sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Surpreendente: Gazela e Guepardos se encontram e… brincam


O fotógrafo francês Michel Denis-Huot, fascinado pela vida selagem na África, se deparou com cenas inusitadas, verdadeiramente espantosas, em Masai Mara, no Quênia, em 2011.
Três filhotes de guepardo, de cerca de 18 meses, brincavam tranquilos fora das vistas da mãe. Alegres, ativos, não pareciam com fome quando encontraram um grupo de gazelas, que saiu correndo ao avistar os terríveis predadores.
Foto: Michel Denis-Huot
Mas, uma gazela novinha não foi rápida o suficiente, e os guepardos logo a cercaram. Surpreendentemente, os filhotes não fizeram menção de a atacar, mas sim, de brincar com ela.
Foto: Michel Denis-Huot
A gazela parece ter gostado de conhecer seus novos amigos felinos.
Foto: Michel Denis-Huot
É ou não é uma super lição de amizade entre os animais?
Com informações de Veja 
fonte: anda



Tubarão morto, encalhado em praia do Rio, vira “brinquedo” na mão de turistas


Foto: Divulgação
Circula no Facebook uma imagem assustadora. Um tubarão morto e encalhado vira atração turística grotesca. Segundo informações, o animal marinho  foi encontrado na praia de Barra do Furado, interior do Rio de Janeiro, na última terça-feira, dia 18.
Na foto, é possível ver pessoas sobre o animal,  e até mesmo com um objeto, cortando a cabeça do tubarão.
Além de perigosa, a atitude é totalmente absurda. O tubarão está sendo despedaçado, tendo partes do corpo arrancadas, e isso é motivo de entretenimento.
A primeira ação ao encontrar um animal encalhado é ligar para o Corpo de Bombeiros (Grupamento Marítimo) o mais rápido possível. É imprescindível que isto seja realizado o quanto antes, pois pode salvar a vida do animal. Quem pode afirmar que este tubarão não poderia ter sido salvo ao invés de morrer de maneira tão brutal e virar um mórbido entretenimento para pessoas sem consciência?
É fundamental também evitar se aproximar do animal. Mesmo que o tubarão esteja morto ainda pode haver alguns riscos, tanto físicos como na transmissão de doenças.
Os tubarões não costumam frequentar praias, mas, infelizmente, devido a alterações e danos ao habitat, perda de desenvolvimento costeiro, poluição e outros fatores, esse desiquilíbrio ao meio ambiente os traz a costa em busca de alimento.
Não se sabe ainda como o tubarão morreu, mas é notável a total ignorância e desinformação dos turistas e da população local.
Com informações de Momento Verdadeiro
fonte: anda

Depois de esperar resgate, cachorro preso por mais de 12h em bueiro morre


Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS
Um cachorro que ficou mais de 12 horas trancado em um bueiro e comoveu moradores da zona norte de Porto Alegre foi resgatado na madrugada desta quarta-feira, 19, mas não resistiu. O animal, aparentemente sem tutor, foi levado a uma clínica veterinária por protetores, mas, mesmo com o tratamento veterinário particular, o cão morreu nesta madrugada.
“Só precisamos de boa vontade e de um lençol para resgatá-lo”, contou Terla Rodrigues, diretora executiva do Instituto Piracema, organização que defende o direito dos animais.
Ela contou ainda que um morador envolveu o cachorro no pano e conseguiu retirá-lo do bueiro. “Foi tranquilo, porque ele está muito machucado, com dor. E também não é um animal agressivo”, disse.
O bueiro fica na Avenida Veríssimo de Amaral, próximo ao Parque Germânia, em Porto Alegre. Moradores da área revezam-se desde o meio-dia desta terça-feira para cuidar do animal.
O operador de áudio Alexandre Soares Marques afirma que se deparou com o cachorro no local por volta do meio-dia. “A gente até ia tirar, mas ele está muito mal, cheio de feridas”, lamentou Marques.
“Eu estava indo para casa quando vi o animal tentando sair dali, mas sem conseguir. Ligamos para os Bombeiros e para a Seda mas ninguém veio resolver o problema”, afirma o técnico em eletrônica Aldo Vinícius Besson, morador da região.
De acordo com a Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda), o cão será recolhido ao departamento de veterinária para autópsia.
A Seda se justificou informando que o único protocolo aberto no telefone 156 sobre a situação do animal foi feito às 20h de terça. O local do bueiro, entretanto, estava errado: constava “Avenida General Barreto Viana, em frente ao nº 37″. Segundo a Seda, uma equipe do Corpo de Bombeiros se deslocou ao endereço e não encontrou o animal.
A Avenida General Barreto Viana inicia no cruzamento com a Protásio Alves e termina no encontro com a Nilo Peçanha. Entre a Nilo Peçanha e a Túlio de Rose, vira Veríssimo de Amaral, segundo o mapa da prefeitura de Porto Alegre.
A assessoria da Seda alerta que casos como esse devem ser protocolados com pedido de urgência no 156. A secretaria garante dar prioridade no recolhimento do animal, mesmo fora do horário comercial, por meio do serviço de plantão.
Com informações de Zero Hora

