Ribeirão Preto, um proprietário tinha autorização para ter 12 pássaros, mas mantinha 24 nas gaiolas.
No total, mais de 50 policiais participaram da operação, em 20 viaturas.
Todos os animais apreendidos na operação foram levados para o Bosque Municipal Fábio Barreto.
Fonte: A Cidade

Americano enfrenta jacaré para salvar cão

Stephen Gustafson lutou com um aligátor para salvar seu cão. (Foto: Reprodução)

O americano Stephen Gustafson, de 66 anos, lutou com um aligátor (jacaré americano) depois que o réptil avançou em seu cão de chamado “Bounce” no condado de Lake, no estado da Flórida (EUA), segundo o jornal “Orlando Sentinel”.
Gustafson disse não ter pensado duas vezes quando viu seu cão sendo arrastado em um lago perto de sua casa. O idoso pulou sobre o réptil e conseguiu retirar “Bounce” do animal. “Eu sabia que tinha que ser rápido”, disse Gustafson.
Fonte: G1

Vigia é autuado em R$ 4 mil por criar pássaros silvestres em cativeiro

Foto: Divulgação
Policiais Militares Ambientais de Campo Grande (MS) faziam rondas pelo bairro Vila Eliane e autuaram quarta-feira (19), no final da tarde, um guarda noturno por criação de pássaros silvestres.
Na frente da casa do acusado havia várias gaiolas com canários-belgas, que segundo a polícia, podem ser criados em cativeiro, porém, em outra gaiola, havia um animal silvestre da espécie pássaro-preto.
Os policiais verificaram que o homem não possuía documentação do órgão ambiental para a criação da ave. Ele afirmou que um amigo havia deixado o animal com ele. Mesmo tendo negado ter mais pássaros, os policiais ouviram cantos no fundo da residência e encontraram mais um pássaro-preto, cinco canários-da-terra e um marreco. Os animais foram apreendidos.
O tutor dos animais recebeu multa de R$ 4 mil. Ele também foi conduzido, juntamente com as aves apreendidas, à delegacia de crimes ambiental da Capital. Se condenado, poderá pegar pena de 6 meses a 1 ano de detenção. Os animais foram encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais silvestres (CRAS).
Fonte: Correio do Estado