Veganismo é tema central de TEDx Fremont, na Califórnia (EUA)

Por Beatriz Batista – Portugal (em colaboração para a ANDA)

Recentemente realizou-se o TEDx Fremont, na Califórnia (EUA), onde foram discutidos diversos assuntos sobre saúde, ciência, psicologia e educação. Os oradores convidados exploraram  hábitos de rotina, alimentação e como somos influenciados pelo que nos rodeia na hora de escolher como vivemos.
O veganismo foi o tema central do encontro. Além da questão ética, foram apresentados alguns casos de pessoas doentes que conseguiram reverter o quadro apenas com mudanças na alimentação, retirando todos os ingredientes animais do cardápio diário. Alguns dos palestrantes são reconhecidos pelo trabalho que desenvolvem na educação da sociedade para o veganismo. O objetivo de educar e motivar a audiência para o veganismo foi atingido. Assista abaixo, em inglês a palestra apresentada por Rip Esselstyn. O Tedx reuniu ao todo 10 oradores.
TEDx
Criado no espírito de missão do TED, “ideias que merecem ser espalhadas”, o programa TEDx existe para dar às comunidades, organizações e indivíduos a oportunidade de estimular o diálogo através de experiências locais.
fonte:anda

Golfinho é salvo no Porto de Lisboa, em Portugal


Foto: Reprodução
O Instituto de Socorro a Náufragos (ISN) salvou ontem, dia 19, um golfinho listado que se “encontrava em dificuldades junto à arrebentação do baixio do Bugio, na entrada do Porto de Lisboa”, anunciou hoje a Marinha.
O golfinho foi avistado por elementos do curso de operador de mota de salvamento marítimo para militares da Autoridade Marítima e agentes da PM, que “ainda tentaram afastá-lo da terra”.
No entanto, o animal ficou encalhado na praia da Cova do Vapor, sendo resgatado pelos mergulhadores que se encontravam no local.
“Após contatos com diversas entidades – incluindo o Aquário Vasco da Gama, o Jardim Zoológico de Lisboa, a Câmara Municipal de Almada e o Instituto Português da Conservação da Natureza -, a equipe de salvamento foi aconselhada por diversos biólogos a conduzir o animal para longe de terra e libertá-lo, por tratar-se de uma espécie de difícil adaptação a cativeiro”, refere o comunicado da Marinha.
O golfinho foi transportado até cerca de três milhas a oeste do farol do Bugio, onde foi libertado.
Veja o animal sendo devolvido ao mar:
Fonte: DN

Mortandade de peixes atinge rio Tietê na região de Macatuba (SP)


Uma grande quantidade de peixes mortos foi vista por moradores da região ribeirinha do rio Tietê, em Macatuba (46 quilômetros de Bauru), na manhã desta quinta-feira (20). Testemunhas disseram à Polícia Ambiental que a situação já se estende por dois dias.
Em contato com o presidente da ONG Mãe Natureza, Hélio Palmesan, que está no local investigando o caso, o JC apurou que a maior quantidade de peixes mortos foi vista próximo ao Condomínio Pouso Alegre, em Macatuba.
Segundo Palmesan, o nível do rio está muito abaixo do normal. Este fato pode ter ocasionado o acidente ambiental, já que o nível de oxigênio, no momento, não é condizente com o normal do rio Tietê.
Técnicos da agência ambiental do Estado irão coletar amostras da água para realizar exames.
Fonte: JCNET

Empresa americana imortaliza animais domésticos em suas versões de pelúcia



Por Rafaela Pietra (da Redação)
Uma empresa americana teve a brilhante ideia de produzir versões de nossos amados amigos peludos. A Shelterpups fabrica bichinhos de pelúcia inspirados em nossos companheiros domésticos.
A ideia de Theodora, criadora da empresa e voluntária em abrigos de animais, era poder ter bichinhos de pelúcia de cães sem raça definida, afinal, ao entrar em lojas de brinquedos, só encontramos versões de cães de raça. Além disso, Theodora no sucesso que seria vender pelúcias inspiradas nos lindos cãezinhos do abrigo em que ela é voluntária.
A produção de todos os bichinhos é feita no próprio país, por amigos e familiares da pequena empreendedora, que se recusou a produzir as pelúcias em países que exploram a mão de obra barata.
“Os filhotes de abrigo são feitos 100% no bom e velho EUA! Do início ao fim, os filhotes são criados por qualificados artistas americanos em nossa fabrica”, alega a empresa.
Imortalizando cães por todo o mundo, a Shelterpups é uma grande oportunidade para quem perdeu seu cãozinho e não quer somente fotos, ou para aqueles que gostariam de ter uma versão pelúcia do seu amado, para apertar bastante.
A empresa disponibiliza também versões de cãezinhos que estão em abrigos para venda. A ideia é sensibilizar as pessoas sobre a situação destes animais nos abrigos, incentivar as adoções, incentivar o voluntariado em abrigos de animais e ajudar as instituições com o valor arrecadado na venda das pelúcias.
Parecidos ou não? – Foto: Divulgação/Site
Ou seja, além de uma versão de brinquedo de seu cãozinho, você ainda ajuda outros animais.
No site da empresa você pode ver o emprenho em ajudar os animais a encontrarem lares amorosos e a motivar pessoas.
O tamanho médio de um filhote pelúcia de cachorro é de 8 centímetros de comprimento, peso de aproximadamente 7 gramas e o valor gira em torno de 125 dólares.
“Alguns filhotes são um pouco maiores e outros um pouco menores. Eles são um cruzamento entre um brinquedo e um pequeno travesseiro e são super fofinhos”, diz o site.
Parecidos ou não? – Foto: Divulgação/Site
A empresa também declara não usar qualquer aditivo químico como os que geralmente os bichos de pelúcia possuem, e a grande promessa para 2013 é começar a produzir gatos, já que a Shelterpups só produz cães.
Um brinquedo, uma lembrança e uma ajuda. É de empresas assim que o mundo precisa, cada vez mais.
Vai quer uma versão eterna de seu querido e inseparável cãozinho? Conheça o site da Shelterpups.
fonte: anda


Passeata em Curitiba (PR) protestará contra o descaso aos animais abandonados

Por Roberta Oliveira (da Redação)

Neste sábado, dia 22 de dezembro será realizada em Curitiba a PASSEATA CÃOMINHADA GRITO ANIMAL. O evento será às 9 horas na Boca Maldita, centro da cidade.
O evento, criado pela COMUNIDADE Amor Canino e Felino tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre o trabalho dos protetores independentes e suas dificuldades .
Hoje em Curitiba há mais 450 mil animais nas ruas, e ao contrário do que muitas pessoas pensam, a prefeitura não recolhe todos, somente os que apresentam doença ou agressividade. Milhares de animais são recolhidos por ONG’s ou protetoras que através de doações e ajudas custeam consultas veterinárias, tratamentos, cirúrgias, estadia em hotel até o animal ser adotado.
A passeata quer chamar atenção também para o descaso das autoridades, falta de apoio policial em resgates difíceis e para o sofrimento dos animais nas ruas.
Os organizadores da passeata pedem que as pessoas compareçam usando branco e levem um bichinho de pelúcia como ato simbólico.
A Comunidade Amor Canino e Felino, atuando em Curitiba há 5 meses, foi fundada por Thatiana Nicollélli Berbert, atual estudante de direito e também protetora, que gentilmente respondeu à algumas perguntas para a ANDA:
Quantos pedidos de ajuda você recebe por dia em média? Depende, agora no fim de ano aumentou absurdamente, se antes tínhamos 1 a 2 pedidos por dia, hoje temos em média 5 ao dia.
Qual foi o caso mais triste que você resgatou? Acho que todos sempre trazem uma história triste, o que vi muita tristeza no olhar foi o Nego, ficou 3 dias esperando o dono no mesmo lugar onde foi abandonado, no terminal de ônibus do Sítio Cercado.
Como as pessoas podem ajudar as protetoras e ONG’s de Curitiba? Microchipando, castrando e se informando nos órgãos competentes sobre como proceder nos pedidos de socorro. As pessoas perdem seus cães, e postam no facebook, porém os cães não tem sequer uma identificação nas suas coleiras com nome e telefone. Outro exemplo: se um cão castrado fugir,ele não conseguirá procriar, o que evita o aumento populacional de cães nas ruas. Nós protetoras independentes vivemos de várias campanhas realizadas no Facebook, eu consegui vacinar 12 cães, lançando uma campanha do multirão da vacina das amigas da Comunidade Amor Canino e Felino, consegui madrinhas virtuais para comprar a vacina e pudemos imunizá-los. Usamos muita criatividade para chamar a atenção das pessoas e sensibilizar sem mostrar carinhas tristes, mas sim felizes, o que surte mais efeito, principalemente nas redes sociais, que muitas vezes são utilizadas para mostrar casos dramáticos tentando atingir o emocional das pessoas com fotos de cães muito machucados, o que acaba chocando demais.
Quantos animais a sua Comunidade tem para adoção? Atualmente temos 11 cães.
Você recebe algum tipo de ajuda do poder público ou prefeitura? Nenhuma. Nossa passeata tratará exatamente sobre isso, o abandono dos órgãos públicos para com os animais. Caso alguém tenha a oportunidade de ler a Lei Orgânica do Município de Curitiba, terá uma triste constatação; as protetoras independentes estão muito mais atuantes que prefeitura e o governo, o que é uma vergonha, uma vez que existem verbas destinadas para o trato animal, que na prática não tem fundamento e não existe a concretização para os fatos sociais, eles não acompanham o crescimento diário das necessidades efetivas.
Estão todos convidados a visitarem a página do evento no Facebookhttp://www.facebook.com/events/432284623493609/ e comparecem sábado na passeata.
Para conhecer mais sobre o trabalho da Thatiana e sua Comunidade visite a página no Facebookhttp://www.facebook.com/ComunidadeAmorCaninoFelino?ref=ts&fref=ts.
fonte: anda