Mulher deixa cães sem água e comida por pelo menos 15 dias

Foto: Reprodução/RN
Uma advogada, que não teve o nome divulgado, proprietária de uma casa no Jardim Urupês, zona norte de Rio Preto, abandonou dois cachorros.
De acordo com vizinhos, os animais estavam há pelo menos 15 dias sem água e comida. Se alimentavam das próprias fezes. Eles foram resgatados pela PM e por um grupo de proteção, na manhã de terça-feira, 18.
Visivelmente desidratados e debilitados, os dois chegaram a contrair erliquiose, doença transmitida através do carrapato vermelho, devido ao abandono. Durante o período que permaneceram no local, os animais foram alimentados e hidratados por vizinhos que notaram o absurdo da situação. A casa estava vazia e os cães permaneciam no local para proteger a residência.
Segundo Lorrayne Seixas de Almeida, 23, voluntária da associação Vira-lata, que cuida de animais vítimas de maus-tratos, depois que a denúncia foi feita, sua associação até tentou, mas não conseguiu entrar em contato com a proprietária do imóvel.
“Recebemos essa denúncia há oito dias e tentamos entrar em contato com a proprietária. Descobrimos que se tratava de uma advogada, e que ela morava há duas quadras do local onde estavam os cachorros, mas mesmo assim, não conseguíamos conversar. Foram oito dias tentando entrar em contato e nada! E o caso precisava de urgência, já que os animais, pelo que presenciamos, estavam de 15 dias à um mês naquela situação”, relatou ao Diarioweb.
Nesse intervalo em que estiveram abandonados, a situação dos cachorros só não se agravou por causa da soliedariedade da vizinhança. “Os cachorros eram alimentados pelos vizinhos. Eles colocavam comida e água por baixo do portão. Só que, como eles eram muito pobres, não daria para continuar alimentando os animais. Por isso, entraram em contato com a gente!”, contou.
Depois de dias sem nenhum contato da tutora, a associação decidiu intervir. “Nós conversamos com a Polícia Militar e conseguimos o respaldo deles. Ontem, por volta das 10h, os policiais arrombaram o cadeado do portão e, junto com eles, resgatamos os animais. Eles estavam visivelmente debilitados, desidratados, e até agressivos, devido a essa situação. Chegaram, inclusive, a contrair erliquiose, uma doença transmitida por carrapatos!”, disse.
Os cães, apesar do estado em que se apresentavam, já iniciaram tratamento e, em poucos dias, já poderão ter um novo lar. “A associação conseguiu remédios por meio de doação. Além de dinheiro para a ração, vacina e tratamentos. Hoje, eles estão internados em uma clínica, onde recebem os devidos cuidados. O macho, inclusive vai ser castrado nesta tarde. A fêmea só não será castrada também porque está um pouco mais debilitada, por causa da doença. Mas mesmo assim, eles já estão bem melhores. Nós também vamos levá-los, este fim de semana, na Feira do Pet, que será realizada na Swift. Se Deus quiser, eles serão adotados e conseguirão um lar melhor do que o anterior!”, finalizou.
Segundo a Polícia Ambiental de Rio Preto, a atitude da associação está totalmente dentro da lei. “Se a associação receber o respaldo da polícia e se a própria polícia flagrar a situação dos animais, não tem problema. Nesses casos, a tutora perde a guarda do animal e responde por maus-tratos (art.32). Para este crime, a pena vai de três meses à um ano de detenção, além de multa, dependendo das circunstâncias.”, finalizou o Cabo Casagrande.
Os cães estão em tratamento em uma clínica veterinária, no Parque Celeste, aqui em Rio Preto. Quem quiser doar ração ou medicamentos, ou adotá-los, pode entrar em contato pelo telefone: (17) 3218-9879.
Fonte: RN

Polícia resgata 33 papagaios que estavam em bagageiro de ônibus

 Polícia Ambiental apreendeu 33 pagagaios em Cianorte (Foto: Reprodução RPCTV)

A Polícia Ambiental do Paraná resgatou 33 papagaios que estavam em um ônibus de turismo que transitava na PR-323, perto do Cianorte, no noroeste do estado, por volta da meia-noite de sexta-feira (21). As aves estavam dentro de duas malas no bagageiro ônibus que saiu de Alto Paraíso, também na região noroeste, com destino a Curitiba.
Segundo a polícia, foi através de uma denúncia anônima que os policiais chegaram até as aves.
Dois homens foram presos e multados pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em R$ 16,5 mil. Eles vão responder por tráfico de animais e se condenados podem pegar até seis anos de prisão.
A dupla disse à polícia que os papagaios foram capturados em ninhos no Parque Nacional de Ilha Grande, próximo a cidade de Guaíra, e seriam entregues para um comprador na Rodoferroviária de Curitiba.
As aves vão ser levadas para uma fazenda, autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em Mato Grosso do Sul, para depois serem novamante introduzidas na natureza.
Aves estavam dentro de duas malas no bagageiro de um ônibus (Foto: Reprodução RPCTV)
Fonte: G1

Comissão Antivivissecção vai lutar contra a prática que dizima animais em laboratórios e universidades