Cão permanece ao lado de fêmea atropelada por mais de 6 horas


Foto: Divulgação
Quem passou por uma das principais avenidas de Zhangzhou, em Fujian, na China, levou para casa uma emocionante  história para contar aos amigos e parentes. Isso porque após sua companheira ser atropelada, um cão fez uma vigília de aproximadamente seis horas para a cadelinha.
Segundo testemunhas que passaram pelo local, o animal arriscou sua própria vida para ficar ao lado da fêmea morta e, algumas vezes, tentou reanimá-la com lambidas.
Em entrevista ao jornal Daily Mail, o pedestre Xiao Wu disse que a cena foi umas das mais emocionantes que já presenciou em toda a sua vida. “Se cachorro chorasse, diria que aquele bichinho desmoronou em lágrimas“, explicou.
Fonte: Alagoas 24h 

Mau cheiro empesteia vizinhança de frigorífico de Santa Bárbara d’Oeste (SP) há quatro anos


CHEIRO DE MORTE E VIOLÊNCIA

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)

O Fribal Frigorífico Balancin, em Santa Bárbara d’Oeste (SP), está exalando um mau cheiro empesteante, que vem incomodando muito as pessoas que moram perto dele. Segundo o mecânico Vanderlei Pereira Padilha, o problema é antigo, já de quatro anos atrás, e o fedor é mais comum no começo da manhã ou no final da tarde, sendo ainda pior na hora do almoço.
Segundo explicou Padilha ao UOL, o frigorífico obtém ossos de açougues e os cozinha, exalando um odor horrível quando se abre a tampa do cozinhamento. O mecânico afirma que já reclamou na prefeitura, na Cetesb e na própria empresa frigorífica, mas não houve nenhuma solução nem fiscalização e o problema sempre persistiu.
O dono do Fribal Frigorífico Balancin, Geraldo Balancin, diz que instalou um filtro de ar há três anos, depois de muita reclamação de vizinhos do estabelecimento, e iria chamar um técnico para verifica as condições do filtro e do motor do cozinhamento.
No mais, esse mau cheiro é um alerta de como a produção e processamento é uma notória ameaça à saúde. As carnes provenientes de frigoríficos assim, que exalam tamanho fedor, mostram-se perigosas à saúde humana – sabe-se lá que agentes biológicos vêm causando tal cheiro.
E o mais importante: o mau odor combina com a violência inerente à pecuária, das fazendas aos caminhões de “carga viva” e matadouros – tudo ali é interligado em termos de tudo que há de ruim para as pessoas e os animais vítimas da pecuária. As pessoas estão se intoxicando com a violência contra os animais, tanto pelo fedor como pelo consumo da carne proveniente de tais ambientes.
Casos assim acendem o sinal vermelho para quem come carne, porque é bem possível que a carne que milhões de pessoas comam sejam provenientes de frigoríficos como esse, onde a carne exala o fedor da morte, da violência e da doença.
fonte: anda

Projeto que obriga fabricantes a declarar testes e componentes animais em produtos é aprovado