Por Marisa Mello (da Redação

Mais de 100 milhões de animais mortos no mundo. Esse é o saldo anual de experimentos científicos com animais, seja em testes laboratoriais para indústrias ou em universidades, que incluem a prática da vivissecção, a qual consiste na experiência com o animal vivo e, na quase totalidades das vezes, sem anestesia. A informação foi veiculada na reunião da Frente Parlamentar de Defesa e Direito dos Animais, realizada na quarta-feira, 19/9, na Assembleia Legislativa, conduzida pelo deputado Feliciano Filho (PEN), com o objetivo de lançar a Comissão Antivivissecção.
Antes do debate, foi exibido o vídeo ‘Não matarás’, produzido pelo Instituto Nina Rosa, sobre a vivissecção. O vídeo esclarece que a prática, apesar de arcaica, ainda é utilizada como procedimento padrão em universidades e laboratórios industriais. Animais saudáveis e, muitas vezes, provenientes de centros de zoonoses são cortados, queimados, privados de comida e induzidos a estresse em aulas de veterinária, farmacologia, medicina, biologia e demais cursos ligados a área de biomédicas. O mesmo acontece em testes laboratoriais para indústrias de cosméticos, de produtos automotivos, de materiais de limpeza, etc.
O biólogo Sergio Greif lembrou, no vídeo, que o manual de vivissecção ensina como matar os animais, como ratinhos, após o teste: “segurando a cabeça e puxando a cauda para destroncar a coluna” ou, como um professor de Greif preferia, “batendo a cabeça do animal na bancada de estudo”. A prática no Brasil é ilegal, uma vez que a lei obriga o emprego de anestesia, o que não é feito na vivissecção.
Infelizmente no nosso país, a vivissecção é aceita por 93% dos alunos, apesar de a prática consumir no Brasil entre quase 300 cães e coelhos ao ano. Na Inglaterra, o procedimento não é utilizado desde 1963 e, nos EUA, 90% das universidades não a usam mais.

O vídeo mostrou ainda o Teste Draize, que é feito mediante a aplicação de corrosivos para baterias automotivas, além de cosméticos nos olhos de coelhos, o que os deixa cegos e num infinito processo inflamatório. Já os cães que permanecem longo tempo em testes têm as cordas vocais arrancadas para não incomodar os pesquisadores com seus latidos de dor.
A professora da USP, Irvênia Prada, destacou que existem métodos alternativos de testes que descartam o uso de animais e que muitos fatos mostram que a tranferência de experimentos de uma espécie para outra não é adequada. Exemplo disso é a talidomida (remédio contra enjôo), que ministrada a grávidas, na década de 60, provocou sequelas (como ausência de membros inferiores ou superiores) nos bebês gerados.
Iniciativa permanente
Feliciano lembrou que a Comissão Antivivissecção tem que ser permanente e não pode ser encarada como um ato político. O deputado disse que as manifestações em defesa dos animais têm avançado e que os Estados de São Paulo – com lei de sua autoria -, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Goiás (em breve) baniram as câmaras de gás para o sacrifício de animais abandonados.
Também participaram do debate Sonia Fonseca, presidente do Fórum Nacional em Defesa dos Animais, Vania Tulio, Nina Rosa e Sergio Greif. Sonia é bióloga e lembrou o sofrimento que teve ao ser obrigada a usar a vivissecção na universidade. “Não sei como pessoas que presumimos serem evoluídas, os cientistas, insistem nessa prática.” Nina Rosa, produtora do vídeo, acredita que é preciso abolir a prática que consome muito dinheiro e energia. “Esse custo deveria ser investido na busca de alternativas que permitam a preservação dos animais.”
Vania abordou o aspecto jurídico da vivissecção que, segundo ela, é um assunto difícil, pois depende de decisões judiciais que mudam a cada vara de justiça. “O que podemos evitar judicialmente num primeiro momento é a prática para a ciência puramente investigativa, a qual já não se justifica. Na sequência, podemos evitar os experimentos voltados a indústrias de comésticos e de produtos de limpeza. “É a Anvisa que regra esses segmentos e é essa agência que estabelece as formas dos testes”, disse Vania, reforçando que a Anvisa muitas vezes exige das indústrias testes seguidos, mesmo já havendo estudos suficientes, os quais poupariam a vida de muitos animais. Quanto às universidades, estas deveriam ser obrigadas a esclarecer os alunos acerca da prerrogativa de recusa que eles têm no que se refere à vivissecção. Vania ainda sugeriu a criação de uma secretaria com status de ministério para a defesa da fauna, uma vez que “o animal não poder continuar a ser visto como objeto, afinal ele tem um valor intrínseco”.
Greif, que está no vídeo, participou da mesa de debates destacando que a vivissecção nunca foi necessária, em tempo algum, nem mesmo na antiguidade. “É sabido que não há resposta para tudo na ciência e também que muitas pesquisas sequer precisariam ou precisam serem feitas.”
fonte: anda

Motorista é flagrado puxando cavalo por corda pelas ruas de São Gabriel, RS

Motorista é flagrado rebocando cavalo pela rua em São Gabriel (Foto: Reprodução/RBS TV)
Um homem foi flagrado nesta sexta-feira (21) “rebocando” um cavalo em São Gabriel, Região da Campanha do Rio Grande do Sul. O motorista de um Fiat Uno dirigia pelas ruas da cidade puxando o animal por uma corda amarrada ao veículo. Com uma das mãos, ele conduzia o carro. Com a outra, segurava a corda, fazendo o animal correr riscos.
Durante o trajeto de dois quilômetros registrado pela RBS TV, o homem chegou a acenar para a câmera. Segundo a Brigada Militar, se flagrado por um policial, o motorista seria multado por pelo menos três infrações de trânsito: dirigir com apenas uma das mãos, dirigir sem cinto de segurança e dirigir sem atenção e cuidados, totalizando 14 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 297,95.
Assista ao vídeo aqui.
Fonte: G1

Transgênicos matam mais e causam até três vezes mais câncer em ratos, diz estudo

UOL

Ratos alimentados com alimentos transgênicos morrem antes do previsto e sofrem de câncer com mais frequência do que os outros animais da espécie, destaca um estudo publicado nesta quarta-feira (19) pela revista Food and Chemical Toxicology.
"Os resultados são alarmantes. Observamos, por exemplo, uma mortalidade duas ou três vezes maior entre as fêmeas tratadas com organismos geneticamente modificados [OGM]. Há entre duas e três vezes mais tumores nos ratos tratados dos dois sexos", explicou Gilles-Eric Seralini, coordenador do estudo e professor da Universidade de Caen, na França.
Para fazer a pesquisa de dois anos, 200 ratos foram divididos em grupos e alimentados de maneiras diferentes. Eles seguiram proporções equivalentes ao regime alimentar nos Estados Unidos. O primeiro grupo teve 11% de sua dieta composta pelo milho OGM NK603; o segundo comeu também 11% do milho OGM NK603 tratado com Roundup, o herbicida mais usado no mundo; e o terceiro foi alimentado com milho não alterado geneticamente, mas tomava água com doses de Roundup usadas nas plantações.
O milho transgênico (NK603) e o herbicida são produtos do grupo americano Monsanto, comercializados em vários países. No Brasil, amostras foram aprovadas em setembro de 2008 pela CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia e, no começo de 2009, o Ministério da Agricultura aprovou o registro de doze híbridos de milho com a tecnologia Roundup. O certificado de biossegurança foi aprovado pela comissão em novembro de 2010.
Segundo o estudo francês, 50% dos machos e 70% das fêmeas dos três grupos morreram prematuramente, contra 30% e 20%, respectivamente, do grupo de controle. Os tumores na pele e nos rins aparecem até 600 dias antes nos machos do que no grupo de controle. No caso das fêmeas, os tumores nas glândulas mamárias aparecem uma média de 94 dias antes naquelas alimentadas com transgênicos. A hipófise foi o segundo órgão que mais sofreu alterações prejudiciais no período de testes – é ela quem produz hormônios importantes para o organismo, o que a torna a glândula principal do sistema nervoso.
"Os resultados revelam uma mortalidade muito mais rápida e importante durante o consumo dos produtos", afirmou Seralini, cientista que integra comissões oficiais sobre os alimentos transgênicos em diversos países. “O primeiro rato macho alimentado com OGM morreu um ano antes do rato indicador (que não se alimenta com OGM). A primeira fêmea oito meses antes. No 17º mês foram observados cinco vezes mais machos mortos alimentados com milho OGM”, explica o cientista.
"Pela primeira vez no mundo, um transgênico e um pesticida foram estudados por seu impacto na saúde a mais longo prazo do que haviam feito até agora as agências de saúde, os governos e as indústrias", disse o coordenador do estudo.
Séralini faz parte de um grupo, o Criigen, que faz uma série de pesquisa sobre segurança de alimentos. Em dezembro de 2009, ele publicou um estudo com ratos alimentados com os três principais tipos de milhos transgênicos, tanto administrados em rações de animais quanto vendidos para humanos. As amostras dos milhos NK603, MON810, MON863, da Monsanto, causaram danos sérios nos rins e nos fígados das cobaias, além de outros efeitos notados no coração, em glândulas supra-renais e no baço.
fonte: .odocumento.