Por Lilian Rockenbach, em colaboração com a ANDA



Foto: Divulgação
Foi aprovado em plenário, na Assembleia Legislativa de São Paulo, em sessão extraordinária do dia 19, quarta-feira, o Projeto de Lei Estadual 479/09, de autoria do deputado estadual Feliciano Filho, que obriga fabricantes a informarem no rótulo se os produtos foram testados em animais ou se possuem componentes de origem animal em sua fabricação.
Conforme o texto do projeto, o PL 479/09 regulamenta o direito à informação, assegurado pelo Código de Defesa do Consumidor (Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990), no âmbito do Estado de São Paulo, relativamente aos rótulos dos produtos e componentes dos produtos que contenham componente animal ou que tenham sido produzidos a partir de métodos que utilizem animal, sem prejuízo do cumprimento das demais normas aplicáveis.
O objetivo de tal lei é garantir informação completa sobre os produtos e seus componentes, bem como sobre os métodos de produção de tais produtos e componentes. Esta transparência atende aos princípios da informação e da dignidade da pessoa humana garantidos na Constituição da República.
A informação é critério determinante por ocasião da aquisição de produtos e afeta tanto os interesses dos consumidores como a confiança que estes depositam nestes produtos que circulam no mercado.
“A aprovação desse projeto foi uma grande vitória, pois protetores de animais, vegetarianos e veganos, poderão escolher seus produtos com mais clareza. Sabemos que na Europa, existem grandes feiras de exposições somente com empresas que não testam seus produtos em animais. Este Projeto cria um novo paradigma de mercado, pois muitas empresas poderão ter seus produtos recusados pelos clientes” atesta Feliciano.
O projeto de lei aprovado em plenário será enviado ao Governador do Estado Geraldo Alckimin para a devida sanção.
fonte: anda

África do Sul e Vietnã assinam acordo contra caça a rinocerontes


Foto: Reprodução
618: esse é o número de rinocerontes mortos na África do Sul neste ano, quase o dobro do número de mortos em 2010.
Mas há uma boa notícia: em 10 de dezembro, as autoridades sul-africanas assinaram um acordo com o governo vietnamita para prevenir e desencorajar a caça ‘furtiva’. As informações são da Care2.
O acordo rege a cooperação entre as autoridades e um trabalho mútuo para reforçar as leis contra a caça internacional dentro de ambos os países.
Mais de 37.000 leitores do site Care2 assinaram uma petição solicitando que o governo do Vietnã tomasse uma atitude contra os traficantes, o que ajudou a chegar ao resultado.
Qual é a conexão entre África do Sul e Vietnã?
Eles são co-dependentes: a África do Sul é o lar de cerca de 80 por cento da população de rinocerontes do mundo, enquanto o Vietnã é um dos vários países asiáticos com uma alta demanda por chifre de rinoceronte, pois se pensa erroneamente que ele tem substâncias medicinais, como a cura contra o câncer ou como afrodisíaco, entre outras supostas e equivocadas aplicações.
Por esse motivo, o acordo representa um grande passo à frente.
Do Voice of America:
“O sucesso ou não do acordo será altamente dependente da vontade política para implementá-lo”, disse Richard Thomas, porta-voz da ONG Traffic, que luta contra a caça e que conduziu o acordo entre os países. “Se tal vontade existe – e já percebemos essa vontade por parte da África do Sul – agora temos o reconhecimento público oficial pelo Vietnã de que há um problema muito grave com o comércio ilegal de chifres de rinoceronte. Isso significa que recursos adequados serão dedicados a ter um impacto real sobre as redes de crime organizado que estão por trás do tráfico de presas”, complementa Richard.
A África do Sul deslocou soldados e investigadores para os parques para combater os caçadores, mas o verdadeiro problema é a demanda externa pelos chifres.
Albi Modise, porta-voz do Departamento de Relações Ambientais da África do Sul, disse ao Voice of America que a caça aos rinocerontes é um problema internacional, impulsionado pela demanda. “Para combatermos eficazmente a caça, percebemos que nossa abordagem deve ser multifacetada. Um dos problemas que precisamos abordar é a maneira como nos engajamos com países estrangeiros. Nós acabamos de assinar um Memorando de Entendimento com o Vietnã, e o nosso plano é assinar um com a China, outro com a Tailândia, e também estamos em discussões com autoridades de Hong Kong”, afirma o porta-voz.
Os rinocerontes atingidos por caçadores para a retirada de seus chifres morrem de forma extremamente cruel: os caçadores cortam seus rostos e retiram os chifres com os animais ainda vivos, e estes ficam abandonados à própria sorte, sangrando até morrer, o que muitas vezes leva dias.
Abrandar o ritmo de caça aos rinocerontes envolve complexidade e deverá ser um processo complexo e lento, mas as autoridades parecem estar caminhando na direção correta.
fonte:anda

Fotos mostram a amizade de uma vida entre cachorros e humanos


Foto: Dog Heirs
Estas emocionantes fotos demonstram que estas pessoas sabem que um cachorro pode ser um companheiro para uma vida inteira.
O projeto “Antes e agora” reúne fotos do antes e depois dos cães nas famílias. É possível participar enviando as fotos ao site DogHeirs.com. Basta se cadastrar e fazer o upload de duas imagens espelhadas, em tempos diferentes. É possível também mandar o registro para a página do Facebook do DogHeirs ou pelo e-mail team@dogheirs.com, com o título “”Dogs are family for life”.
Veja o que já foi enviado clicando aqui.
fonte:Foto: Dog Heirs
Estas emocionantes fotos demonstram que estas pessoas sabem que um cachorro pode ser um companheiro para uma vida inteira.
O projeto “Antes e agora” reúne fotos do antes e depois dos cães nas famílias. É possível participar enviando as fotos ao site DogHeirs.com. Basta se cadastrar e fazer o upload de duas imagens espelhadas, em tempos diferentes. É possível também mandar o registro para a página do Facebook do DogHeirs ou pelo e-mail team@dogheirs.com, com o título “”Dogs are family for life”.
Veja o que já foi enviado clicando aqui.
fonte:anda

Relatório apresenta 126 espécies descobertas no Sudeste Asiático


Morcego foi descoberto na região central do Vietnã (Foto: Gabor Csorba/WWF/AFP)
Um relatório apresentado nesta terça-feira (18) por cientistas organização ambiental WWF traz 126 novas espécies registradas ao longo de 2011 no Sudeste Asiático. A lista é dominada por plantas, mas inclui animais desde uma rã que canta como um pássaro até um morcego assustador.
As espécies foram descobertas na bacia do rio Mekong, que engloba Camboja, Laos, Myanmar, Tailândia, Vietnã e da província chinesa de Yunnan, no sudoeste do país.
Segundo o relatório, a maior parte dessas espécies já está sob risco de extinção. As principais causas para isso são o desmatamento e a construção de barragens de grande porte no Mekong, que alteram todo o ecossistema da região, considerado um dos mais diversos do mundo.
“A boa notícia são as descobertas. A má notícia é que está cada vez mais difícil [trabalhar] no mundo da conservação e da sustentabilidade ambiental”, resumiu Nick Cox, gerente do Programa de Espécies da Bacia do Mekong no WWF.
Sapo recebeu o nome de ‘yin-yang’ pelo desenho dos olhos (Foto: Jodi J.L. Rowley/WWF/AFP)
Fonte: G1

Beagles que seriam mortos e explorados para testes são libertados


ÍNDIA

Por Natalia Cesana (da Redação)

Foto: Reprodução
Em um movimento referencial liderado pela PETA-Índia, 70 cães da raça beagle importados da China pela Advinus Therapeutics, laboratório farmacêutico indiano de Bangalore, finalmente serão libertados. Os cães saíram da quarentena e foram entregues a grupos de proteção animal, com a permissão do Ministério do Meio Ambiente e Florestas e com os esforços do governo de Maneka Gandhi, política envolvida em causas ambientais.
O resgate foi aprovado depois que a PETA-Índia notificou o Comitê para Fins de Controle e Fiscalização na Experimentação Animal, que falsamente atestou o Serviço Animal de Quarentena e Certificação que os cachorros eram “de estimação” e não “de testes”. A PETA também descobriu que a companhia aérea Cathay Pacific Airways, que possui uma política restritiva contra transporte de animais para laboratórios, não foi informada pelo fornecedor, Beijing Marshall Biotechnology Co., Ltd., que os cães seriam explorados e mortos em testes.
Foto: Reprodução
Mais de 50 mil pessoas de todo o mundo enviaram e-mails às autoridades indianas pedindo a libertação dos cães.
“O ministro do Meio Ambiente e Florestas, Jayanthi Natarajan, foi pessoalmente inspecionar os 70 beagles. A PETA elogia e agradece ao ministro por dar a atenção que o caso merece”, declarou Chaitanya Kumar, consultor de ciências políticas da PETA Índia. “Convidamos as pessoas que estão prontas a assumir o compromisso de cuidar de um animal por toda sua vida a adotar um destes filhotes e dar a ele um amoroso lar.”
Cientistas usam os beagles devido à sua natureza amigável e dócil. Mas a vida de um animal de laboratório é solitária, dentro de gaiolas. Eles são dopados com medicamentos, queimados com produtos químicos e abertos em procedimentos cirúrgicos experimentais. Ao final destes testes, eles são mortos e dissecados.
fonte: anda

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Crianças brincam com cães para tentar esquecer massacre em escola dos EUA