Comentáio
foto/Facebook

Miss Santa Catarina confessa ter mais de 40 animais dentro de casa

É praticamente um zoológico", diz Manoella Deschamps sobre a casa que divide com a família e seus mais de 40 bichos de estimação
Foto: Band/Divulgação
A candidata de Santa Catarina ao Miss Brasil 2012, Manoella Deschamps, disse em entrevista à TV Band que conta com a ajuda da família para cuidar de seus 31 gatos, 8 cachorros e duas tartarugas, todos residentes na casa em que vive no sul do País.
"É praticamente um zoológico", diverte-se. Segundo ela, todos os animais foram resgatados das ruas. "Minha família não procura, eles simplesmente aparecem na nossa frente. Todos têm nome e atendem quando a gente chama. Estou morrendo de saudade deles".
Mesmo com formação em jornalismo, a modelo se encarrega de cuidar da saúde e higiene dos bichos de estimação. "Quando eles ficam doentes sou eu quem cuido, levo no veterinário, ministro os remédios. Meu xodó é o Salém, um gato preto com um olhão verde. Eu escovo até os dentes dele e ele nem liga", entrega.
O pai de Manoella, entretanto, prefere dividir sua atenção com o cachorro Brad Pitt e as tartarugas Lala e Pool, que ganharam os mesmos nomes dos personagens do desenho Teletubbies. "Elas ficavam em um aquário bem pequeno quando chegaram em casa. Hoje em dia estão enormes".
Além de bem cuidados, os animais têm direito a banho de sol e o privilégio de nadarem na piscina. Os altos gastos com ração não fazem Deschamps pensar em abrir mão dos amigos. "São meus amores. Hoje falei com meu cachorro por telefone e minha mãe disse que depois que ele ouviu minha voz saiu enlouquecido pelo quintal, tadinho".
O Miss Brasil 2012 será realizado no dia 29 de setembro, em Fortaleza. As misses já se encontram no Estado, onde finalizam os últimos preparativos para o concurso.
fonte: diversao.terra.com.br

Recife realiza panfletagem no dia mundial contra a exploração dos animais

Várias cidades do mundo comemoram, no sábado (22), o Dia Mundial pelo Fim da Crueldade e da Exploração Contra os Animais. No Recife, a data será celebrada pela segunda vez na Avenida Boa Viagem, na altura da Rua Tomé Gibson. Quem coordena a ação, na capital, é a Sociedade Vegetariana Brasileira Mandacaru (SVB/PE) e o Grupo de ativistas de defesa dos Direitos dos Animais (Ativeg). O apoio é da organização internacional Worldwide Events to End Animal Cruelty (Weeac).
O calçadão de Boa Viagem será ocupado, das 15h30 às 18h, por grupos que defendem o fim de qualquer tipo de exploração animal. “Apoiamos, em todos os aspectos, o fim do uso de animais. Da alimentação à moda, da experimentação farmacêutica à criação para o abate”, explica o coordenador da Weeac no Recife, Marcelo Zenaide.
Na programação, haverá panfletagens pedagógicas sobre o tema. A partir das 17h, os manifestantes apresentam palestras sobre vegetarianismo e veganismo, exploração animal no mundo, cultura de paz e guarda responsável de animais.
Por último, será realizada uma ação de guerrilha, em que, de forma lúdica, alguns participantes serão enjaulados. O objetivo é chamar a atenção acerca do tratamento dos animais, que são criados em pequenos compartimentos para o abate final.
São esperadas a participação de diversas organizações voltadas para a guarda de animais abandonados, como a Adote um Vira-Lata, o Movimento de Defesa Animal (MDA), a Brala e a Solidariedade à Vida Animal (Sava).
Além do Recife, Campinas,  Brasília, Campo Grande, Curitiba, Barbacena, Fortaleza e  Rio de Janeiro realizam evento para marcar Dia Mundial pelo Fim da Crueldade e da Exploração Contra os Animais. Internacionalmente, a causa é lembrada simultaneamente em Melbourne (Austrália), Viena (Áustria), Berlim (Alemanha), Lima (Peru), Lisboa (Portugal) e Bucareste (Romênia).
 fonte: jconline.ne10.uol