Criança brinca com cachorro na igreja luterana da cidade de Newtown (EUA) (Foto: K-9 Parish Comfort Dogs/Divulgação)
Cães do projeto da Igreja Luterana de Illinois “Comfort Dogs” (cães que consolam, em tradução livre do inglês) viajaram de Chicago até Newtown, em Connecticut.
O objetivo dos animais era unicamente o de alegrar as crianças após o ataque a tiros que matou 26 pessoas nesta sexta-feira (14), na escola primária de Sandy Hook.
Ainda essa semana a ANDA mostrou a comovente história de Catherine Hubbard, garota de 6 anos vítima do massacre. A garota sonhava em abrir um abrigo de animais. Foi mencionado em seu obituário o “amor pelos animais”, e nele pede-se que sejam feitas doações a abrigos em vez de flores serem compradas para ela.
Os pais, reconhecendo o amor da filha pelos bichos, pediram para que as doações fossem feitas para o abrigo de animais The Animal Center em nome de Catherine.
Foto: K-9 Parish Comfort Dogs/Divulgação
Foto: K-9 Parish Comfort Dogs/Divulgação
Veja mais fotos aqui.
Com informações do Uol
Fonte: anda

Com o Natal, aumentam os casos de tráfico de filhotes na Itália


Eles são capazes de agradar a todos: os amantes dos pequenos cães, como chihuahua, shi-tsu, yorkshire, mas também os apaixonados por cachorros de portes mais imponentes, como akita, dobermann, pastor e bulldog. Mas se não tivessem cruzado o caminho dos homens do núcleo investigativo da Polícia Florestal, perto do pedágio de Ugovizza, cidade italiana próxima à fronteira do país com a Áustria, os dois motoristas eslovenos que tentavam importar para a Itália 46 filhotes de cachorro, das mais variadas raças, provavelmente teriam conseguido um bom dinheiro com a venda dos animais. As informações são do jornal Corriere della Sera.
Os incautos compradores, em compensação, teriam nas mãos cães com potenciais riscos de doenças, importados para a Itália em condições precárias (no caso dos eslovenos, os cachorrinhos estavam todos amontoados dentro de um furgão e desprovidos de água) e sem as devidas preocupações sanitárias: alguns dos filhotes ainda não estavam na época de desmamar, outros carregavam cicatrizes de intervenções cirúrgicas recentes, pontos de sutura no corte do rabo – uma prática proibida na Itália – e feridas não cicatrizadas.
São muitas as irregularidades encontradas. Alguns animais não tinham microchip e não possuíam documentação que comprovasse a proveniência ou que certificasse a execução adequada de um plano de saúde preventiva. Os filhotes foram levados em custódia pelos agentes policiais e transferidos a uma estrutura idônea até que sejam doados.
Os dois motoristas foram acusados de maus-tratos de animais, já que os cães foram arrancados das mães prematuramente e transportados e confinados em condições contrárias à natureza deles. Além disso, foram acusados ainda de fraude comercial, uso de documentos falsos e tráfico de animais.
Infelizmente, este não é um caso isolado. “O fenômeno da importação de animais está crescendo”, confirma a Polícia Florestal. “Cães arrancados das mães precocemente e enviados para a Itália no porta-malas de um carro ou no porão de um navio, dopados com antibióticos e excitantes para sempre terem um olhar alegre.”
Neste período de Natal foram intensificadas as investigações pelos diversos grupos envolvidos no combate do tráfico. A aproximação das festas e a ideia errada de que um cachorro pode ser um presente para ser encontrado debaixo da árvore tornam favoráveis as condições para a venda a curto prazo, que assegura ao traficante altos ganhos e poucas complicações.
Cães de raça no mercado paralelo custam centenas de euros, mas ainda assim custam bem menos que um cão oriundo de um criador certificado. “Antes de comprar ou doar um filhote é preciso ter o cuidado de lembrar do compromisso de tratá-lo por toda a vida. Mas também é importante que, uma vez tomada a decisão, você não alimente o tráfico ilegal. Os cães, de fato, são importados para a Itália por meio de viagens cansativas, que muitas vezes resultam em mortes devido às más condições sanitárias em que eles são forçados a prosseguir”, explica a Polícia Florestal.
Como fazer então? A primeira coisa é usar o bom senso. Animais são seres vivos e não podem estar envolvidos em acordos que ponham em risco sua pele. E se você quer mesmo melhorar o Natal com a alegria que um animal pode trazer, por que não fazer uma visita antes a um abrigo de animais?
fonte: anda