.Veterinária vai abater 250 touros que andam à solta


A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) está a preparar uma ação de caça para abater centenas de touros que ameaçam propriedades e população no concelho de Idanha-a-Nova, anunciou o organismo.

Em resposta escrita a questões colocadas pela Lusa, a DGAV indica que «está programada uma nova ação que prevê o abate de animais através de batida», método em que um homens e cães afugentam os animais para uma zona de atiradores.

Na última semana, um pastor foi encontrado morto nas imediações da aldeia de Segura, Idanha-a-Nova, com sinais de ter sido atacado por gado bravo.

O caso registado pela GNR está a ser analisado pelo Ministério Público de Idanha-a-Nova, ao qual cabe a decisão de abertura de inquérito e que aguarda pelo relatório da autópsia realizada no Hospital de Castelo Branco, adiantou fonte judicial à Lusa.

A situação surge após vários anos de queixas da população e de autoridades acerca de danos e sustos provocados por touros abandonados numa propriedade, sem vedações, nem vigilantes.

Segundo a DGAV, «não é possível indicar o número exato de animais em causa, devido ao incumprimento das obrigações legais de identificação e registo por parte do detentor».

Estima-se, contudo, que «o efetivo ascenda a 250 animais» e ocupe «centenas de hectares».

As irregularidades detetadas incluem ausência de «cuidados primários ao nível sanitário» e já originaram várias contraordenações ao alegado proprietário.

As sanções e iniciativas para pôr termo à situação «têm sido coordenadas entre a DGAV, o Ministério Publico, a Câmara de Idanha-a-Nova e a GNR», mas até hoje ainda não surtiram efeito.

O detentor dos animais diz que não tem «condições de segurança pessoal para se deslocar ao local e desenvolver as normais medidas de gestão da propriedade e do seu efetivo bovino», refere a DGAV.

A direção-geral já o notificou para proceder a um abate compulsivo, mas como nada foi feito, foi levado à prática «um plano com a colaboração do município, GNR e Companhia das Lezírias, com disponibilização de campinos e respetivas montadas».

A ação realizada no início do verão passava por recolher os animais e encaminhá-los «para abate em matadouro», mas não resultou, pelo que «está programada uma nova ação que prevê o abate de animais através de batida».

Apesar das tentativas, a agência Lusa não conseguiu contactar o alegado detentor dos animais, que de acordo com fontes na aldeia de Segura ligadas ao caso, residirá em Albergaria-a-Velha.

A ausência de qualquer identificação nos animais dificulta a responsabilização por danos causados, explicou fonte policial.
fonte; .tvi24.iol.pt/