Vários artistas participam de campanha contra exploração de animais



Por Sueli Fontes (da Redação)
Foto: Reprodução
De Justin Bieber a Paul McCartney – no último mês, vários artistas advogavam para que não se comesse peru no Dia de Ação de Graças – vários emprestaram sua imagem para advogar em favor do vegetarianismo, não usar peles, não caçar animais, não maltratá-los e, inclusive, incentivar a adoção de animais. As informações são do jornal Prensa Libre.
A organiação Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (People for the Ethical Treatment of Animals, Peta), fundada em 1980, é uma das várias entidades que se valeram de celebridades do mundo do entretenimento para tentar dar credibilidade às suas campanhas. O slogan da Peta é “Os animais não são para comer, vestir, experimentar ou usar para o entretenimento”.
Entre os artistas que participaram de campanhas desta organização figuram Anthony Kieds, cantor do grupo Red Hot Chili Peppers; Pamela Anderson, modelo e atriz; Alicia Silverstone, atriz e ex-modelo. Assim como esses, há outros famosos que fazem das causas a favor dos animais outra de suas paixões.
Nesta edição se incluem capas nas quais as estrelas apareceram em defesa dos animais.
Paul McCartney
O ex-beatle desempenhou por anos uma forte tarefa como ativista a favor dos direitos animais. Em mais de uma ocasião emprestou sua imagem para campanhas que se opõem ao consumo de carnes de qualquer tipo. A mais recente foi para o Dia de Ação de Graças, na qual pedia para celebrar a vida, se referindo à dos perus.
Penélope Cruz
A atriz española foi parte de uma campanha da Peta em fevereiro desse ano, que consistia num cartaz de 21 metros de altura no exterior do Madison Square Garden de Nova York. Neste a atriz olhava para tras, sobre o ombro, acompanhada da legenda: Dê as costas às peles.
Brigitte Bardot
A atriz francesa tem se dedicado, desde que deixou de atuar em 1974, à promoção dos direitos dos animais. Em 1976 criou a Fundação Brigitte Bardot para a proteção dos animais em perigo.
Iggy Pop
A cantora de punk rock se somou à campanha que condena o clube canadense que mata filhotes de focas. Os cartazes incluem uma frase: é doentio.
Justin Bieber
O cantor canadense incentiva que as pessoas se aproximem dos lares de animais para adotar um bicho de estimação, com o slogan: Os animais podem te fazer sorrir.
Dave Navarro
O guitarrista Dave Navarro pousou nu numa publicidade que leva a legenda: Sinta-se bem com sua própria pele e deixe os animais com as deles.

Joss Stone
A cantora britânica, também vegetariana, abraça um urso de pelúcia para promover o desuso da pele destas criaturas nos uniformes dos guardas da rainha da Inglaterra.
Ke$ha
A cantora estadunidense se uniu à campanha que condena a prática anual na qual milhares de pescadores se reúnem no Canadá e matam os filhotes de focas.
    fonte: anda

Holanda está prestes a proibir produção de peles

Por Bethania Malmberg (da Redação – Suécia)


Foto: Reprodução/Animal Equality
No dia 18 de dezembro de 2012, o Senado holandês votou a favor da proibição de produção de peles de vison. A proibição entrará em vigor em 2024, o que significa que a partir desta data não haverá mais produção de peles na Holanda. Várias organizações de protecão animal, incluindo a Animal Equality, aplaudem a proibição e esperam que outros países sigam o mesmo caminho, pois isso é uma declaração inequívoca de que o sofrimento dos animais para fins de moda não é mais aceitável. As informações são da organização internacional de direitos animais Animal Equality.
Com 6.000 mil visons mortos a cada ano, a Holanda é o terceiro maior produtor mundial de peles de vison, depois da Dinamarca e China. O debate político sobre a proibição da produção de peles de vison começou em 1999. Um projeto de lei para uma proibição em 2018 foi inicialmente aceito pela Câmara dos Deputados, mas não obteve a maioria no Senado. O principal argumento contra a proibição foi em relação aos problemas financeiros que poderiam atingir os produtores. Com isso, o projeto original foi alterado para entrar em vigor em 2024 e prevê compensação financeira de 28 milhões de euros em apoio aos produtores para os custos de demolição.
Um inquérito realizado pelo Ministério da Agricultura no início deste ano mostrou que apenas 7% dos holandeses aprovavam matar animais apenas por sua pele.
Em 1995 e 1998, respectivamente, foram anunciadas proibições para fazendas de peles de raposa chinchila, entrando ambas em vigor em 1 de Abril de 2008. A proibição de produção de peles de vison vai acabar definitivamente com toda a produção de peles na Holanda.
Em 2011, nove milhões de visons foram mortos na Holanda. Atualmente o país está seguindo o exemplo de outros países como Áustria, Reino Unido e Croácia. Não há nenhuma razão para que outros países continuem a permitir esta forma de crueldade contra os animais.
Veja o vídeo:
    fonte:anda