Estudantes resgatam coala de poço na Austrália

 Foto: Wikimedia

Um grupo de estudantes de uma Universidade de Victoria na Austrália resgatou um coala que havia caído em um poço.
Os alunos do terceiro ano da Universidade de Ballarat estavam tendo uma aula externa na floresta do estado de Lal Lal, quando passaram pelo poço e viram o coala no poço, conforme reportagem da Ninemsn.
O estudante Luke Parker ficou preocupado com o coala, até porque não imaginava há quanto tempo o animal estava preso. “Nós jogamos algumas folhas para ele comer e ele ficou muito grato”, disse Luke ao jornal Herald Sun.
Os estudantes colocaram um comprido tronco dentro do poço para que o coala escalasse. Conforme o grupo assistia o resgate, o inesperado aconteceu: o coala caiu de novo quando tentava pular para uma árvore próxima.
Felizmente, o coala não se feriu e logo subiu novamente, pulando para o chão quando chegou à superfície.
“Nós ficamos tão aliviados por ele ter conseguido, e felizes por termos ajudado a salvar sua vida”, disse Luke ao Herald Sun.
Funcionários da Universidade acreditam que o coala estava preso no poço há dias.
Os coalas têm tido dificuldade em sobreviver na Austrália desde o século passado.
Antes dos europeus colonizarem a Austrália há mais de dois séculos, havia 10 milhões de coalas vivendo nas florestas de eucalipto de 2500 km de extensão, segundo a National Geographic.
No entanto, no começo do século XX eles foram mortos por humanos interessados em suas peles. No final do século XX, foi a urbanização que fez a sua parte na continuidade da extinção.
“Os coalas estão morrendo presos em cercas elétricas, estão sendo mortos por cães, atropelados por carros, e mesmo morrendo quando um proprietário de terras corta os eucaliptos em seu terreno”, disse Deidré de Villiers, uma das pesquisadoras de coalas no Departamento de Meio Ambiente e Recursos Naturais de Queensland, para a National Geographic.
Ela acredita que coalas e humanos podem conviver bem “se os responsáveis pelo desenvolvimento urbano pensarem em preservar um ambiente favorável para a sensibilidade desses animais”.
fonte: .anda




Vazamento de esgoto causa morte de peixes em córrego de Goiânia

Vazamento mata peixes em córrego de Goiânia (Foto: Ricardo Rafael/ O Popular)

Um vazamento de esgoto doméstico provocou a morte de peixes no Córrego Capim Puba, em Goiânia. O vazamento começou na quarta-feira (18) e já causa grandes prejuízos ao meio ambiente. A uma distância de aproximadamente 1 km de onde está acontecendo o vazamento é possível ver a água bastante suja, com muita espuma e vários peixes mortos.
Essa não é a primeira vez que ocorrem problemas com o córrego. Em fevereiro deste ano, 18 casas foram invadidas pela água. E limpar o que o córrego levou para dentro das casas não foi fácil.
A rede coletora do Capim Puba já foi feita pela Saneago. Agora, a Agência Municipal de Obras (Amob) está concluindo outras estruturas de contenção da água para plantar uma nova vegetação no local.
Já começaram as investigações para saber o que causou o vazamento de esgoto no córrego. Policiais da Delegacia do Meio Ambiente suspeitam que possa ter ocorrido um acidente durante as obras.
“Nós vamos acionar a Saneago para reparar este dano. Aqui não se fala mais em Córrego Capim Puba e sim em esgoto a céu aberto”, diz o delegado Luziano de Carvalho.
A Amob disse que não vê relação com o vazamento de esgoto e a obra que a agência está realizando no local. A Saneago informou ao G1 que mandou uma equipe na manhã desta quinta-feira (20) para averiguar a situação.
Fonte: G1

Ator Casey Affleck participa de campanha contra remoção dos chifres das vacas

Por Patrícia Tai (da Redação)
   O ator Casey Affleck fala sobre a descorna em vídeo do PETA. Foto: Alamy/Reprodução

O ator Casey Affleck, indicado ao Oscar, está ajudando a PETA a divulgar o horror da “descorna”, que é a remoção dos chifres de vacas em fazendas de gado leiteiro – uma prática generalizada que Casey chama de “desumana”. As informações são do Huffington Post.
No forte vídeo intitulado “Dehorning: Dairy’s Dark Secret” (“Descorna: o segredo escuro das fazendas leiteiras”), Casey explica como a prática é realizada. A remoção de chifes envolve o corte, a queima, ou a remoção química dos chifres das vacas e de outros animais.
“Vacas e bezerros lutam desesperadamente durante a descorna”, Casey diz no vídeo, que mostra os animais se debatendo, jogando as cabeças, erguendo-se, torcendo suas caudas, berrando e se chocando de dor contra o chão”, enquanto os funcionários das fazendas queimam ou arrancam os sensíveis chifres.
“Todos esses procedimentos são realizados rotineiramente e sem que seja dado aos animais qualquer anestésico”, acrescenta o ator.
Citando dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a ABC News informou em 2010 que praticamente todas as fazendas leiteiras praticam a descorna.
Lyndon Odell, presidente da Willet Dairy, uma das maiores fábricas de lacticínios do Estado de Nova York, disse que a descorna é uma “prática comum na agropecuária”, e é feita para proteger tanto os animais quanto os funcionários. “Se você tem um animal correndo por aí com um chifre afiado, eles podem ferir outros animais que estão no mesmo grupo com eles, ou podem ferir um empregado que está trabalhando com os animais”.
Enquanto a Organização Veterinária Americana diz concordar que a descorna possa trazer certas “vantagens”, também observa que a prática “não é atualmente regulamentada” nos Estados Unidos.
Por outro lado, leis em diversos outros países como a Austrália, Dinamarca e Suécia ditam que a descorna em vacas adultas não pode ser realizada sem a aplicação de anestesia.
De acordo com o jornal Boston Globe, Casey estará em uma escola de Cambridge (Massachussets) na próxima terça-feira, para falar sobre a Campanha.
Em linha com o que ele diz no filme sobre “evitar o leite de vaca, o queijo e outros produtos lácteos”, caixas de leite de soja serão distribuídas aos participantes.
“Considerando que o consumo de produtos lácteos está ligado a doenças cardíacas, derrames, diabetes e câncer, leites vegetais enriquecidos não trazem nenhum dos riscos de saúde associados ao leite de vaca e são livres de crueldade”, disse um representante do PETA ao The Huffington Post, por e-mail.
fonte: anda.

Coelho salva a vida de 26 filhotes abandonados

Por Patrícia Tai (da Redação)

Foto: Reprodução
Nesta semana, um coelho doméstico da cidade de Live Oak (Califórnia, EUA) correu em direção a um funcionário da área de Controle de Animais da cidade como se estivesse chamando-o para investigar algo. O coelho ziguezagueou correndo pela vizinhança e levou o funcionário até um jardim onde havia 26 coelhinhos abandonados. As informações são da Care2.
Todos os filhotes foram retirados do local e estão seguros agora, graças ao coelho Haven e ao abrigo animal do Condado de Santa Cruz, um grupo de resgate que abriga cerca de 200 coelhos.
Não se sabe o motivo pelo qual os filhotes resgatados estavam no jardim onde foram resgatados. Os pais não estavam no local e supõe-se que sejam cria de coelhos domésticos que estão soltos, que não têm um lar ou que foram abandonados.

Coelhos geralmente apreciam a companhia de outros animais. Foto: Reprodução
Coelhos são animais que demandam muitos cuidados, e nem sempre os tutores que optam por tê-los como animais de companhia cuidam da maneira correta. Eles precisam de espaço, de visitas constantes ao veterinário para cuidar de sua saúde e de seus dentes. Devem ser levados para passeios externos utilizando coleiras e guias apropriadas para ficarem sob estrita vigilância e para que não fujam. Os tutores precisam ter muito cuidado para que eles não tenham acesso a qualquer coisa que possa causar choque elétrico (fios de eletricidade com os quais eles possam brincar, ou tomadas), pois é comum os coelhos sofrerem esse tipo de acidente. E sobretudo, precisam ser castrados.
fonte: anda

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Documentário “Compaixão” dá aula de respeito aos animais

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)



Entre diversas frases de impacto, o telespectador pode começar a rever a forma como vê os animais não humanos. Essa é a intenção do documentário “Compaixão”, com trechos das palestras de Philip Wollen, ex-vice-presidente do Citibank, e David Coles, ex-publicitário e hoje palestrante e escritor, dadas no Festival Vegano de Adelaide, Austrália, em 2010.
O vídeo, de 15 minutos, pretende ajudar as pessoas a mudar sua visão dos animais não humanos, de seres inferiores que existem a nosso serviço a sujeitos de direito com tanta dignidade quanto os seres humanos.
“Compaixão” toca tanto o coração das pessoas como sua razão. É difícil defender ou consentir a exploração animal depois que são conhecidos os argumentos expostos por Wollen e Coles.
 Fonte: anda